Pesquise no Flamengo Eternamente

Pesquisa personalizada

domingo, 1 de fevereiro de 2015

COM GOL BIÔNICO, EMPATE COM MACAÉ FOI LUCRO

Estrear no Cariocão 2015 empatando com o Macaé, Campeão Brasileiro da Terceira Divisão do Brasileiro, em 1 x 1, acabou sendo lucro para o Flamengo.

Não exatamente pela qualidade do adversário, que além de pequeno, agora é um time de Segunda... Divisão. Mas, o Macaé acabou que se mostrou uma equipe bem incompetente.

O que aconteceu foi que... Bem, aconteceu de tudo no Moacyrzão.

E quase não teve jogo porque alguns membros de uma torcida organizada rubro-negra (não sei porque chamam de organizada) invadiu o vestiário do Macaé, roubou material esportivo e ainda agrediu com um soco no queixo o goleiro Ricardo Berna. Quase que o Macaé não entra em campo por causa disso.

Atitudes como esta destes vândalos envergonham a nós, torcedores do Flamengo.

Mas, falaremos melhor sobre isso amanhã.

O Flamengo dominou todo o primeiro tempo e acabou levando um gol do Macaé, depois de uma falha de marcação de Pará, na lateral direita, e de um escorregão de Samir, que proporcionou a cabeçada de Pipico, no fundo das redes do nosso goleiraço Paulo Victor.

Aliás, desde o ano passado o Samir vem dando uns escorregões durante os jogos. Para um zagueiro de primeiro nível como ele, isto é inadmissível. É bom verificar se está usando as chuteiras corretas.

Veio o segundo tempo e o favorito, vestido de preto e vermelho, é claro, partiu pra cima do Macaé.

Pressão total e acabou saindo, da direita, um cruzamento certeiro de Wallace, que achou a cabeça biônica de Alescsandro.

Alecsandro, o biônico, comemora seu gol
Cabeça biônica, sim! Ou esqueceram que, ano passado, ele teve uma fratura na testa e teve que ser operado, colocando uma placa de titânio?

O gol de empate rubro-negro foi um prêmio para o chamado Alecgol, artilheiro do Flamengo, na temporada passada, com 21 gols.

Só que o destino ainda reservava uma surpresa para o Alecsandro.

Aos 30 minutos do segundo tempo, o goleiro Paulo Victor se chocou com um atacante macaense e sofreu um grande corte na cabeça, sendo obrigado a abandonar o campo ensanguentado.

Como o Flamengo já havia feito as três substituições quem foi para o gol? Quem? Raimundo Nonato? 

Nada disso, Alecsandro foi para o sacrifício. Se fantasiou de goleiro e, ainda bem, só teve trabalho mesmo num cruzamento do ataque do Macaé.

E é agora que eu explico porque disse que o time do Macaé é incompetente.

Em vez de partir para o ataque, como faria qualquer equipe com um jogador a mais e um goleiro "amador" no lado adversário, ficou tocando a bola de um lado para o outro, sem que ninguém tivesse coragem de arriscar um chute a gol.

A coisa deve ter parecido tão fácil para eles, que ficaram assustados e não tiveram a competência de acertar um chutinho sequer na direção do gol do Mengão.

Qualquer timinho de pelada iria tentar se aproveitar desta vantagem mas, acredito que ver o Manto Sagrado pela frente deve assustar mesmo.

Se a gente,que não é jogador, quando coloca a camisa do Flamengo fica se sentindo "o cara", imagina quem tem que nos enfrentar em campo...

Mas, os jogadores do Flamengo também foram inteligentes e, orquestrados por Everton e Canteros, seguraram a bola no campo de ataque o máximo possível, trocando passes com Marcelo Cirino, Anderson Pico, Arthur Maia e Márcio Araújo, deixando o tempo passar.

Desta maneira, evitavam ao máximo que o Macaé atacasse o gol defendido pelo Alecsandro.

No final da partida, se confessando ainda assustado, o atacante disse que espera nunca mais ter que passar por esta experiência de ser goleiro.

Agora, só nos resta vencermos o Barra Mansa, na segunda rodada, para entrarmos nos eixos e seguirmos firmes, rumo ao bi Carioca.

Ou alguém ainda tem dúvida?

PASCHOAL AMBRÓSIO FILHO   

Nenhum comentário: