Pesquise no Flamengo Eternamente

Pesquisa personalizada

domingo, 17 de maio de 2015

TIME TRANSPARENTE

O Flamengo recebeu o honroso título de clube mais transparente do Brasil, pela sua administração séria. Na realidade, está fazendo bem um trabalho onde o clube começa a sair do buraco financeiro, pagando dívidas, impostos atrasados e economizando onde pode.

Mas, o nosso time também merece o título de o mais transparente do Brasil.

Alguém vê jogador em campo?

Uma cambada de desinteressados!

Na pelada de hoje contra o Sport Recife (aquele time que se diz campeão brasileiro de 1987), os jogadores do Flamengo ficaram todo o primeiro tempo sem chutar a gol e só decidiram correr e apresentar um futebol razoável (apesar de desorganizado) depois que estavam perdendo por 2 x 0 para os pernambucanos, aos 25 minutos do segundo tempo.

Na verdade, não jogou um futebol razoável. Jogou, como sempre, com garra e correria.

É que até o Pofexô Luxemburgo fica meio atordoado na beira do campo, vendo o time não jogar nada, já que ele, o técnico, não tem conseguido fazer com que esse elenco "dê liga".

Também, um técnico que prefere ter Almir como titular, não pode ser levado a sério.

Ainda mais tendo como opções Cáceres e Luiz Antonio, que se não são grandes coisas, são melhores que o preferido do Luxemburgo. Até o limitado e esforçado Márcio Araújo é melhor que esse Almir.

Será que o Luxa tá ficando senil?
Canteros brigou tanto que foi premiado com um gol

Nossa linha média tinha que ter um Williams, hoje representado pelo Jonas (o Williams era melhor e agora é titular no Cruzeiro), Cáceres, Canteros e Everton. No ataque, Paulinho (em melhores condições físicas) e Marcelo Cirino.

Um minuto depois, foi só o Flamengo apertar um pouco o Sport, que acabou marcando, através de uma jogada inteligente de Alecsandro. Ele poderia até ter marcado, mas preferiu dar um presente ao Canteros, um dos poucos que se salvaram neste time.

Aí, faltando dez minutos para acabar o jogo, o goleiro Magrão teve um sério problema no ombro direito e um jogador de linha, Diego Souza, entrou no gol pernambucano.

Conseguimos empatar o jogo, em 2 x 2, com Everton. O gol não saiu porque o goleiro não era goleiro de ofício. A bola foi na gaveta e entraria mesmo assim.

Mas, os atletas rubro-negros padecem de ansiedade crônica.

A partir daí, vendo que seria possível virar o placar, os rubro-negros passaram a errar mais passes, cruzar bolas de qualquer jeito na área adversária e a chutar de fora da área, sem a menor direção.

Complicaram o que poderia ser fácil.

Conseguimos um pontnho.

Com esse futebol, em pleno Maracanã, podemos começar a fazer contas.

Faltam 44 pontos para o Flamengo não ser rebaixado.

PASCHOAL AMBRÓSIO FILHO   

Nenhum comentário: