Pesquise no Flamengo Eternamente

Pesquisa personalizada

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

PERIGO ZERO! COPA DO BRASIL À VISTA!

Quando acabou o primeiro tempo de Flamengo e Internacional, quase desisti de ver o segundo, de tão chata que estava a partida.

Pra não dizer que nada aconteceu, cada uma das equipes teve apenas uma chance de gol. O dos gaúchos só não saiu porque Paulo Victor fez uma defesaça.
Paulo Victor, o Milagreiro

Mas, não adianta, flamenguista tem sempre "aquele" pressentimento de que algo pode mudar de uma hora para outra.

Isso é a rotina dos 112 anos de história futebolística rubro-negra.

E não é que vencemos o poderoso Internacional por 2 x 0, no Maraca (é nosso)?

Infelizmente, para o meu sogro, o grande Enedino, lá de Pinheiro Machado, cidade da região da Campanha, quase no Uruguai, o Colorado acabou dizendo adeus ao título de vez. 

O Inter, que era a principal equipe, na minha opinião, capaz de ser campeã, além do Cruzeiro.

De cavalo chucro, virou cavalo manco.

E se continuar dando mole, nem vai à Libertadores.

E não estou sendo irônico. O elenco do Inter é muito bom, só que às vezes dá uma de Flamengo e perde uns jogos esquisitos, como a goleada que levou do pseudo-time da Chapecoense, por 5 x 0. Perde pro Vitória, pro Figueirense e até consegue empatar com timinhos como Fluminense e Bahia.

Assim fica difícil, né?

Bem, vamos deixar o Enedino Índio Véio em paz, lá no seu rincão, e falar do Mengão.

O jogo esquentou no segundo tempo, pois os gaúchos resolveram apertar o Fla e até tiveram chances de gol. Uma delas depois de uma indecisão entre Paulo Victor e Léo Moura, na cobrança de um córner. A bola caiu nos pés do Nilmar e o Paulo Victor fez o seu segundo milagre.

Mas, com o time que tem o que mais o Flamengo quer é isso, que o adversário venha com tudo, pois o contra ataque rubro-negro é muito rápido e pode ser mortal. Como foi, né?

Poderia ter sido melhor, mas os jogadores do Flamengo finalizam muito mal e, muitas vezes, precipitadamente.

Como o Eduardo da Silva estava mal, o Luxemburgo colocou o menino Nixon, que anda numa boa fase, em campo.

Depois veio a "sacada genial" do Luxa!

Ele decidiu tirar o Everton, que além de não saber chutar, estava cansado e ia colocar o Lucas Mugni.

Viu que legal? O Mugni, aquele que sabe jogar bola, mas não quer, ia entrar...

Só que o Vanderlei Luxemburgo teve uma ideia melhor ainda. Mandou o Mugni de volta para o banco e decidiu que o Flamengo jogaria com menos um.

Tirou o Everton e colocou o Élton, "pra fazer número", como a gente diz na pelada.

E não é que o Élton tava lá, de bobeira, do lado esquerdo do campo e alguém mandou a bola pra ele?

A bola resvalou na cabeça do cara e sobrou para o Nixon, que partiu como um foguete e cruzou para o primeiro gol do baianinho Gabriel, que tá batendo um bolão!

Foi a única vez que os narradores falaram o nome desse Élton, porque, depois o Flamengo teve outras chances de contra ataque e ele estava sempre fora da área adversária. 

Êpa! Peraí! Vai ver é estratégia do cara, que fica esperando o rebote dos zagueiros.

Nixon abraça Gabriel que acabou com o jogo
É isso! Acho que descobri o segredo do Élton! Não é burro não... Não é burro não... Só é ruim de bola. Burro? Não é mesmo! Na verdade, nunca falei que o Élton era burro.

Aí o Paulo Victor fez outra defesa espetacular, os gaúchos deram bobeira numa cobrança de falta e lá partiu o Canteros, desta vez pela direita, para mais um contra ataque fulminante.

Cruzou para o Leonardo Moura, ele chutou, a bola bateu na zaga e sobrou para Gabriel, de fora da área, mandar no cantinho.

Fim de papo!

Para mim, acabou a "confusão" que tanto amedrontava o Pofexô.

Faltam seis pontinhos em oito jogos. 

O Pofexô tá rindo à toa
Um deles é sábado, contra o Botafogo (coitado...), lá em Manaus. Acredito que o Luxemburgo deva levar um time reserva, para poupar os demais.

Como esperávamos, com o time que temos, devemos terminar o Brasileirão lá na meiúca da tabela.

Agora temos é que nos concentrar no tetra da Copa do Brasil.

Os Galináceos estão com um time bom, mas tremem quando dão de frente com o Manto Sagrado.

Se mantivermos a seriedade, chegamos à final.

Aí... Deixou chegar...

Não podemos é ficar contando sempre com dois ou três milagres do goleirão Paulo Victor em todos os jogos...

Do outro lado pode dar o Cruzeiro, que também treme com a camisa e a torcida do Flamengo.

O Santos, por mais incrível que pareça, me preocupa mais que os mineiros.

Vamos ver no que vai dar.

Bota fé, que São Judas Tadeu tá a fim de comemorar mais um título este ano.

PASCHOAL AMBRÓSIO FILHO   

Nenhum comentário: