Pesquise no Flamengo Eternamente

Pesquisa personalizada

domingo, 18 de agosto de 2013

Fora pobres, o Flamengo não quer vocês

"Quando o preço cai muito, o nível do torcedor que vai ao estádio é muito pior. Inclusive, atrai um perfil de público que devemos abolir dos estádios, que é uma bandidagem."

A frase acima é de um certo Amir Somoggi (leia essa "pérola" toda aqui se tiver estômago). Esse cidadão, até um dia atrás um perfeito desconhecido, de uma hora para outra virou "especialista em Marketing Esportivo" no Brasil, mesmo sem nenhuma contribuição minimamente relevante. Os motivos que levaram um cara desse a esse patamar são totalmente obscuros e suspeito que ele nunca entrou num estádio, mas isso não é problema meu. O fato é que ele declara com todas as letras que pobre é bandido e que deve ficar fora dos estádios. Que um Zé Ninguém pense isso não é problema. O problema é quando os "jênios" do Marketing do Flamengo resolvem levar essa idiotice a sério. 

Futebol não é mais entretenimento para as massas. Para essas pessoas pobre é bandido e não deveria estar no estádio tirando a beleza do espetáculo. Os ingressos atingem preços exorbitantes. Daqui a pouco, acredito eu, vão começar proibir camisa regata e bermuda em estádio, já que, como se sabe, isso é coisa de pobre e pobre fede, né Amir?

Os "jênios" do Marketing do Flamengo alegam que os preços tem que ser altos (veja aqui), já que os custos subiram. Subiram sim. E os públicos despencaram. De que adianta cobrar caro e ver estádios vazios? Não seria melhor abaixar um pouco e ter estádios cheios? Qual é a relação ideal? Sei lá. Mas tem que tentar. Perguntem ao Amir. Ele não é o especialista????

O que acho (aliás acho não, tenho certeza) é que a gestão Bap (que se mostra extremamente arrogante) é lamentável no Marketing do Flamengo. Os azuis chegaram prometendo uma revolução no Marketing do Flamengo e até agora tem sido uma decepção. Senão vejamos:

* Preços de Ingressos abusivos.

* Alguns podem alegar que eles criaram o Sócio Torcedor. Será? O projeto é da Brahma e diversos clubes. O Flamengo só embarcou, e ainda criou um programa muito ruim, sem oferecer benefícios.

* Patrocícios: A Caixa bateu na porta de todo mundo. Mérito zero. Adidas já negociava antes da entrada da atual gestão. A Peugeot já tinha procurado o Flamengo ano passado e a TIM já tinha contrato. Faltou achar um patrocínio para as Mangas, e até agora, nada.

* Comunicação: Além de de criarem mensagens ofensivas (leia aqui), o site continua fraco com poucas notícias e quase sem novidades. Os perfis do Facebook e do Twitter parece que só servem para postar as (poucas) notícias e intimar mais pessoas a associarem, com aquela sutileza que a gente conhece.

* Lojas Oficiais: Enquanto quase todos os outros clubes receberam milhões de uma empresa para administrar a sua Loja Oficial, por uma razão incompreensível o Flamengo abriu mão disso. Agora existem várias Lojas Oficiais, que pagaram uma ninharia para isso. Quais são elas? Se vira para descobrir.

* Licenciamentos de Novos Produtos e Serviços aos Torcedores: Nada....

* E no mais??? Nada, nada, nada.

O que tenho visto é que os engomadinhos do Marketing do Flamengo acham que vivem em outro mundo. Tenho a impressão de que entendem muito pouco do Flamengo e não querem aprender. Querem impor sua visão e pronto.

E pensar que a teríamos Areias (esse sim o MAior Especialista em Marketing do Brasil), que saiu por uma briga com... Advinhem só??? o Bap.

E aí Azuis? Vamos dobrar as Manguinhas de seus ternos importados e vamos tentar entender o Flamengo, e a Maior Torcida do Brasil? Não liguem se ela está cheia de pobres. Eles também fazem parte do que o Flamengo é.


Warley Morbeck

.

Nenhum comentário: