Pesquise no Flamengo Eternamente

Pesquisa personalizada

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

APESAR DE VOCÊ...

Apesar do Vanderlei Luxemburgo, que não estava dando muita importância à Copa do Brasil, tanto que montou um time qualquer, sem treino e desentrosado, que acabou sendo derrotado pelo Coritiba, no primeiro jogo, por 3 x 0, o Flamengo se classificou para as quartas-de-final da competição.

Não, Vanderlei, não adianta agora vir com o discursinho de que o Flamengo jogou com garra, igualou um resultado altamente adverso, conseguindo seguir em frente na disputa de penalidades.

Essa classificação, não foi obra direta do Luxemburgo.

Nem de você nem muito menos dos dirigentes, que deram a "autorização" de você priorizar o Brasileirão e não esquentar muito com a Copa do Brasil, da qual o Mengão é o atual campeão.

Não sei e nem quero saber quais foram os dirigentes que te deram este aval, mas posso garantir que são verdadeiros irresponsáveis, se é que isso realmente aconteceu, de tão inverossímil que é.

Em qualquer competição em que o Flamengo entre, seja com um elenco bom ou um elenco ruim, ele entra para ganhar e tem toda a obrigação de lutar até o final, até onde não der mais.

Repito: Sabemos que você é rubro-negro fanático, mas a classificação, desta vez, o Flamengo não deve a você, Luxemburgo, que nos tirou de um buraco no Campeonato Brasileiro.

Nem o Luxa resistiu à torcida
Deve à torcida, pois seus mais de 20 mil torcedores presentes se multiplicaram em euforia e pareciam 40 mil, que exigiam o bom resultado.

Nem o nosso treinador resistiu ao rolo compressor das arquibancadas do Maraca (é nosso).

Deve aos jogadores, que se entregaram de corpo de alma (principalmente alma) e acreditaram que tudo é possível, ainda mais em se tratando de Flamengo.

Deve ao destino, que proporcionou as entradas importantíssimas de Leonardo Moura e Everton, porque Luiz Antônio e Paulinho se machucaram logo no primeiro tempo.

Alecsandro, o melhor em campo
As entregas de Alecsandro, Samir, Chicão, Márcio Araújo e Eduardo da Silva, foram de emocionar.

E o goleiro Paulo Victor se agigantou na disputa de pênaltis. Um monstro, debaixo da trave!

Pelo menos numa coisa temos que ser justos com o nosso treinador: ele mostrou aos nossos jogadores o que é ter vergonha na cara e a responsabilidade que é vestir o Manto sagrado.

A vitória não foi milagre. Foi sacrifício. Foi heroísmo.

Como diz o poeta, Luxemburgo, "apesar de você, amanhã vai ser outro dia".

Dia de muita alegria nas ruas do Rio de Janeiro.

PASCHOAL AMBRÓSIO FILHO   

Nenhum comentário: