Pesquise no Flamengo Eternamente

Pesquisa personalizada

domingo, 22 de setembro de 2013

O homem certo

Como saber quem é o homem certo? Como saber quem é o treinador ideal para o clube? Normalmente os treinadores são contratados no desespero. Têm nome, estão desempregados ou meio desempregados, e são chamados pelo time em queda como uma providência de última hora, não refletida, para dar "uma satisfação à torcida". O treinador chega mais como obra do acaso e das circunstâncias do momento.
No entanto, às vezes, eu acredito que exista mesmo o treinador com vínculos insondáveis com determinado clube, com ligações misteriosas que desafiam explicações. É um jeito de ser, uma maneira de encarar a vida que, acima de todas as outras aproximações, faz com que certos treinadores se liguem a certos clubes através de laços eternos. Mesmo quando sai desse clube, mesmo quando é demitido, pois todos são demitidos, ainda assim alguma coisa fica. E ele sai, mas carrega consigo um pouco do clube afetivo onde quer que vá. Fica como que à espreita para um dia voltar.
Exemplo clássico, que deve ter ocorrido a todos, é o Muricy. Para onde ele for, haverá um pouco do São Paulo. Por mais que se esforce e trabalhe em qualquer outro clube, não está em casa. Ganha títulos, encanta os torcedores, mas o São Paulo está sempre com ele e o clube, por sua vez, não o perde de vista.
Quais as razões dessa relação estranha? As mais óbvias todo mundo sabe. Sempre jogou no clube, fez sua carreira no São Paulo desde as equipes de base, foi auxiliar de Telê, ganhou títulos muito importantes por lá, etc., etc. Isso para mim não explica tudo. Na verdade é a parte menos importante. O que está por baixo é uma identificação instintiva feita de detalhes, de coincidências de atitudes ignoradas, de coisas inexplicáveis, como são os sentimentos humanos mais profundos.
E toda essa gama de sentimentos indefiníveis se reúnem para fazer a aproximação profunda entre treinador e clube. Engloba tudo o que não se sabe bem o que é: paixão, simpatia, amor à primeira vista, noções como o filho pródigo, ou a procura do lar, enfim tudo o que faz as delícias de psicólogos, psiquiatras e psicanalistas.
O fato é que existe algo entre certos clubes e certos treinadores. O contrário também é verdade. Certos treinadores não podem ir para certos lugares. Não têm a bossa, a qualidade indefinível. Alguém consegue enxergar Mano Menezes no Flamengo? Nunca vi clube mais inadequado para o Mano, em tudo. Não perguntem a razão. Não sei bem por que ele não serve para o Flamengo. Só sei que não serve e fim de conversa. Tanto é verdade que ele mesmo se retirou.
O Flamengo já mudou de treinador três vezes. A meu ver, está apenas à espera do "seu" treinador. Aquele que no clube se sente como que em casa, aquele que espera para voltar ao lar. Estou falando de Joel Santana. Sei que Joel é o Flamengo, sei que ele, ande por onde andar, leva junto o Flamengo. Ele tem cara de Flamengo, anda como Flamengo, fala como Flamengo. Tenho certeza que todos no clube, mesmo que ainda não saibam, estão à espera dele, exatamente com o São Paulo esperava Muricy.
Creio, além do mais, que esses treinadores com identificação absoluta são os únicos que entendem o clube. Entendem porque a diretoria é de um jeito e não de outro. Entendem a linguagem secreta dos torcedores que, apesar de parecerem iguais, são ligeira, mas significativamente, diferentes de clube para clube. Com suas ligações quase sobrenaturais entendem o ininteligível.
Alguém entende o Flamengo? Ninguém, mas Joel Santana entende. Nunca se preocuparia em saber por quê. Apenas entende. Quando ele chega com seu andar gingado e sua prancheta, quando Muricy aparece, com sua cara fechada, falando não mais que o necessário, os atletas todos reagem imediatamente. Porque farejam, com o instinto aguçado dos bons boleiros, que chegou o que o clube tem de mais autêntico, de mais essencial.

UGO GIORGETTI - O Estado de S.Paulo

****
Esse texto me chamou a atenção e resolvi compartilhar. Quem aí concorda com o autor???

Nenhum comentário: