Pesquise no Flamengo Eternamente

Pesquisa personalizada

domingo, 31 de maio de 2015

MERECÍAMOS O EMPATE?

O Flamengo dominou o Fluminense, no primeiro tempo, com 71% de possse de bola e deixou o campo perdendo por 2 x 1.


Sabe por que?

Porque só conseguiu finalizar uma única vez.

Lembro que o Fla levou um gol logo aos 5 minutos do primeiro tempo, depois de um pênalti idiota cometido pelo grande lateral direito Pará.

Levar um gol de cara, ainda mais num clássico, já desestabiliza uma equipe.

Isso não é jogador pro Flamengo
Depois, o mesmo Pará, um imbecil de marca maior, marcou um gol contra que, atualmente, nem criança mais faz nas peladas.

Lembro que Pará é uma herança maldita de Vanderlei Luxemburgo, assim como Thallysson, Almir e outros que, se ele não contratou, talvez tivesse pedido, indicado ou pelo menos concordou.

E muita gente, que execrava Leonardo Moura, hoje, talvez preferisse ter em campo o velho e carcomido Moicano.

Aí o Flu teve um jogador expulso, o que facilitou ainda mais o domínio rubro-negro.

Um falso domínio, já que nada de bom acontecia.

Nosso gol foi de Alecsandro, com uma cabeçada biônica, depois de um belo cruzamento de Armero, pela esquerda.

Com menos de um minuto do segundo tempo, levamos o terceiro gol do Flu.

E começou mais um domínio massacrante e nervoso do Flamengo.

No segundo tempo, tivemos mais que 70% de posse de bola e só conseguimos marcar um golzinho nos acréscimos, depois da única (eu disse única) jogada certa do Marcelo Cirino, que cruzou na cabeça de Eduardo da Silva.

Acho que só neste lance a torcida do Flamengo notou que o Cirino estava em campo.

Agora eu pergunto: de que adianta ter posse de bola, se você não sabe o que fazer com ela, é um time peladeiro, desorganizado, nervoso e precipitado?

O Gabriel entrou no lugar do Pará, errou vários passes, os quatro cruzamentos que tentou fazer e bateu um córner direto para fora, por trás do gol adversário.

Considero o Gabriel talentoso, mas muito ineficiente e insolente.

O Fluminense, morto em campo, sem saber como sair jogando, dava chutões e optava por fazer cera.

E o Flamengo errando passes... Não chutava a gol ou chutava errado... fazia faltas desnecessárias...

Aí fica difícil vencer.

Coitado do Cristóvão Borges, que estreou na direção do Flamengo com uma derrota.

Agora eu pergunto, de novo: pelo domínio e posse de bola infinitamente maior, merecíamos o empate?

Responda você... 

PASCHOAL AMBRÓSIO FILHO   

Nenhum comentário: