Pesquise no Flamengo Eternamente

Pesquisa personalizada

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Fanatismo Religioso é sempre perigoso



Momentos de grave crise são propícios para o surgimento de um "Messias". Aqueles que são considerados ungidos e que teriam nascido para resolver os problemas, e que não podem ser contestados. Isso acaba se tornando muito perigoso. As pessoas perdem sua capacidade crítica e passam a tomar tudo como verdade absoluta.

O Flamengo passou por uma grave crise na gestão Patrícia. Foi neste ambiente que a Chapa Azul surgiu com uma proposta revolucionária, de gestão profissional. A torcida embarcou no projeto e os tais executivos de mercado foram eleitos. Passado pouco mais de um ano, grande parte da torcida os tem como heróis. Qualquer questionamento sobre sua postura é automaticamente tido como ataque de falsos rubro negros, invejosos. Ou pior: de "viúvas" da administração anterior. Como alguém pode questionar alguém que tem feito tanto pelo Flamengo? Mas tem mesmo? Vejamos:

* O Programa Sócio Torcedor foi criado pela AMBEV e implantado em vários clubes ao mesmo tempo;

* A Caixa patrocinou vários clubes;

* A Peugeot e a Adidas já negociavam seus contratos antes;

* A gestão do futebol mudou pouco, com muitas trapalhadas e erros primários. O "gestor profissional" contratado foi trazido do Grêmio, onde foi dirigente amador transformado em semi-profissional, ficou conhecido pelo temperamento difícil e por seguidos choques com os demais profissionais do futebol;

* A Comunicação é muito fraca. Um site que não mudou nada, Perfis na rede social com poucas novidades, pouquíssimas notícias. Seria muito fácil ter sempre várias novidades que animassem os torcedores a visitar todo dia

* A gestão do Departamento de Marketing não foi capaz de conseguir alavancar novos aportes de recursos, fora do lugar-comum de patrocínios e contar com a caridade dos torcedores e sócios. A tão propalada criatividade e credibilidade dos executivos-diretores não foi suficiente para sair deste ciclo esgotado e promover novas fontes de renda para o clube; 

* Com a desculpa de cortar gastos, e sem o prometido aporte de novos recursos, atividades que poderiam ter se convertido em fontes de recurso foram descontinuadas. Várias atividades esportivas tradicionais foram enxugadas e o patrimônio social ficou mais de um ano sem a necessária manutenção. Apenas depois de um ano de posse foi traçado um plano-diretor para a Gávea;

* Ficou na promessa a gestão profissional estendida ao clube como um todo com a contratação de um CEO, ou seja, um executivo superior responsável por todas as decisões, acima das particularidades políticas. Sem o CEO, o voluntarioso Presidente Bandeira de Mello continuou a cumprir um papel de gestor amador, ofuscado pela personalidade de alguns vice-Presidentes com superpoderes, numa clara inversão da hierarquia e dos princípios do suposto profissionalismo. A arrogância predomina onde deveria haver diálogo e ninguém sabe ao certo quem decide.

Claro que tem pontos positivos. As contas estão sendo pagas em dia. Mas convenhamos, pagar contas em dia não é mérito. Se você e mais quatro amigos moram de aluguel, o fato de você ser o único que paga em dia não te faz exemplo. Não é por que os outros não fazem que uma obrigação se torna mérito. 

Sejamos realistas, Nação. Todo mundo precisa ser vigiado, todo mundo precisa ser fiscalizado. Nada mais perigoso que uma fé cega em alguém. Nada mais perigoso para o clube do que um fanatismo. Vamos fazer nossa parte. Vamos torcer mas vamos cobrar. A gestão atual tem suas qualidades. Mas ainda tem muito o que fazer. E não vai ser com arrogância que vai muar isso.

Warley Morbeck da Silva

P.S - Só eu que achei estranha essa dívida que aumentou, diminuiu mas no fim ainda é maior do que o início? Alguém apresentou esses dados? Alguém cobrou?

Nenhum comentário: