Pesquise no Flamengo Eternamente

Pesquisa personalizada

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Biguá: o lateral-direito do primeiro tri carioca

          Moacir Cordeiro, mais conhecido como Biguá, nasceu no dia 22/3/1921 e disputou 388 jogos pelo Mengão entre 1941 e 1953, marcando sete gols. Foi um dos maiores laterais direitos da história do clube por aliar raça e técnica e, segundo Ruy Castro, foi um dos primeiros laterais a defender e apoiar bem. Assim como Zico, Leandro, Junior e Carlinhos, Biguá só defendeu o Flamengo no Brasil. Fiquei encantada ao ler sobre Biguá no livro (e-book) O vermelho e o negro, de Ruy Castro (São Paulo: Companhia das Letras, 2012) que resolvi homenageá-lo na coluna desta semana.
        Biguá foi fundamental para a conquista do primeiro tricampeonato carioca conquistado pelo Flamengo (1942-1943-1944). O time rubro-negro do início da década de 1940 comandado por Flávio Costa contava com craques como o goleiro Jurandir, o fantástico Domingos da Guia, a famosa zaga formada por Biguá, Bria e Jaime; o genial Zizinho, ídolo de Pelé e um dos maiores jogadores do futebol brasileiro, Perácio, Pirillo, Valido e Vevé, heróis de toda uma geração de rubro-negros como o escritor Ziraldo e meu padrinho e tio José.
No Campeonato Carioca de 1942, depois de derrotar o Botafogo por 4 a 0 — com dois gols de Perácio, um de Pirillo e outro de Jaime e também com grande atuação de Biguá — o Flamengo empatou em 1 a 1 no jogo contra o Flu na última rodada. Pirillo marcou o gol rubro-negro e garantiu o título. O time que conquistou o campeonato deste ano foi Jurandir, Domingos da Guia, Newton, Biguá, Volante, Jaime, Valido, Zizinho, Pirillo, Nandinho, Vevé. A Charanga do Flamengo, primeira torcida organizada do Brasil, foi fundada por Jayme de Carvalho em um Fla-Flu no mesmo ano.
No ano seguinte, o argentino Valido foi trabalhar numa gráfica. Perácio o substituiu e o Flamengo foi bicampeão carioca. Vale destacar as goleadas de 6 a 2 no Vasco (dois gols de Perácio, dois de Pirillo, um de Zizinho e outro de Vevé) e de 5 a 0 no Bangu (três gols de Perácio, dois de Pirillo) nas rodadas finais da competição. O time bicampeão foi Jurandir, Domingos da Guia, Newton, Biguá, Bria, Jaime, Jacir, Zizinho, Pirillo, Perácio e Vevé.
            Em 1944, a missão do Mengão foi mais árdua. Domingos da Guia foi vendido para o Corinthians. Apesar da derrota por 2 a 1 na primeira partida contra o América, o Flamengo se recuperou e venceu o Botafogo por 4 a 1 no jogo seguinte com grande atuação de Zizinho que marcou dois gols. Pirillo e Biguá completaram o placar. Mas o Flamengo teve que superar muitas adversidades para conquistar o tricampeonato carioca. Durante o Carioca daquele ano, o atacante Perácio foi convocado para defender o Brasil na Segunda Guerra. Além disso, o técnico Flávio Costa teve vários problemas médicos para escalar o time no fim do campeonato carioca e resolveu chamar Valido de volta. O atacante jogou na goleada de 6 a 1 no Flu (com dois gols de Pirillo, um de Bria. um de Tião, um de Jaime e outro de Zizinho). No jogo final contra o Vasco, o Mengão teve de mostrar a verdadeira raça rubro-negra: Zizinho estava machucado, Pirillo estava com inflamação nos testículos e tomou medicamentos para entrar em campo; Valido estava gripado e febril. Estavam fora das condições físicas ideais, mas honraram o Manto. O Flamengo venceu por 1 a 0 e o atacante argentino marcou o gol do título de cabeça. Festa da torcida ao comemorar o primeiro tri derrotando o arquirrival cruzmaltino. O time tricampeão carioca foi Jurandir, Newton, Quirino, Biguá, Bria, Jaime, Jacir (Valido), Zizinho, Pirillo, Tião e Vevé.  Biguá, Bria, Jaime e Zizinho foram os únicos a disputar todos os jogos da competição.
         Indicado por Domingos da Guia, Biguá recusou propostas do Corinthians. Não aceitou jogar pelo clube paulista nem ganhando o dobro do salário que ganhava no Flamengo. Tudo por muito amor pelo Mengão. Biguá parou de jogar no início de 1953 e, segundo o livro O vermelho e o negro, de Ruy Castro, o lateral direito fez sua despedida num Flamengo X Botafogo em janeiro de 1954. Não jogou, mas foi reverenciado pelos jogadores e pela torcida rubro-negra. Entregou suas chuteiras a Carlinhos, jogador dos juvenis na época e que fez muito sucesso conquistando vários títulos como jogador na década de 60 e como treinador do Flamengo nos anos 80, 90 e em 2000.
             Adorei pesquisar sobre Biguá, um dos grandes ídolos da história rubro-negra, e recordar o primeiro tricampeonato carioca conquistado pelo Flamengo.

Fontes:
http://www.flaestatistica.com/jogadores.html
Castro, Ruy. O vermelho e o negro. Edição revista e ampliada. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.
Vaz, Arturo, Júnior, Celso e Filho, Paschoal Ambrósio. 100 anos de bola, raça e paixão: a história do futebol do Flamengo. Rio de Janeiro: Maquinária Editora: 2012.
Ziraldo. O mais querido do Brasil em quadrinhos. São Paulo: Globo, 2009.

domingo, 25 de janeiro de 2015

UÉ? JÁ SOMOS CAMPEÕES?

Pô, o ano mal começou, nem curamos a ressaca das festas e já somos campeões?

Vamos ter que comemorar de novo? Nova ressaca? Haja fígado... kkkkkkkkkk

Vai chegar taça nova lá na Gávea!

Taça nova para a coleção
Quer dizer que vencemos a Bambizada, por 1 x 0, e somos campeões do Torneio de Manaus?

Lá foi o Leonardo Moura, eterno capitão, para a sua árdua tarefa de levantar mais um troféu. Ainda bem que este é mais levinho, né?

Assim a mulambada vai ficar mal acostumada.

A galera colorida vai dizer que "era torneio amistoso".

Não interessa! Taça é taça! Ou vocês não estavam com vontade de ganhar umazinha agora?

Ô diretoria, não ilude muito, porque a galera vai achar que vai ser campeã de tudo este ano, que, como sabemos, não vai ser nada mole.

O time tem garra, disposição, dedicação, mas ainda falta muita, mas muita qualidade e entrosamento.

Calma, o Pofexô ainda tem muito a fazer...

O Marcelo Cirino, nossa principal contratação, hoje, foi uma caricatura em campo. Pouco se movimentou, não acertou quase nada que tentou e, quando arriscou uns poucos dribles, ficou na marcação.

Parece meio perdido e o Luxemburgo vai ter que orientar mais o menino.
Samir comemora o gol que marcou e garantiu o título

Melhor em campo?

Fico dividido entre o Samir, que estufou a rede do chato do Rogério Cênico, e o Luiz Antonio, que, além de ter feito o belo cruzamento para o gol, mudou totalmente o jogo a nosso favor, quando entrou no lugar do Everton.

Sei que sempre digo isso, mas vou dizer de novo: ainda vamos ver o Samir na Seleção Brasileira.

Quem também jogou bem demais foi o Canteros. Ao mesmo tempo ele foi o culpado do Flamengo não ter feito mais dois gols no São Paulo.

Em duas boas jogadas ele poderia ter passado a bola para um companheiro bem melhor colocado, mas foi fominha, tentou marcar e isolou a bola.

Merecia ter levado muita tapa na orelha no vestiário.

Bem, agora é esperar a estreia no Cariocão, sábado, diante do Macaé, para iniciarmos a nossa caminhada rumo ao bi do Rio.

PASCHOAL AMBRÓSIO FILHO   

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Calúnia do Rúbio Negrão

— Os americanos vão achar o Bin Laden, mas os blues não vão achar o 10 do Mengão...

— Cara, já acharam o Bin Laden!

— Morou, mané? Lamba os beiços com o Eduardo da Silva!

Esse foi o diálogo que travei com um camarada meu no boteco, entre uma água mineral sem gás e outra. O resto é especulação. Sim, claro, acho que virá mais gente, e gente gabaritada. Mas neste exato momento, o Luxa tem que preparar o time pra jogar com o que tem.

Posto isso, eis algumas impressões sobre o novo time do Flamengo 2014 modelo 2015, baseado nos jogos contra o Shakhtar Donetsk e o Asco Cagama. Bons testes, diga-se de passagem, porque colocaram o Mais Querido do Mundo (by Conmebol) contra um time europeu, que disputa campeonatos relevantes, e contra um time pé de chinelo de segunda divisão. Explico: é importante saber como o Flamengo atual se comportará diante de times grandes e pequenos.

Cenão vejemos e erremos: temos goleiros. Paulo Victor mostrou que é leiteiro (vão ao dicionário, por obséquio. Agora vão novamente), e o Cesar agarrou como gente grande, inclusive algumas bolas à queima-roupa. Sério, estou de boa com ambos.

Por outro lado, a lateral direita demonstrou que tem um ótimo reserva: Pará. Agora falta apenas contratar o titular, porque o Léo Moura não tem mais força nem pra correr do pau.

Já a zaga achei segura, tanto a titular quanto a reserva. Podem rir, mas gosto do Marcelo, que apesar de ainda cometer algumas lambanças terrestres, é muito seguro no jogo aéreo. Vai evoluir porque é jovem. Ainda treme um pouco com o sacrossanto manto.

E o tal do Bressan faz um saboroso feijão com arroz, sem falar que me pareceu ser bem gatinho, profissionalmente falando.

Samir, pra mim, é o titular absoluto, e Wallace, o titular obsoleto (espero que o dicionário ainda esteja aberto).

Na minha humilde opinião, a lateral esquerda tá OK: Pico e Thalyson disputarão a titularidade, com vantagem pro Pico, que só é gordo por fora. Por dentro é um  azougue (hoje vocês vão sair daqui direto pra Academia Brasileira de Letras).

A propósito, gostei muito do Thalyson, que além de jogar o seu macarrão ao sugo direitinho, calou a boca dos críticos que diziam que não conseguia cobrar laterais. 

Agora a meiúca: o Luiz Antônio não me passa pelo gogó. Torço contra mesmo. É mais forte que eu. Marcio Araújo a cada dia que passa vem provando sua utilidade. E a cada bola que passa, prova exatamente o contrário. Apesar de ser uma espécie de Zinho pereba, é um jogador bom pra se ter no elenco, principalmente se souber tocar um cavaquinho aceitável.

Canteros continua dando passes longos demais. Ou o raciocínio dos atacantes é que é curto demais. Jamais saberemos. Mas, hoje, é a cabeça pensante do time.

Cáceres logo, logo se tornará o queridinho do patrocinador, porque realça o fundo amarelo da Guaraviton no manto com seus inúmeros cartões da mesma cor.

Já o Mugni é aquilo: cara de criança, futebol de adolescente, salário de gente grande.

O Arthur Maia foi bem melhor: sabe bater na bola, sabe bater na bola, sabe bater na bola, e sabe bater na bola muito bem. Parece estar fisicamente inteiro, ao passo que Eduardo da Silva, o nosso 10 do momento, a quem considero excelente jogador, me passa uma leve e sutil impressão de estar completamente bichado. Infelizmente. Mesmo assim, se aguentar jogar os segundos tempos com alguma intensidade, certamente servirá e meterá gols. Jogador nível Europa. Grandes centros, of course.

Porém, o destaque absoluto da meia-cancha rubro-negra está sendo a ausência do Muralha. Como deu certo!

O ataque: que me perdoe o Sávio, mas o Cirino chega a ser lustroso de tão ensaboado. Um cara chato de ser marcado, e de marcar gols, então, nem se fala. Gostei foi do Nixon. Sinalizou que ainda tem o que crescer, sem precisar de penteados escalafobéticos pra se destacar. Usa um corte tradicional mesmo, bastante sóbrio, apesar de eu achar que um gel cairia bem. Digo, mais na parte de cima do cabelo. As laterais pode deixá-las secas. Recomendo um bom shampoo para cabelos normais, e condicionador apenas nas pontas. E nada de barba ou bigodinho. O segredo é o gel.

E o Alecgol finalmente provou algo muito, mas muito importante: ele não é craque.

O Everton? O Everton é um velocista fenomenal! Quando a bola consegue acompanhar o pique do nosso 22, é perigo de gol na certa!

E o garoto Gabriel tem tudo para estourar este ano. A carreira ou o joelho, o que acontecer primeiro.

Sendo assim, considero o time bom, mas não do tipo que realizará feitos impossíveis. Prova disso é que ontem não conseguiu perder pro Vasco.
  
E com isso me despeço dos leais detratores rumo às minhas mais que merecidas férias, até o dia 11 de março. E caso algum de vocês me, ou se pergunte como alguém que não trabalha pode tirar férias, responderei, altaneiro: o que trabalho tem a ver com férias? Ora, feijoada nada tem a ver com caipirinha; apenas são duas coisas que se completam. De modo que posso perfeitamente comer uma feijoada sem beber caipirinha, ou vasco-versa.

Afinal, o que me impede de tirar férias sem ter trabalhado? 

Duplex Toc Zen

1 - Quem disse que o time do Vasco é um catadão?: Longe disso. Pra catadão ainda falta contratar Cazalbé, Elano e Jobson.

2 - E já tem vascaíno dizendo que o Flamengo ganhou com gol roubado de novo: Só porque o Everton roubou a bola do Sandro Silva.

3 - Tem um jogador do time da Copinha que vai subir pros profissionais. Não direi quem é. Só direi quando: Já, já...

4 - O maior erro cometido pelo Flamengo em 2014 não foi um simples erro: Foi um Erazo.

5 - Anunciar a contratação do Walter do Flor é o tipo da notícia que jamais será verdadeira: Porque se não rolar será barrigada, e se rolar, também.

6 - A dieta da ilusão de óptica: Pro Pico ficar bem fininho basta contratar o Walter, e colocar os dois jogando na mesma faixa do campo.

7 - O mais indicado pra ficar na sobra da zaga é o Anderson Pico: Porque dizem que o Samir e o Wallace comem bem pouquinho.

8 - A preocupação do Pico não é o excesso de galinhas mortas no Cariocão: Sua preocupação é como prepará-las.

9 - Azar quem deu foi o goleiro do Santos: Quando pensou que finalmente iria se valorizar, começou a chover aranhas em SP. 

24 - Para evitar constrangimentos desnecessários, sugiro fortemente ao novo patrocinador do Fluminense que mude de nome: Para “Frescazzo”.

11 - Como o Vasco não vencerá o São Paulo nem a pau, nem vice do Super Series será: Terminaram os anos das vacas gordas. 

12 - Twitter Cassetadas da semana (em tempo real só em @rubionegrao)

Se você estiver precisando de alguma coisa, peça emprestado pro Rodrigo Caetano que tá facinho.

@leonidasbortoli Agora no Flu, a "Frescatto" estuda mudar o sexo, digo, o nome para "Frescaço".

Alguém já comeu o Anel de Lula da Frescatto?

"Marcelo Cirino precisa de ajuda dos seguranças para sair do tumulto."
O caminho das pedras pra sair do tumulto só Luxa sabe.

Pyatov, Ilsinho, Kryvtsov, Rakitskyi e Ismailly, Fernando, Fred, Welington Nem e Alex, Taison e L. Adriano
Onde que o Shakhtar é ucraniano?

O time do Shakhtar tem mais brasileiros que o do Flamengo.

Pênalti é loteria acumulada.

A bem da verdade, Copinha não vale porra nenhuma. O que vale é revelar jogadores.

Renato Maurício Prado é a Sonia Abrão do futebol.

"Shakira mostra barrigão ao lado de Piqué e confirma sexo do segundo filho."
Sim, o sexo foi com o Rafinha Bastos.

Pra quem não conhece o clube paraguaio de que sou dono: @rubionu1913
(Via @lavfilho.) 

"Zagueiro Erazo acerta com o Grêmio."
Quero ver agora ser Elegante usando roupa feia.

Os BBBs já estão se odiando ou ainda são BFF?

Já posso revelar: Messi no Flamengo agora em 2015 é chance zero.

"Eu fiz a falta. O juiz aí tá meio cego." - Bernardo.
Eu tô falando...

O fraco Vasco sofreu uma derrota digna. O difícil será conseguir manter-se digno até o fim do ano.

Hoje o Mugni jogou a pior partida da vida do Adrianinho.

Só 1x0 no Vasco? Se tivesse ido pros pênaltis teríamos ganhado de mais.

Muito legal a união que prega o Super Series, que junta no mesmo torneio dois times da Série A e um time da Série B.

Segundo o Dr. Roger Flores, Doriva foi vice com a Seleção em 98 na França.
Perfil vascaíno já tem.

Acho que esse Super Series será o último evento em que Flamengo x Vasco será chamado de "clássico".

E nada mais faço. Tô de férias.



(Ás do quinta-colunismo esportivo, Rúbio Negrão, vulgo Rubro-Negão Trolhoso, vulgo RNT, é cria dos juniores do blog da Flamengonet, e aceita doações de camisas oficiais novas do Flamengo no tamanho G.)

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Homenagem a Beto

            Joubert Araújo Martins, mais conhecido como Beto, nasceu no dia 7/1/1975. O menino nascido em Cuiabá (MT) recebeu esse nome em homenagem ao ex-zagueiro e técnico rubro-negro Joubert, campeão carioca como treinador em 1974. Beto disputou 132 jogos com o Manto Sagrado entre 1998 e 2002, marcando 32 gols.
Beto foi campeão brasileiro pelo Botafogo em 1995. O bom desempenho no alvinegro levou o meio–campo à Seleção vencendo o Torneio Pré-Olímpico para os Jogos de Atlanta em 1996 junto com nomes como Sávio, Caio e Roberto Carlos. Beto marcou na vitória do Brasil por 3 a 1 contra o Uruguai (Juninho abriu o placar; Beto ampliou em belo gol de cabeça e Juninho fez o terceiro) e no empate em 2 a 2 contra a Argentina (Os Hermanos fizeram 2 a 0, mas Beto marcou um golaço de em chute forte de fora da área e Sávio empatou). Beto só não jogou nas Olímpiadas de 1996 porque se machucou.
 Beto jogou pelo Napoli entre 1996 e 1997 e defendeu ainda o Grêmio antes de vir para o Flamengo, seu clube de coração. Com a camisa rubro-negra junto com nomes como Athirson, Reinaldo, Beto  conquistou o tricampeonato carioca (1999-2000-2001), a Copa Mercosul (1999) e a Copa dos Campeões em 2001.
Em 1999, o Flamengo ganhou a Taça Guanabara. O adversário foi o Vasco. . Athirson — aproveitando o passe de Iranildo numa jogada que fez jus à tradição rubro-negra pela garra e categoria — abriu o placar no início do jogo e Romário ampliou com um belo gol de canhota minutos depois. O time cruzmaltino ainda diminuiu numa cabeçada de Odivan e tentou empatar, mas o Mengão soube segurar o resultado. O Mengão disputou o título carioca com Vasco, vencedor da Taça Rio. No primeiro jogo da decisão as duas equipes empataram em 1 a 1 com gol de peixinho de Fábio Baiano ppara o Fla podendo-se destacar as defesas salvadoras do “São” Clemer. No segundo jogo, Rodrigo Mendes cobrou bem a falta sofrida por Caio e fez o gol do título, deixando o goleiro Carlos Germano parado e a torcida rubro-negra enlouquecida. O placar poderia ter sido maior, mas o juiz anulou um gol de Beto, alegando impedimento. Mesmo com os desfalques de Iranildo, Leandro Machado e Romário o time rubro-negro mostrou muita raça. E ganhar no peito e na raça, honrando as tradições rubro-negras, é bom demais!! O técnico rubro-negro era Carlinhos.
Outra conquista importante em 1999 foi a da Copa Mercosul. As duas partidas da decisão contra o Palmeiras foram eletrizantes. O Mengão venceu o primeiro jogo por 4 a 3. Show de emoção e garra. Juan abriu o placar para o Flamengo. Júnior Baiano empatou para o time paulista. Asprila virou para o Palmeiras. Caio empatou e Paulo Nunes fez 3 a 2. Mas era dia do Urubu voar alto. Caio marcou outro gol e Reinaldo garantiu a vitória rubro-negra no Maracanã com belo gol de cabeça após cruzamento de Athirson. No segundo jogo na casa dos palmeirenses novo sufoco. Arce pôs o time alviverde em vantagem. Caio empatou e Rodrigo Mendes virou o jogo com um golaço. Arce empatou de falta em falha de Clemer e Paulo Nunes marcou o terceiro do Palmeiras aproveitando lançamento de Zinho. Mas o jovem Lê marcou com frieza o gol de empate e que deu o título ao Flamengo.
Em 1999, Beto também conquistou a Copa América pela Seleção.
Em 2000, o Flamengo venceu novamente o  Campeonato Estadual. Depois de ter ficado em terceiro lugar na Taça Guanabara (vencida pelo nosso maior rival derrotando o Fla por 5 a 1 com show de Romário, que tinha voltado para o Vasco , e embaixadinhas de Pedrinho provocando a Nação), o Flamengo se recuperou ¾ graças à volta de Carlinhos ao comando da equipe e à raça e à união do time ¾ e conquistou a Taça Rio ao vencer o Friburguense por 3 a 1. (Os gols do Fla foram marcados por Reinaldo, Athirson e Fábio Baiano.) Athirson, em grande forma, foi um lateral-esquerdo muito ofensivo, marcando 10 gols, muitos deles em clássicos, sendo o grande destaque do Mengão no campeonato. Nas finais, o rubro-negro derrotou os vascaínos por 3 a 0 ¾ gols de Athirson (em linda jogada), Fábio Baiano (de falta) e Beto (de cabeça) ¾ no primeiro jogo. Athirson não pode jogar a segunda partida da decisão por sido pego no exame antidoping, mas mesmo assim o Mengão venceu por 2 a 1 ¾ gols de Viola para o adversário e de Reinaldo e Tuta para o Mengão em bela virada, conquistando o bicampeonato carioca. Na grande decisão, Beto fez embaixadinhas dando o troco da jogada vascaína na derrota da Taça GB e devolvendo o placar no resultado agregado dos dois jogos. Reinaldo foi o vice-artilheiro da competição com 15 gols.
No mesmo ano, Beto foi emprestado ao São Paulo, mas no ano seguinte voltou ao Mengão ajudando o time-rubro negro a conquistar mais títulos. Em 2001, o Flamengo conquistou o quarto tricampeonato estadual da história do Clube. Venceu o Vasco por 1 a 0 na semifinal da Taça GB com gol de Beto e se classificou para a final do turno. Ganhou a Taça Guanabara ao vencer o Fluminense nos pênaltis por 5 a 3 com gol espírita do lateral-esquerdo Cássio depois do empate em 1 a 1 no tempo regulamentar (gol de Reinaldo de falta para o Flamengo e de Marco Britto para o Fluminense).
O Flamengo decidiu o título carioca com o Vasco. No primeiro jogo o Flamengo perdeu por 2 a 1 (gols de Petkovic para o Flamengo e Viola e Juninho para o adversário). No segundo jogo, o Mengão venceu por 3 a 1. Edílson abriu o placar com um gol de pênalti depois que Cássio foi derrubado na área. Juninho empatou ainda no primeiro tempo. Edílson marcou de cabeça o segundo gol do Flamengo após o drible e o cruzamento preciso de Petkovic. O terceiro gol (o do tricampeonato, já que o Flamengo precisava vencer por dois gols de diferença para ficar com o título) foi marcado aos 43 minutos do segundo tempo numa cobrança de falta magistral de Petkovic no ângulo, à Zico. Edilson foi o artilheiro da competição com 16 gols. O técnico foi Zagallo. Vale lembrar que além de Edilson e Petkovic, Júlio César, Juan, Beto e Roma também fizeram um grande campeonato. O time tricampeão foi Júlio César (Clemer), Alessandro (Maurinho), Juan, Gamarra (Fernando), Cássio (Marco Antônio), Leandro Ávila, Rocha, Beto (Jorginho), Petkovic, Roma (Reinaldo e Adriano) e Edílson.
Em julho do mesmo ano, o Mengão venceu também a Copa dos Campeões, o que deu ao time rubro-negro o direito de disputar a Libertadores de 2002. Reinaldo foi decisivo. O Flamengo venceu o Bahia por 4 a 2 (dois gols de Reinaldo, um de Rocha e um de Edílson) e 2 a 0 (dois gols de Reinaldo). Empatou com o Cruzeiro em 0 a 0 no primeiro jogo e ganhou por 3 a 0 no segundo (gols de Petkovic, Edílson e Beto). O Mengão disputou o título com o São Paulo em duas partidas muito emocionantes. Na primeira, venceu por 5 a 3. Após a troca de passes entre Gamarra e Reinaldo, Edílson marcou o primeiro gol do jogo. Luís Fabiano empatou para o São Paulo. Reinaldo pôs o Flamengo de novo em vantagem no placar depois de receber um belo passe de Edílson. Beto marcou um golaço, ampliando o placar ainda no primeiro tempo. Na segunda etapa, Edílson fez 4 a 1. No entanto, o São Paulo reagiu e diminuiu com os gols de Rogério Pinheiro e Luís Fabiano. Mas o dia era mesmo de Edílson. O Capetinha deu um chutaço, que desviou em Rogério Pinheiro e entrou. No segundo jogo, o Flamengo perdeu por 3 a 2, mas levou o título graças ao saldo de gols. Kaká marcou o primeiro gol do São Paulo ainda no primeiro tempo. Juan empatou, ao marcar um gol de cabeça, aproveitando a cobrança de falta de Petkovic. Pet marcou um golaço de falta, virando o jogo. Quase no final, França ainda marcou os outros dois gols do São Paulo. Porém, o Mengão conquistou aa taça e a vaga na Libertadores do ano seguinte.
            Em meados de 2002, Beto deixou o Flamengo e foi para o Fluminense.
No ano seguinte, Beto teve curta passagem pelo clube japonês Consodale Sapporo e depois foi para o rival Vasco, conquistando o título carioca em 2003, junto com Pet.
Entre 2004 e 2006, Beto voltou ao Japão para defender o Sanfreece Hiroshima. Em 2007, Beto jogou pelo Itumbiara (GO) e depois pelo Brasiliense e nesse último clube disputou a Série B do Brasileiro.
Em 2008, Beto voltou ao Vasco, mas não obteve sucesso. Foi dispensado pelo clube por faltar a uma semana de treinos. No mesmo ano, foi para o Mixto (MT).
Em 2009, Beto jogou pelo Confiança (SE), clube da Série C do Brasileiro, e encerrou a carreira no CFZ de Imbituba, time da Segunda Divisão de Santa Catarina.
Atualmente, Beto é empresário do ramo de buffets junto com a mulher e mora no Rio.
Gostei de relembrar a carreira de Beto, jogador com passagens pelos grandes clubes do Rio e da Seleção. Obrigada por tudo que você fez pelo Flamengo e pela Seleção, Beto.

Fontes:
http://www.flaestatistica.com/jogadores.html
        http://www.flamengo.com.br/flapedia/Joubert_Ara%C3%BAjo_Martins
 http://www.flamengo.com.br/site/noticia/detalhe/20170/batizado-com-nome-rubro-negro-beto-completa-40-anos
      Vaz, Arturo, Júnior, Celso e Filho, Paschoal Ambrósio. 100 anos de bola, raça e paixão: a história do futebol do Flamengo. Rio de Janeiro: Maquinária Editora: 2012.




quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Calúnia do Rúbio Negrão

Sejemos cinseros e analfabéticos: não estou mais reconhecendo o meu Mengão.

Explico: após a era Zico, um período de exceção, me acostumei a ver um Flamengo pujante, agressivo, audacioso, incapaz de se contentar com menos do que os grandes jogadores do cenário mundial, como, por exemplo, Romário, Alex Soneca, Adriano e Ronaldinho Gaúcho. Um Flamengo que não temia abrir mão de Djalminha e Marcelinho Carioca por saber que no dia seguinte contrataria gente mais famosa e qualificada.

Pois bem: o Flamengo passou a ser conservador, a gastar seu rico dinheirinho (obrigado, Tio Patinhas!) em pagamentos de débitos, talvez por não mais possuir aquelas mentes de vanguarda que visavam sempre o futuro, vislumbrado como um lugar mítico para onde despachavam as dívidas e os problemas. O amanhã rubro-negro deixou de ser a morada de deuses do futebol com poderes de fazer desaparecer rolos e falcatruas, passando a ser um lugar chato e aborrecido, de continhas pagas, comida na geladeira, uma mulher feia e cinco filhos pra criar, sendo um deles meio afeminado.

Onde foi parar a nossa grandiosidade? Quem nos curou de nossa loucura? Cadê o Vagner Love que não chega, porra?

Cenão vejemos e errremos: não temos na Gávea atual ninguém, repito, ninguém criativo o bastante para elaborar alguma engenharia financeira que nos traga um Podolsky, ou mesmo um Drogba. Eu diria que uns 5 ou 6 anos atrás, tais contratações seriam operações internacionais tão simples quanto encomendar um livro na Amazon. Só que não, pois nos tornamos pães-duros incorrigíveis. 

Ora, dinheiro é apenas papel e tinta! Eternas só as glórias que ele pode proporcionar. Vejam só o Grêmio, meus leais detratores: comprou o Rodrigo Mendes no ano 2000 sem ter grana para pagá-lo. Hoje, 15 anos depois, resolveu ou não resolveu a pendenga? Resolveu ou não resolveu?!

Assim sejendo, em português horrendo, quede aquelas bombas sensacionais que qualquer insider de 9 anos de idade detonava sem medo de ser feliz? A verossimilhança é coisa de gente pobre e tacanha, que se contenta em anunciar contratações possíveis, como a de Concas e Marcelo Cirinos da vida. Quando foi que nossos dirigentes perderam a capacidade de fazer mágica com a nossa imaginação, de realizar milagres com o dinheiro público e alheio?

Afinal, isto aqui é Flamengo ou não é?


Duplex Toc Zen

1 - “Quando Vanderlei fala rápido, não entendo nada, mas ele também fala espanhol.” – Tito Canteros: Sei. E o Sebastião Lazaroni também fala português, o Joel também fala inglês, e Papai Noel também existe.

2 - Como até hoje estou com pena do Luiz Antônio por causa do pau que levou do Flamengo na justiça, darei a ele uma dica: Pode entrar com tudo na Justiça Trabalhista contra o Botafogo e o Santos, que tá molinho! Vai que é tua, Luizão!

3 - “Chuva não chega ao Cantareira, que volta a cair”E é bom Fluminense e Vasco também começarem a rezar por chuva, pra não irem pelo mesmo caminho.

4 - A diferença entre Vasco e Palmeiras?: Um está montando um catadão, e o outro, um “contratadão”.

5 - Do jeito que vem torrando grana no Palmeiras, logo, logo Paulo Nobre mudará de nome: Para Paulo Pobre.

6 - E daí que o Thallyson tem um problema na mão?: O único jogador de linha pra quem as mãos fazem falta é o Ronaldinho Gaúcho.

7 - O Fluminense está prestando um importante serviço ao Ministério Público ao mostrar a quantas anda a saúde no Brasil: Você fica anos e anos num plano de saúde, e quando você mais precisa ele não dá cobertura.

8 - Explicando as situações de Fred e Conca para os leigos no futebol: Eles estavam na suíte master do Barra D’Or, e foram transferidos para o ambulatório do Salgado Filho. 

9 - “Vasco não chega a acordo com Lanús e desiste de contratar Santiago Silva”Pra variar, acabou ficando em segundo plano.

Falta o 10 - Algum garoto do time do Fla na Copinha já leu a obra completa de Tolstói ou Dostoiévski?: Então não vão prestar.

11 - Twitter Cassetadas da semana (em tempo real só em @rubionegrao)

“Pico é um queniano se comparado com o Walter.” – Bcbfla@ButecodoMengo

@_stompy 400 mil ganha o Rafael Moura? Se jogasse bem, então, ganharia 1 milhão. 

Aí o cara me chamou de alienado só porque perguntei quem era o Charlie Hebdo, em que posição jogava, e se vinha mesmo pro Mengão...

"Egito absolve 26 homens acusados de serem gays."
Pronto. Já voltaram pro armário.

"Ronaldo é apresentado como sócio de time e fala em jogar."
Só ser for salada mista.

Esse Douglas Baggo é pica.

Só não pode bater pênalti em final. @sergiomrvieira se ele jogar no profissional 20% do que o Roberto Baggio jogou, o Mengão tá no paraíso.

Abre o teu olho, Cerveró!

E nada mais faço porque tô duro, e não tenho acesso a dinheiro público.

(Ás do quinta-colunismo esportivo, Rúbio Negrão, vulgo Rubro-Negão Trolhoso, vulgo RNT, é cria dos juniores do blog da Flamengonet, e aceita doações de camisas oficiais novas do Flamengo no tamanho G.)

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Piá: o lateral-esquerdo Mengão no início dos anos 90

Marcus Vinícius Pedro Nogueira, mais conhecido como Piá, nasceu em 16/10/1969 e disputou 221 jogos pelo Mengão como lateral-esquerdo entre dezembro de 1989 e novembro de 1993, marcando seis gols com o Manto.
Em 1990, junto com Junior, o maestro do meio campo, o volante Zinho, o atacante Gaúcho e o goleiro Zé Carlos, Piá conquistou seu primeiro título pelo Mengão: a Copa do Brasil. A final foi contra o Goiás e o Flamengo venceu por 1 a 0 no primeiro jogo (gol de Fernando) e empatou em 0 a 0 na segunda partida, conquistando pela primeira vez a competição.
O lateral–esquerdo fez parte de uma geração de jogadores revelados na base do Fla como Nélio, Djalminha, Marcelinho Carioca e Paulo Nunes, Júnior Baiano e que a partir de 91, junto com o lateral direito Charles Guerreiro e os  mais experientes Júnior, Gottardo, Zinho , o goleiro Gilmar e Gaúcho, deu ainda mais alegrias à Nação. Nesse mesmo ano, o Flu venceu a Taça GB  e para chegar à final, o Mengão — comandado por Júnior e que tinha como técnico Carlinhos—  precisava vencer a Taça Rio. Depois de um empate emocionante em 2 a 2 no  jogo contra o Botafogo ( o Fla abriu o placar com Gaúcho e Zinho fez o segundo com direito a um frangaço do goleiro Ricardo Cruz, o alvinegro empatou com dois gols de Carlos Aberto Dias), foi necessário realizar  um jogo extra entre as equipes para definir o campeão do turno. O Flamengo venceu por 1 a 0 com gol de Gaúcho, aproveitando cruzamento preciso  de Charles Guerreiro. Piá foi expulso assim como o jogador alvinegro Chicão. Mas mesmo assim, o Fla teve raça e segurou o resultado evitando o tri do time da estrela solitária.
Na final do Campeonato Carioca o Flamengo enfrentou o Fluminense. Na primeira partida, o Fla-Flu terminou empatado em 1 a 1 (gols de Ézio para o Flu e Paulo Nunes para o Fla) e no segundo jogo o Mengão venceu por 4 a 2. Èzio abriu o placar para o Tricolor.  Uidemar empatou. Piá cruzou na medida para Gaúcho marcar um golaço de cabeça e virar o jogo. Zinho marcou o terceiro gol rubro-negro em chutaço de fora da área. Ézio diminuiu para o Flu. O Maestro Júnior marcou o quarto gol do para o Mengão coroando sua atuação no comando da equipe.
No ano seguinte, o Flamengo sagrou-se Pentacampeão Brasileiro com destaque para o desempenho de Gilmar, Junior, o maestro do time aos 38 anos, Piá, Gottardo, Zinho, Nélio e Gaúcho. O Flamengo decidiu o título contra o Botafogo e venceu o primeiro jogo da final por 3 a 0 e Piá participou da jogada de dois gols rubro-negros. Zinho cruzou ara Piá, que tocou para trás. Gaúcho deixou para Júnior , que deu um chutaço de primeira e abriu o placar. Nélio marcou o segundo gol chutando entre as pernas do goleiro alvinegro, Ricardo Cruz. O camisa 6 cruzou na cabeça de Gaúcho, que  fez o terceiro.
Com o Maracanã lotado pela torcida rubro-negra, o segundo jogo da final ficou marcado pela queda de parte da grade da arquibancada mantando três torcedores e ferindo mais de 90 pessoas. Mas felizmente nem tudo foi trágico. Flamengo e Botafogo empataram em 2 a 2. Piá tocou para Zinho, que sofreu falta de Renê, que foi expulso. Júnior cobrou e marcou fez um golaço   antológico comemorado com euforia e paixão. Piá rolou para e Júlio César Imperador, que fez o segundo do Fla. (Pichetti e Valdeir marcaram para o Bota). Mengão conquistou o quinto título brasileiro da história do clube.
Após sair do Flamengo ao perder espaço para Marcos Adriano, Piá jogou por vários clubes entre eles União da Madeira (Portugal), Santos e Gama. Piá também joga pelo time de Masters do Flamengo junto com ídolos como Adílio e Rondineli..
Bom recordar os bons momentos de Piá com o Manto Sagrado.

Fontes:
https://www.youtube.com/watch?v=zfMgmz1awz8
http://www.flamengo.com.br/site/noticia/detalhe/19696/pia-completa-45-anos
Filho, Paschoal Ambrósio. 6X Mengão. Rio de Janeiro: Editora Maquinária, 2010.
———, Vaz, Arturo e Júnior, Celso. 100 anos de bola, raça e paixão: a história do futebol do Flamengo. Rio de Janeiro: Maquinária Editora: 2012.



quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Calúnia do Rúbio Negrão

Sejemos cinseros e analfabéticos: essa bobagem de resolução de ano novo nunca me incomodou. Nunca me incomodou porque nunca a fiz. Ora, se acordo no meio da tarde, e fico coçando o resto do dia, melhorar em que, se a vida já tá perfeita?

Só que alguns amigos que me sustentam vieram com a palhaçadinha de que estava na hora, maldita hora, de eu arrumar alguma coisa pra fazer. Alguma coisa remunerada, deixo claro, porque de coisas pra fazer a minha agenda vive lotada: comer, beber, dormir, fumar, regar as plantas, beber, tomar banho, escovar os dentes, acompanhar dia a dia do Flamengo, beber, e ainda fiscalizar a natureza da rua inteira, desde a minha janela até a esquina lá longe, onde fica a padaria do Afonso. 

Assim sejendo, em português horrendo, agradeci a nobre tentativa de me transformar no que eles chamam de “homem de bem”, mas tirei o corpo fora.

Mesmo assim, meus leais detratores, os caras deixaram uma folha de papel em cima da mesa da sala, com algumas carreiras que eu poderia seguir, com os devidos cursos ou faculdades ou Pronatecs pagos por eles. Vejam vocês! Perder tempo precioso justo em 2015, quando parece que o Mengão dará um salto de qualidade, e vai passar a disputar todas as competições com chances reais de vencê-las!

De modo que preenchi a tal lista com minhas respostas, da forma mais clara que pude, a fim de não deixar nenhuma dúvida de que não pretendo perder minhas horas, minutos e segundos com outra coisa que não seja o ócio produtivo.

Cenão vejemos e erremos:

Padeiro? Nem em sonho!

Historiador? Nem em mil anos!

Lutador de MMA? Nem na base da porrada!

Veterinário? Nem que a vaca tussa!

Urologista? Nem a pau!

Técnico em análises clínicas? Nem kgando!

Coveiro? Nem morto!

Astrólogo? Nem que o céu se junte com a Terra!

Presidente? Nem por decreto!

Ator pornô? Nem phodendo! 

Jogador de futebol? Nem pensar!

E ainda acrescentei no fim da lista que só existe uma única e solitária maneira de eu “trabalhar”: de graça.

Porque vocês sabem: se não envolver salário, tecnicamente não é trabalho.


Duplex Toc Zen

1 - O Marcelo Cirino é mesmo um jogador diferenciado: Não tem pescoço.

2 - Só vindo pro Fla o Conca será um grande meia: Porque no Flu é só meinha.

3 - Segundo o Arthur Muhlenberg, o Gauchão e o Mineirão são disputas de par ou ímpar entre Grêmio e Internacional, e Cruzeiro e Atlético-MG: E segundo o Mauro Neves, o Cariocão se tornou disputa de par ou ímpar entre Flamengo e Macaé.

4 - “Apesar da chuva, nível do Cantareira cai pelo 2º dia”Mesmo assim, o nível do Big Brother Brasil será ainda menor.

5 - Aliás, o Vasco bem que podia mudar de nome: Pra Clube de Regatas Cantareira.

6 - “Com reforços, Fla realiza primeiro treino em Atibaia e pega antigo bonde”: QUE SUSTO! Era apenas o bondinho do hotel, mas pensei que o Flamengo tinha repatriado o Carlos Eduardo! 

7 - Sem exagero nenhum: Do jeito que o Everton e o Marcelo Cirino farão chover bolas na área adversária, até o Adriano sentado numa cadeira de rodas iria deitar e rolar.

8 - Se o Conca tem medo de vir pro Mengão por causa da fúria das tricoletes?: Alguém aqui já viu argentino desconfortável em ser odiado?

9 - Dinheiro fácil: Não entendo como os editores de O Fuxico, Contigo e Caras ainda não perceberam a mina de ouro que seria publicar uma revista de fofocas voltada para as contratações do Flamengo.

2015 - Neste ano, torço muito pro Flamengo montar um time imbatível e irresistível: Que é pra eu poder acompanhar as desgraças do Vasco, Botafogo e Fluminense sossegado.

11 - “Aposentado do futebol, Richarlyson se arrisca no vôlei”Só não espere que ele dê umas cravadas.

12 - “Alckmin diz que vai enviar projeto de passe livre”: Bem na hora! Agora o Conca vai conseguir se livrar do FluminenC!

13 - “Luiz Antônio passa mal em treino do Flamengo em Atibaia”Como se em jogo ele passasse bem...

14 - “Empresário de Santiago Silva confirma contato com o Vasco: ‘Tem chance’Sim, chance zero.

15 - Twitter Cassetadas da semana (em tempo real só em @rubionegrao)

Trabalhar é fods SEMPRE! @marconovanta trabalhar ano novo é fods...

Seja bem-vindo, Messielo Cirino! 

"Todo jogador que pensa grande, pensa jogar no Fla." - Marcelo Cirino
O jogador nem precisa pensar grande: apenas pensar já é o suficiente.

"Péssimo negocio. Emprestar o Leo de graça, depois de pagar uma grana alta por ele. E ficar com a múmia do LM." - @aplsilva@ButecodoMengo

2015 começa com boas novas! @alextriplex retorna à crônica esportiva, porque sua ausência estava fazendo falta: https://bemvestidos.wordpress.com/

"A diretoria do fruminenC está com um pepino na mão, mas, dessa vez não está feliz!" - mengoeuteamo@ButecodoMengo 

A proposta do Flamengo pelo Conca colocou o Tricolor contra a parede.
E ele está a-man-do!

BOMBA!
Fla tenta o retorno de Carlos Eduardo, a tal contratação q vai parar o aeroporto.
Porque a torcida não permitirá que ele desembarque.

Na onda do @llmarcello, o Conca seria uma contratação cirúrgica, e cirurgia é com a Unimed.

A única explicação plausível que encontro pra ida do Léo pro Inter é ele ter cometido alguma indisciplina.
Tipo jogar mais que o Léo Moura.

Se vier pro Mengão, o Conca vai tomar umas porradas na rua, sim. Mas e daí? O que são umas porradas comparadas a jogar no maior do mundo?

BOMBA!
O último impasse a ser contornado na negociação pelo Conca: Fla oferece Muralha e LA, e Flu só faz negócio se os 2 não entrarem nele

Na "chance zero" ainda levo alguma fé. Não acredito mesmo é nos "99% certo".

@AyrlonnGalvao @alevougo De qualquer forma as coisas se encaixam. Mas acho q virá o Conca mesmo, porque os gambás estão devendo até o cheiro

Após jogar no Vasco, na China e no Fluminense, aos 31 anos Conca tem finalmente a chance de jogar em time grande.

Assim como o Arthur Maia, o Conca sempre jogou bem em times pequenos.
Será que suportará o peso da camisa?

Marcinho, Julio dos Santos, Jean Patrick, Christiano, Bruno Ferreira, Lucas, Aislan, Victor Bolt, Erick Luis...
O Vasco vem forte pra 2015! 

Calma, Peter. Com a grana pelo Conca você consegue fácil Glaydison, Diego Rosa e Audálio do CRB.

Amanhã será o grande dia: o Vasco fechará ou não com Matheus Índio?

DICA PRO CAETANO
Se o Fla propuser trocar Luiz Antônio, Muralha e Negueba pelo Conca no pau a pau, o Flu vai aceitar ficar só com os paus.

Copinha: 9 gols em 2 jogos.
Levo fé no Douglas Baggio por 1 simples motivo: foi o ÚNICO jogador do Fla q não correu pra câmera ao marcar gol

Esse garoto Jajá é um belíssimo espécime, hein? Forte bagarai, lembra muito o Adriano levando a defesa inteira de roldão.
Parece ter futuro.

O 10 pretendido pelo Fla é do sexo masculino, já jogou por outros clubes e só depende do fechamento do negócio para se apresentar.
Sigam-me!

O meia joga no Brasil e o lateral-esquerdo joga água fora da bacia?
Jadson e Richarlyson?

Depois o Vasco cai de novo e ninguém sabe o porquê...

"Maternidades estaduais do Rio tornam obrigatório o teste da linguinha."
Boa medida a ser adotada também em motéis.

@TiagoSouza43 Se esse Romarinho jogar 20% do que o pai jogou, ferrou pra nós!

Vem cá: esse Romarinho que o Vasco contratou é o original (filho do Cara) ou o genérico (que joga nos gambás)?

"'Não estamos indo ver o Mickey', diz R. Augusto antes de viagem aos EUA."
Pateta?

@ehcampelo @PedradaRN Olha, se ainda entrar a logo da Unimed no manto sagrado, não vai caber o jogador dentro.

E nada mais faço, nem de graça.



(Ás do quinta-colunismo esportivo, Rúbio Negrão, vulgo Rubro-Negão Trolhoso, vulgo RNT, é cria dos juniores do blog da Flamengonet, e aceita doações de camisas oficiais novas do Flamengo no tamanho G.)