Pesquise no Flamengo Eternamente

Pesquisa personalizada

domingo, 26 de julho de 2015

O QUE HOUVE COM GUERRERO?

Paolo Guerrero não marcou o gol da vitória do Mengão sobre o Goiás, hoje, por 1 x 0, no Serra Dourada.

O que houve com ele?

Tá certo que foi dele o passe perfeito para o gol de Marcelo Cirino, que só jogou um pouco de futebol no segundo tempo, enquanto teve gás.

Cirino comemora o gol
com Alan Patrick e Guerrero
É gente, noitada em cima de noitada cansa, né, Cirino? O camisa 7 estava sem fazer gols há três meses.

Mas, voltemos ao Guerrero, que havia feito três gols em três jogos.

O técnico Cristóvão Borges e a comissão técnica precisam investigar porque o peruano não marcou nesta partida.

Claro que estou brincando, pois desde que ele chegou o Flamengo só venceu, mesmo com o time não jogando lá estas coisas. Podem fazer muito mais, pela capacidade que têm.

Mas, o motivo é fácil de saber.

Guerrero jogou isolado na frente, muito bem marcado pelos goianos e, algumas vezes, preferiu voltar um pouco e buscar a bola pelo lado esquerdo do campo.

Sem falar que Everton ficou sobrecarregado, já que Emerson Sheik não jogou, suspenso com três cartões amarelos.

No primeiro tempo o Goiás fez ótimas jogadas pela direita de nossa defesa, perdeu muitos gols e poderia ter definido o jogo, não fossem as boas defesas do César, que, só agora, que está para voltar ao banco de reservas, atuou bem nas duas últimas partidas.

No intervalo, o nosso treinador tirou o lateral-direito Ayrton, sem a menor necessidade, já que ele não tinha culpa de estar sendo envolvido pelo ataque do Goiás, e colocou o Pará (ninguém merece) em campo. 

Além disso, Márcio Araújo e Everton passaram a ajudar o lado direito da defesa. Com Pará ou com Ayrton, a casa ficaria (como ficou) arrumada por ali.

Acabou que conseguimos uma importante vitória fora de casa.

A conquista destes três pontos pode dar mais confiança ao time.

Ah... Ia esquecendo que tivemos a estreia do zagueiro César Martins, que veio emprestado do Benfica.

Ele jogou sem firulas e deu para sentir uma certa ansiedade nele, tanto que errou umas duas ou três vezes em jogadas fáceis. Mesmo assim, parece ter um bom poder de recuperação e ser um jogador tranquilo em campo, apesar de ter apenas 22 anos.

Domingo, no Maraca (é nosso) teremos o Santos pela frente, neste Brasileirão.

Do jeito que o Peixe anda jogando, é bem possível que a gente leve mais três pontos.

PASCHOAL AMBRÓSIO FILHO   

Nenhum comentário: