Pesquise no Flamengo Eternamente

Pesquisa personalizada

quinta-feira, 31 de julho de 2014

Calúnia do Rúbio Negrão

Sejemos cinseros e analfabéticos: e daí que Robinho esteja velho? E daí que só o Milton Neves acredite que ele será o novo Pelé? E daí que as noites cariocas sejam capazes de transformar um abstêmio convicto num consumidor de Cinzano, desses de “dez conto” nas boas casas do ramo?

E daí?

Estou escrevendo aqui uma coluna sobre futebol, e não um tratado sobre lógica. De modo que o Robinho, mesmo um tanto idoso de corpo para o esporte bretão, ou outro tanto jovem demais de mente para a night, brincaria de jogar bola nas peladas de luxo disputadas em estádios padrão FIFA que o Brasileirão nos proporciona semanalmente. E outra: até o Adriano Imperador, se ainda conseguisse andar, disputaria a artilharia de 2014!

Daí, deu pra perceber que não ficarei chateado caso o Robinho surja com o sacrossanto manto ainda nesta semana. De graça, ainda melhor. “De sóbrio”, então, melhor ainda.

Agora o Cruzeiro. Cejemos cinseros e analfabéticos: acho que 18 pontos de dianteira está mais do que justo, não? Tá boa essa vantagem, Cruzeiro? Porque só agora o Mengão começou a disputar o campeonato à vera. Donde espero que em dezembro os arcoirenses admitam o nosso hepta com hombridade, sem choro, desculpas ou tapetões.

E agora, pra finalizar, o Luxa. Já começou a tirar cartas da manga. Como não? Meus leais detratores: quando o Luxa tira cartas da manga, duas coisas podem acontecer, sendo uma delas título. A outra, infelizmente, chama-se dívida.

Longe de mim fazer um trocadilho infame, coisa que não é do meu feitio, mas é fato que uma semana atrás o Flamengo estava no buraco, até o canastra do Luxa ser convocado. Agora, é uma mera questão de paciência.

Duplex Toc Zen

1 - O que a vitória do Mengão sobre o Botafogo prova?: Prova que em apenas dois dias o Luxa conseguiu transformar um bando desorganizado num time de peladas.

2 - Olho no calendário, seu Adriano Galliani!: Se o seu leilão pelo Robinho demorar muito, daqui a pouco já estará na hora de ele se apresentar ao Orlando City.

3 - “O Sheik socorre alguns atletas financeiramente.” – Vagner Mancini: Antes de dizer que acho bonito, prefiro esperar pra saber qual a taxa de juros que o Emercenário tá praticando.

4 - Apesar de se machucar muito, o Cáceres só tem um defeito: Ter nascido com defeito.

5 - Diálogo entre gerações: Alguém tem que avisar os jovens boleiros do futebol brasileiro que ser um jogador moderno não significa cortar o cabelo e a barba na última moda.

6 - “Segundo BID da CBF, Emerson e Edilson não poderiam jogar o clássico contra o Flamengo”: Ué! E jogaram?! 

7 - Palmeirenses depredaram a Arena Corrupção após o jogo contra o Corinthians?: Lamento muito, mas espero que o Governo não envie a conta da restauração do estádio pra minha casa.

8 - E já que falei em Milton Neves, a seguir o Momento Merchan: “Café Pelé. O pereba dos cafés.” #TroçoRuimBagaraio

9 - E ao Alexandre Kalil, que ultimamente vem achando que o Patétrico-MG é grande: Quando alguém diz “Flamengo”, todos sabem que não é o do Piauí nem o de Guarulhos, mas quando alguém fala “Atlético”, logo se pergunta: “Qual deles?”

1-1-6 - Se liga, Kalil: O Flamengo não é grande porque tem Mundial, Libertadores e Brasileirões. O Flamengo é grande porque nunca foi rebaixado.

11 - Calúnia também é cultura: A mascote do Botafogo é um cachorro porque cachorros enxergam o mundo em preto e branco. 

12 - Veterano puxando fila em treino físico no Ninho do Urubu?: Só se o Luxa instituir a fila para idosos.

13 - Se o Adriano terminou no A.A. (Alcoólicos Anônimos), o Ronaldinho Gaúcho vai acabar onde?: No O.O. (Onanistas Onônimos)? 

14 - Twitter Cassetadas da semana (em tempo real só em @rubionegrao)

Tô nem aí se o Vanderlei Luxemburgo é um treinador ultrapassado. Pelo menos é treinador.

Aproveite pra ler a Calúnia enquanto ainda é de graça, porque amanhã poderei estar pagando pelo seu tempo. 

É impressionante como o nosso departamento médico ficou vazio quando o Ney Franco foi embora...

O Luxa é treinador mesmo. Arrumou a bagaça em 2 dias.

Cáceres é um monstro! Um leão! Jogador de Seleção brasileira!

Tremei, arcoirenses: começou o Brasileirão pro Mengão.

Se o Cáceres não se encangalhou de vez hoje, não se escangalha nunca mais. Só cavalo no time do Botafogo.

O mérito do Luxa nem foi a escalação do time, mas sim a barração dos jogadores certos.

Por que o Maduro se veste como um palhaço?

Além de focado e profissional, o Cáceres é um excelente jogador. Só tem um defeito: quando não tá machucado, tá suspenso.

E nada mais faço, contanto que o Mengão continue fazendo 3 pontinhos por jogo.

(Ás do quinta-colunismo esportivo, Rúbio Negrão, vulgo Rubro-Negão Trolhoso, vulgo RNT, é cria dos juniores do blog da Flamengonet, e aceita doações de camisas oficiais novas do Flamengo no tamanho G.)

terça-feira, 29 de julho de 2014

Dequinha

José Mendonça dos Santos, o Dequinha, nasceu no dia 19/3/1929 em Mossoró e defendeu o Flamengo em 384 partidas entre 1950 e 1959, marcando oito gols.
Dequinha começou a carreira no Atlético de Mossoró em 1945 e no ano seguinte jogou no Potiguar. Em 1947, Dequinha defendeu o ABC de Natal e foi campeão estadual.  Em 1949, o meio-campo virou ídolo do América de Recife e deixou saudade na torcida quando veio para a Gávea.
Dequinha veio para o Flamengo em 1950 e virou titular do time no ano seguinte. Dequinha era raçudo e no livro Os dez mais do Flamengo, de Roberto Sander Evaristo de Macedo, que jogou com o meio-campo na campanha do tricampeonato carioca de 1953-1954-1955, descreve Dequinha como “um jogador altamente técnico. A mesma facilidade que tinha de tomar a bola do adversário, ele também tinha para fazer um passe ou dar um lançamento de longa distância” (p. 70). O talento de Dequinha também serviu de inspiração para Carlinhos, que na década de 60 o substituiria na posição de volante do time rubro-negro. 
Dequinha era capitão da equipe do Flamengo conhecida como “Rolo Compressor” e participou de todos os jogos da campanha do segundo tricampeonato carioca da história do clube, sendo fundamental para essa conquista junto com craques como Garcia, Pavão, Jadir, Jordan, Rubens, Evaristo, Benitez, Zagallo, Esquerdinha, Índio, Paulinho, Joel e Dida. O técnico era o paraguaio Fleitas Solich.
Dequinha marcou dois golaços de fora da área na goleada por 5 a 0 contra a Portuguesa no Campeonato Carioca de 1953. Os outros gols rubro-negros foram marcados por Servílio, Índio e Benitez. Nessa competição ,o time rubro-negro realizou uma campanha espetacular ganhando 21 jogos e sendo derrotado apenas duas vezes. Na penúltima rodada, o Flamengo venceu o Vasco por 4 a 2 com gols de Esquerdinha, Índio e dois gols de Benitez e conquistou o título carioca .Na última rodada, o Mengão venceu o Botafogo por 1 a 0 com gol de Rubens coroando a brilhante campanha. 
Em 1954, o Flamengo continuou avassalador sempre contando com a liderança de Dequinha e obteve 19 vitórias em todo o campeonato, sendo derrotado apenas duas vezes e confirmou o título ao vencer o Vasco por 2 a 1 (gols de Índio e Paulinho). Antes da última rodada do campeonato, o Flamengo fez um amistoso contra o Estrela Vermelha e venceu por 4 a 1 com dois de Evaristo, um de Zagallo e outro de Babá. Na última rodada, com direito a Carnaval em pleno Maracanã, o Flamengo derrotou o Bangu por 5 a 1 com gols de Benitez, Paulinho, Índio, Evaristo de Macedo, Edson (contra).
No mesmo ano, Dequinha fez parte do grupo que defendeu Seleção Brasileira na Copa do Mundo da Suíça, ficando na reserva junto com Rubens.
Em 1955, Dequinha marcou o gol da vitória do Flamengo por 1 a 0 no clássico contra o Botafogo com uma bomba que bateu no travessão antes de entrar. Na final do Campeonato Carioca de 1955 realizada somente em 1956, o Flamengo venceu o América por 1 a 0 no primeiro jogo (gol de Evaristo), perdeu por 5 a 1 no segundo e venceu por 4 a 1 na terceira partida com três gols de Dida e um de Duca, sagrando-se tricampeão carioca (1953-1954-1955) pela segunda vez.
Dequinha é um exemplo de jogador que agrada a Nação Rubro-Negra pela raça e técnica e marcou a história do Flamengo. Dequinha faleceu em 1997.
Fontes:
Sander, Roberto. Os dez mais do Flamengo, Rio de Janeiro: Editora Maquinária, 2008.



domingo, 27 de julho de 2014

Tá na hora da virada

Torcida acreditando. Flamengo unido. A hora é agora.

Pra cima deles, Mengão

Mas depois de sair da lama, tem muita coisa que precisa mudar....

Vale a Pena Ver de Novo - Há 3 anos, um certo 5x4.

Neste 27 de julho, há exatos 3 anos, aconteceu um dos jogos mais incríveis da história do Brasileirão. A sensacional virada do invicto Flamengo contra o campeão da Libertadores em pleno poleiro da Vila Belmiro.



O placar e os gols dizem por si só. Vamos rever.






sábado, 26 de julho de 2014

Recordar é Viver II - Cai um tabu histórico!

Neste 26 de julho, além de comemorarmos o aniversário da conquista da Copa do Brasil contra nosso arquirrival e freguês, também é um dia a ser festejado por nós. 

Há exatos 5 anos, em 2009 o Flamengo dava o primeiro passo na dura caminhada rumo ao Hexa, derrotando de virada o Santos por 2x1. Estreava o técnico Andrade, um dos responsáveis pela conquista nacional, e que após o jogo dedicou a vitória ao goleiro Zé Carlos, que dias antes havia morrido. 

Vamos rever os principais lances do jogo:


Recordar é Viver: Bicampeonato da Copa do Brasil

Neste Sábado temos mais uma data especial a ser lembrada. 
Neste dia, em 2006, conquistávamos pela segunda vez a Copa do Brasil. 

Um título duplamente comemorado pela imensa nação rubro-negra, porque o vice foi nosso eterno rival e freguês, o Vasco. 

Depois de ter passado sufoco para se manter na primeira divisão no ano anterior, o Flamengo começou 2006 com o pé esquerdo. Seguidos tropeços para os chamados clubes pequenos deixaram o Flamengo eliminado prematuramente da Taça Guanabara, e depois da Taça Rio. 

O time, que começou o ano com Adílio de técnico, começou a Copa do Brasil com Valdyr Espinosa, que foi demitido devido aos maus resultados no estadual, só comandando o time no jogo de ida, em Arapiraca contra o ASA. O clube trouxe Waldemar Lemos, e com ele o time evoluiu, e foi avançando de fase na Copa do Brasil, onde no ano anterior havíamos sido eliminados nas 8as de final pelo Ceará, na pior participação do clube no torneio. As goleadas nos jogos de ida contra Guarani e Atlético Mineiro deixaram o time com a classificação bem encaminhada para as fases seguintes. 

Após passar com dificuldade pelas semifinais pela surpresa da competição, o Ipatinga, o Flamengo surpreendeu ao demitir Waldemar Lemos e contratar o técnico do time mineiro, o então desconhecido Ney Franco. As finais foram após as férias causadas pela copa de 2006. O adversário seria o Vasco, que já havia eliminado dois times do RJ: O Volta Redonda nas 4as de final e o Fluminense nas semifinais. 

As duas finais foram no Maracanã, que ainda passava pelas obras do Pan de 2007. No jogo de ida, o Vasco, que diziam alguns entendidos, era favorito, não ofereceu perigo, o Flamengo, que tinha em Jônatas seu principal destaque, botou a mão na taça vencendo por 2x0, gols de Obina e Luizão. No jogo de volta, mais uma vitória rubro-negra. 1x0, gol de Juan. Mais um taça pra nossa coleção. Mais um vice pra coleção deles. 


Campanha: 

1a fase: 
22/02 - ASA 1 x 1 Flamengo
08/03 - Flamengo 2 x 1 ASA

2a fase:
22/03 - ABC 0 x 1 Flamengo
05/04 - Flamengo 4 x 0 ABC

Oitavas de final:
12/04 - Flamengo 5 x 1 Guarani
19/04 - Guarani 1 x 0 Flamengo

Quartas de final:
26/04 - Flamengo 4 x 1 Atlético/MG
03/05 - Atlético/MG 0x0 Flamengo

Semifinais: 
10/05 - Ipatinga 1 x 1 Flamengo
18/05 - Flamengo 2 x 1 Ipatinga

Finais:
19/07 - Vasco 0 x 2 Flamengo
26/07 - Flamengo 1 x 0 Vasco

O gol do título vale a pena ver de novo!


quinta-feira, 24 de julho de 2014

Calúnia do Rúbio Negrão

Sejemos cinseros e analfabéticos: todo brasileiro é um treinador de futebol enrustido. E tem mesmo o perfil vencedor para a profissão, porque vence tudo: vence a conta de luz, de gás, telefone, TV a cabo...

Por conseguinte, o Flamengo tem aproximadamente 40 milhões de treinadores enrustidos (para o desenrolar ideal desta Calúnia, não confundir com o Fluminense, que possui 3 milhões de bibas enrustidas).

Até aqui, a Calúnia chegou bem. As contas batem perfeitamente, a matemática permanece uma ciência exata, eu até pareço ser uma pessoa normal.

Só que no momento atual, o Flamengo não precisa de 40 milhões de treinadores, mas apenas de míseros 4 ou 5 gestores que saibam transitar a imundície que é o futebol brasileiro. Os chamados macacos velhos. O problema é que esses macacos velhos, de tão velhos, já estão esclerosados.

Então, o jeito é apelar pros macacos jovens e suas ideias novas e revolucionárias de contas em dia, ética e continência, sendo esta última deveras importante, já que macacos velhos metidos a jovens recém-saídos das fraldas geriátricas tendem a sofrer de forte (e óbvia) incontinência. Mas aí surge uma nova dificuldade: os tais macacos jovens querem porque querem entrar no lamaçal do futebol brasileiro trajando impecáveis smokings brancos...

Cenão vejemos e erremos: nossa ansiada salvação da Série B não virá por meio de sangue, suor e lágrimas, porque nossos atletas não menstruam, também não correm, e nós torcedores não choramos jamais. Neste momento de crise, o nosso livramento da temida experiência na segundona não surgirá mediante planejamento, mas através de atitudes rápidas e pontuais. De paliativos, como a contratação do experiente Vanderlei Luxemburgo, dando a ele carta branca. Não, carta branca também não, porque cartas na mão do Luxa costumam terminam em dívidas. Mas dando a ele, isto sim, autonomia para escalar, barrar ou mesmo banir os jogadores do nosso malemolente elenco.

E outra, meus leais detratores: agora com o KL como eminência parda, as contratações vão começar a acontecer. E como vão! Resta saber se ele será legal, e avisará os amigos mais chegados para não se candidatarem à presidência do Flamengo pelo menos nos próximos 15 anos.


Duplex Toc Zen

1 - Olha, sejendo bem cinsero e analfabético, eu sou o cara mais otimista que tem. Daí que o leal detrator só precisa começar a se preocupar com o rebaixamento do Mengão quando eu disser pra se preocupar, OK?: Então. Pode começar a se preocupar com o rebaixamento do Mengão.

2 - Agora, sou frontalmente contra torcedor agredir jogador: Ainda bem que o André Santos é um ex-jogador em atividade.

3 - Eu contrataria o Adriano pra ontem: Um ontem assim tipo 2007, 2008...

4 - O Flamengo estar por baixo é fase: O Vasco estar por baixo é sina.

5 - O jogador mais hétero do Mengão é o Everton: Tá sempre fugindo do pau.


6 - Mesmo na podre, ainda estamos melhores que os vascaínos, porque pra sermos zoados de verdade ainda precisamos cair: Já o Vasco, basta ficar exatamente onde já está.

7 - É incrível, mas com a péssima fase atual do Mengão, passei a respeitar vascaenses, botafoguistas e bicolores: Porque jamais conseguirei suportar o tanto de vergonha e sofrimento que esses estoicos infelizes vêm tolerando ano após ano.

8 - Aliás, me caiu a ficha: O Internacional contrata tantos argentinos que devia se chamar “Binacional”.

9 - A gente percebe o nível em que o futebol brasileiro se encontra quando...: O clube que se destaca no cenário internacional é o Atlético-MG.

20º - Flamengo x Botafogo: Faço votos que no domingo a nossa torcida consiga ocupar o Maracanã do mesmo jeito que o abdome do André Santos ocupa a sua camisa.


11 - Você é daqueles que acham que o século XXI não nos reserva mais nenhum mistério?: Então como você explica alguém que torce por um time que está no meio da tabela da Série B ter a petulância de tentar zoar o Mengão?

12 - Parece que o Mengão resolveu se curar da mediocridade usando a cromoterapia: Tem azuis na gestão e amarelões no elenco.

13 - EBM está convencido de que precisa colocar pootas velhas no Flamengo: Porque se botar pootas novas, os boleiros traçam fácil.

14 - Twitter Cassetadas da semana (em tempo real só em @rubionegrao)

Já terminou o campeonato, ó arcoirenses deslumbradas?

Ironias do futebol: o Flamengo tem a lanterna, mas é o Tricolor que vive com o anel piscando.

Agente de jogador coordenando seleção da CBF.
Agora só falta botar o Chaves pra vigiar os sanduíches de presunto.

Quem conhece futebol estranha muito os jogadores do Flamengo se machucarem neste momento. O depto. médico está lotado.
Lotado de amarelões.

O Luxa tá dando sopa, e acho que conseguiria montar um "pojeto" de time com essa lixarada aí mesmo, só pra gente não cair. [ORRA! NESSA MITEI! PROFETAÇO!]

Hoje, mais uma vez, Neguebinha honrou a camisa. E o veadinho do Everton, mais uma vez, inventou contusão pra não entrar na fogueira.

A vantagem de o Dunga treinar a Seleção é que o Flamengo não poderá contratá-lo pra jogar ao lado do Elano.

André Santos confirmadíssimo! Vai pra boate Cabaret Indiscretus hoje! O médico do Fla o liberou, apesar do roxo no olho, OK, @DrHouse_FLA?

Nem com os 2 olhos o André Santos consegue pegar em cheio no meio da bola pra despachá-la da defesa. Agora, com só uma vista, vai ser osso.

"O nome da Chapa era 'Flamengo Campeão do Mundo', e não 'Flamengo Saneado'." - Falta 40 Pontos@ButecodoMengo 

Galera, acho que este ano o G4 vai ficar difícil pro Mengão.

SUDERJ informa: na Seleção, sai Zangado, entra Dunga.

Arcoirenses assanhadíssimas com a possibilidade de o Flamengo cair.
Não cai, porque é time grande, apesar de apequenado por incompetentes.

"Time grande não cai."
"Ah, mas e se cair?"
"O 'se' não existe no futebol."

Por favor, EBM: não perca seu tempo com o Tite. O cara só pega filé-mignon: time forte nos bastidores, com muita grana pra contratar, etc.

O Flamengo cheio de problemas pra resolver, e ainda surge essa bosta de STJD pra torrar o saco. VÃO TIRAR O FLOR DA SÉRIE C, VAGABUNDOS!

Se a CBF, que pode escolher praticamente QUALQUER TREINADOR DO MUNDO pra Seleção, contrata o Dunga, então Ney Franco no Fla tá "bão dimais"!

Elano não jogará mais pelo Flamengo.
Agora oficialmente.

Erazo pediu pra sair porque se sente desprestigiado:
"¿Qué diablos es esto de Chicón hacer un penal tonto? ¿Quién hace eso acá soy yo!"

"Será que o clube vai falir se pelo menos trouxer um lateral esquerdo e um volante pra serem titulares?" - bittencourt23@ButecodoMengo 

"Se burrice e incompetência pagassem dividas, hoje o Flamengo estaria zerado ou ate superavitário..." -  roberto gomes@ButecodoMengo 

"Ucrânia anuncia convocação do jogador brasileiro Edmar de Lacerda."
Só que é pro exército... #GenteAzarada

Perdão, mas a frase está errada. O correto é "samos" incaível. @Mengao_Info Somos incaível #VamosLotarMengão

Estou muito confiante em que não cairemos, mas confesso que estaria bem mais se o Flamengo se chamasse "Fluminense".

Flamengo 3x0 Botafogo.
2 de Elano e 1 de Felipe (batendo falta). #VamosLotarMengão

Se no domingo o @elano_blumer não meter pelo menos 2 gols no Botafogo podem me enviar uma camisa oficial do Flamengo tamanho G. Apostado.

"Pofissionalmente" falando, em termos de 4 linhas, finalmente temos um treinador de futebol.

Alô galera que favoritou meus tweets em que escrevi que o Ney Franco daria certo no Flamengo: deletem tudo!
Grato.

"De bonzinhos, bastam os blues. É até muito positiva a figura do Luxemburgo para equilibrar essa balança." - Luiz Mengão Eduardo, Buteco

E nada mais faço. Só aqui rezando o dia todo.

(Ás do quinta-colunismo esportivo, Rúbio Negrão, vulgo Rubro-Negão Trolhoso, vulgo RNT, é cria dos juniores do blog da Flamengonet, e aceita doações de camisas oficiais novas do Flamengo no tamanho G.)

terça-feira, 22 de julho de 2014

O Flamengo no Brasileirão 2014

Uma imagem que resume a situação do Flamengo atual. Até quando? 

Rubens


Rubens Josué da Costa nasceu em 24/11/1928. Jogou pelo Flamengo entre 1951 e 1957 e disputou 172 jogos com o Manto Sagrado, marcando 84 gols.
Rubens começou a carreira no Ypiranga, jogou pela Portuguesa e veio para o Flamengo em 1951 e logo na estreia contra o Vasco teve grande atuação ajudando o Flamengo a vencer os cruzmaltinos por 2 a 1 ao dar os passes para os gols de Adãozinho e Índio, quebrando um jejum de sete anos sem vitórias sobre o rival.  Segundo Evaristo de Macedo, Rubens tinha facilidade para driblar, lançava bem e tinha um chute preciso (Sander, 2008, p. 86). Pela categoria em campo era chamado de “Dr. Rúbis”.
Rubens foi essencial para a conquista do tricampeonato carioca de 1953-1954-1955 junto com craques como Jordan, Dequinha, Evaristo, Joel, Zagallo, Índio sob o comando de Fleitas Solich. No livro Os dez mais do Flamengo Sander ressalta que no Campeonato Carioca de 1953, Rubens marcou 12 gols, entre eles dois gols nas duas  vitórias sobre o Bangu: 4 a 0 no primeiro turno e por 7 a 2 no segundo. Rubens também marcou três gols na goleada de 4 a 0 no São Cristóvão. Sander destaca ainda que Rubens marcou o gol da vitória rubro-negra por 2 a 1 no clássico contra o Flu com uma bomba de fora da área, o que garantiu a conquista do returno do Campeonato Carioca ao Flamengo. Rubens também fez o gol da vitória contra o Botafogo na última rodada do campeonato.
No Campeonato Carioca de 1954, Rubens foi decisivo com gols de falta, passes precisos e penetrações em ziguezague. (Sander, 2008, p. 94). Nesse mesmo ano, Rubens foi reserva na Seleção Brasileira que disputou a Copa do Mundo na Suíça.
No Campeonato Carioca de 1955, Rubens jogou menos partidas por um problema no joelho e problemas com o técnico Fleitas Solich, que reclamava que o jogador fumava e não gostava de treinar.
Rubens ficou Flamengo até 1957. Jogou pelo Vasco no ano seguinte e pelo clube de São Januário conquistou o Torneio Rio São Paulo e o Carioca de 1958.
Que bom saber mais sobre Rubens, um dos craques do time que conquistou o segundo tricampeonato carioca da história do Flamengo.

Sander, Roberto. Os dez mais do Flamengo, Rio de Janeiro: Editora Maquinária, 2008.

domingo, 20 de julho de 2014

O PRESIDENTE PODE CAIR JUNTO COM O TREINADOR

Como era esperado, perdemos, humilhantemente, de 4 x 0 para o Internacional.

Vou repetir o que venho dizendo há meses: ou Eduardo Bandeira de Mello assume de verdade a presidência do Flamengo e se torna um líder do clube, ou o Rubro-Negro vai para a Segunda Divisão.

Bandeira, assuma logo a presidência
Ok, que temos o Ximenes como executivo de futebol, que parece bem competente (tanto que já esculachou os jogadores no vestiário uma vez), mas tem muita gente enfiando o dedo onde não deveria, se metendo onde não é chamado, como o Sr. Bap, vice-presidente de marketing, por exemplo. 

E ele não é o único. Apenas o citei como um exemplo de que cada um deve ficar no seu quadrado e que o comando deve ser exercido, o mais rápido possível, pelo presidente Eduardo Bandeira de Mello.

Chega dessa história de Conselho Diretor, onde todos se escondem e ninguém bota a cara a tapa ou toma providências

Os demais integrantes da diretoria não têm coragem de tomar atitudes em público. Fazem tudo às escondidas. São covardes!

O regime estatutário do Flamengo é presidencialista e quem não aceitar ou não estiver satisfeito, que se afaste, que suma, que vá à merda!

O Presidente do Flamengo tem a obrigação de assumir o seu cargo, sob pena de entrar para a história como o pior presidente em mais de 100 anos de Flamengo, aquele que rebaixou o time.

Agora, se Eduardo Bandeira de Mello não está a fim de se desgastar, que pegue logo o boné e que se mande, abandone o barco, como já fizeram alguns de seus amigos de chapa.

Tô pouco me lixando que a Seleção Brasileira pagou mico na Copa dentro de casa e que tomou de sete da Alemanha. 

EU SOU FLAMENGO! 

Não sou Seleção Brasileira.

Em 56 anos de vida, já vi o Flamengo mal das pernas, com chances de ser rebaixado, mas NUNCA vi algo tão ridículo, não evidente de que agora caminhamos para o cadafalso, como se fôssemos inimigos da Revolução Francesa..

E isso está acontecendo já na 11a. rodada do Brasileirão.

Estamos sem cabeça dentro e fora de campo.

Pra que foram tirar, de maneira nada ética, o Jayme de Almeida?


Ney Fraco e sua cara de hiena Hardy

O Ney Fraco, desde que entrou, perdeu quatro e empatou três.

E fica com aquela cara de hiena Hardy em na beira do campo,sem saber o que fazer.

Quando substituiu, o faz errado, como neste jogo, em que o Flamengo ficou sem ataque.

Não conseguiu, em trinta dias, montar um esquema de jogo.

E nem teve a hombridade de pedir demissão hoje, ainda no Beira-Rio.

Esta semana o treineiro disse que o Flamengo não precisava se desesperar com a lanterna.

O Ney é que não precisa, pois o Flamengo é rebaixado e ele vai para outro clube.

Não sabe dirigir o time e nem pode, pois não tem o grupo nas mãos, já que os jogadores, claramente, estão fazendo corpo mole.

E olha que são "profissionais". São pagos para jogar e dar tudo de si.

Você viu o Lucas Mugni, único argentino sem raça, entregar a bola nos pés do adversário, dentro de nossa área? Acabou que o Chicão fez um pênalti e saiu o primeiro gol.

Quem não está a fim que vai pra puta que o pariu!

Mas o salário é muito bom para largar essa boquinha, né?

Tente você, caro leitor, fazer corpo mole no seu  trabalho, apesar do salário merrequinha que você ganha.

Agora os jogadores do Flamengo falam em vergonha,que não sabem o que está acontecendo etc e tal. São muito caras de pau! Eles simplesmente estão fazendo corpo mole.
Lanterna rubro-negra

Tá certo que o Flamengo tem um elenco fraco, mas nunca para segurar a lanterna de um campeonato.

Fora com Mugni, Elano, Matteus, Erazo, Recife, Negueba, André Santos e até Leonardo Moura (que, apesar de tudo, merece uma estátua na Gávea, pelos serviços prestados ao Flamengo).

O Flamengo poderia fazer uma proposta para o Grêmio, que paga metade do salário do Elano. Devolve o jogador ao Tricolor Gaúcho e passa, o clube carioca sim, a pagar a metade do salário dele.

Se não demitirem o Ney Fraco logo, vai ficar evidente que estarão esperando o jogo contra o Botafogo, domingo que vem, que sempre amarela diante do Flamengo, para ver se conseguimos uma vitória.

Presidente, não espere mais. Tome uma atitude digna de um verdadeiro comandante do Flamengo.

Antes que "forças ocultas", que já estão se movimentando pela Gávea, o derrubem do cargo, junto com (in)Wallim, Bap e outros azuis.

A revolução pode estar a caminho e vai derrubar quem estiver pelo caminho,

Já cansei de ouvir a frase: "Que saudade da Patrícia Amorim..."

Dita, inclusive, por muitos que apoiaram a sua Chapa Azul, nas eleições.

Independente de considerá-la uma amiga, eu tenho saudades dela, no quesito futebol.

PASCHOAL AMBRÓSIO FILHO   

sábado, 19 de julho de 2014

SEM PAPAS NA LÍNGUA

FUDEU!

Este é o time do Flamengo, que enfrenta o Internacional neste domingo, no Beira-Rio.

Felipe, Léo Moura (que tem que jogar no meio), Wallace, Chicão e André Santos(inútil e chinelinho); Recife (fraquinho), Luiz Antonio, Elano (aposentado) e Lucas Mugni (único argentino sem sangue); Nixon e Alecsandro.

Em negrito, os inúteis. 

Já entramos em campo com quatro sérios desfalques ou quatro a menos, se preferirem.

O Ney Fraco bem que podia tirar o André Santos e colocar o João Paulo, que , pelo menos, demonstra mais vontade de jogar, apesar de ser bem limitado.

Aliás, o Ney Fraco poderia ter ficado no Rio, pois a sua presença ao lado do campo não acrescenta nada. 

Só leva os jogadores ao desânimo, já que ele é a cara da hiena Hardy. Ho, dia...

Samir, Everton e Paulinho estão machucados.

Só um milagre mesmo para nos salvar de outro vexame.

Haja trabalho para São Judas Tadeu...
PASCHOAL AMBRÓSIO FILHO   

Recordar é viver: É PENTA!!!

Hoje, 19 de julho é um dia muito especial para nós rubro-negros. 

Em 1992, há exatos 22 anos, conquistávamos pela 5a vez o Campeonato Brasileiro, uma façanha, que foi igualada 15 anos depois. 

Apesar de termos chegado com a moral de faturar o campeonato carioca no fim de 1991, o Flamengo até que começou bem o campeonato, mas seguidos tropeços, alguns em casa, chegaram a colocar em risco a classificação rubro-negra à fase dos quadrangulares. Faltando poucas rodadas para o fim, só uma boa sequência de vitórias, ou um conjunto de resultados dos outros times, levaria o time adiante à competição. O time conseguiu se superar e alcançar a classificação na última rodada, vencendo o Inter/RS. Com os resultados dos outros jogos, conseguimos terminar em 4o lugar a primeira fase. 

Naquele campeonato os finalistas eram definidos em 2 grupos de 4 times. Um tinha Flamengo (4º), Santos (8º), São Paulo (6º) e Vasco (1º). No outro grupo Botafogo (2º), Bragantino (3º), Corinthians (5º) e Cruzeiro (7º). 


Enquanto o Botafogo passeou no outro grupo, garantindo sem muitas dificuldade a vaga às finais e se credenciando como favorito, o Flamengo sofreu pra conseguir chegar às finais, numa disputa muito equilibrada, onde os 4 times chegaram à última rodada com chances de classificação. 

O Flamengo e o Santos se enfrentariam no Maracanã de olho no jogo entre Vasco x São Paulo, torcendo pro Vasco vencer. O tricolor paulista, líder do grupo e que tinha semanas antes faturado a Libertadores, tinha a vantagem de uma vitória simples. O Vasco precisava ganhar e torcer pra Flamengo x Santos empatarem. No final da rodada, o Vasco venceu (3x0) e o Flamengo também (3x1). Final carioca no Brasileirão. 

Por ter um elenco melhor e ter tido uma campanha mais regular, era mais fácil colocar o Botafogo como favorito nas finais. Mas o Flamengo mostrou que quando deixa ele chegar pra decidir, não tem pra ninguém. O título, que sairia de "um jogo de 180 minutos" foi decidido logo nos primeiros 45. Flamengo 3x0. Gols de Júnior, Nélio e Gaúcho, todos no primeiro tempo. No dia seguinte, a caça às bruxas rolou no lado chorão, e Renato Gaúcho foi afastado depois de um churrasco com o seu camarada Gaúcho. 

O segundo jogo, era pra ter sido só festa, mas minutos antes a queda da grade da arquibancada deixou 3 mortos e muitos feridos. No campo, o Botafogo tentou reverter o resultado, os 2x0 que o time abriu, com Júnior e Julio Cesar, garantiram o título. Aos Botafogo, restou só alcançar o empate nos minutos finais. O título consagrou além do técnico Carlinhos, um dos mais vitoriosos do clube, técnico do Tetra em 1987, as grandes atuações do "Maestro" Junior, craque do campeonato, e uma mescla de jogadores experientes, como Gilmar, Wilson Gottardo, Uidemar e Gaúcho, com jogadores do time campeão da Copa SP de Juniores de 1990, como Junior Baiano, Paulo Nunes, Fabinho e Nélio. Foi a última vez que a famosa "Taça das Bolinhas" foi concedida ao campeão brasileiro. O desenrolar desta história é uma novela que até hoje não acabou e provavelmente não acabará até 2092, quando iremos comemorar o centenário do Penta.



A campanha:
Primeira Fase:
1a rodada: 29/01 - Bahia 1 x 1 Flamengo
2a rodada: 03/02 - Guarani 1 x 3 Flamengo
3a rodada: 09/02 - Flamengo 2 x 2 Botafogo
4a rodada: 15/02 - Palmeiras 1 x 2 Flamengo
5a rodada: 19/02 - Flamengo 3 x 2 São Paulo
6a rodada: 24/02 - Flamengo 1 x 2 Cruzeiro
7a rodada: 07/03 - Santos 2 x 0 Flamengo
8a rodada: 11/03 - Atlético/MG 1 x 1 Flamengo
9a rodada: 14/03 - Flamengo 0 x 1 Bragantino
10a rodada: 21/03 - Náutico 0 x 0 Flamengo
11a rodada: 29/03 - Flamengo 2 x 4 Vasco
12a rodada: 05/04 - Flamengo 2 x 0 Atlético/PR
13a rodada: 12/04 - Corinthians 1 x 3 Flamengo
14a rodada: 19/04 - Flamengo 1 x 1 Fluminense
15a rodada: 26/04 - Flamengo 1 x 2 Sport
16a rodada: 03/05 - Flamengo 4 x 1 Paysandu
17a rodada: 09/05 - Portuguesa 1 x 1 Flamengo
18a rodada: 24/05 - Flamengo 3 x 1 Goiás
19a rodada: 31/05 - Flamengo 2 x 0 Internacional

Segunda fase:
1a rodada: 14/06 - Flamengo 1 x 0 São Paulo
2a rodada: 20/06 - Santos 1 x 0 Flamengo
3a rodada: 28/06 - Vasco 1 x 1 Flamengo
4a rodada: 01/07 - Flamengo 2 x 0 Vasco
5a rodada: 04/07 - São Paulo 2 x 0 Flamengo
6a rodada: 08/07 - Flamengo 3 x 1 Santos

Finais: 
Flamengo 3 x 0 Botafogo
Botafogo 2 x 2 Flamengo


Vale a pena ver os melhores lances do jogo da finalíssima: