Pesquise no Flamengo Eternamente

Pesquisa personalizada

terça-feira, 26 de abril de 2016

FLAMENGO 0 X 2 VASCO



                                         FLAMENGO LEVA OLÉ DO VASCO   
                           HOJE, FLAMENGO JOGA COM MEDO DO VASCO

                                            GUERRERO TEME RODRIGO
         CESAR MARTINS E WALACE DEVERIAM TER VERGONHA DE RECEBER SALÁRIOS
                           DIRETORIA NÃO SABE GANHAR DO VASCO                  

No MEUS PITACOS anterior, coloquei o seguinte título: VERGONHA INSTAURADA NO FLAMENGO.

Nesse poderia colocar qualquer um acima, visto que todos se encaixam no momento atual do Flamengo.

É vergonhoso ver o  Flamengo jogar, é triste torcer quando se sabe que vamos perder, é muito chato receber insistidas gozações sem termos o que falar, é imperdoável saber que as crianças não torcem mais pelo Flamengo, pois não há jogador de referencia para isso.
As  duas únicas coisas concretas no Flamengo são:
a) A  DIRETORIA É INCOMPETENTE, NO FUTEBOL.
b) O único clube do mundo que o número 10, é reserva e não sabe jogar é no Flamengo.

Pois bem a começar pelo EDERSON, o atual CARLOS EDUARDO, jogador caro, assíduo no departamento médico e que alem de não jogar nada, ainda é escalado. INADMISSIVEL.

A diretoria tinha que ter o bom senso e a humildade, coisas que não tem, de vir junto de seus conselheiros e dizer: Nos ajudem, quem entende de futebol, porque nós não entendemos, pagamos uma fortuna para o, provável vascaíno, Rodrigo Caetano, pensando que ele entende, mas também não entende e ainda deve ficar feliz quando perdemos para o Vasco.

Quanto ao time, o Cesar Martins e o Walace deveriam sair de campo e ir direto ao Vice de finanças pedir para não receberem pagamento. Se eles ganhassem por produtividade, estariam devendo muito dinheiro ao clube.

Que time sem graça, sem pegada, sem tesão, parecia que o Vasco tinha 12 em campo.

O  Guerrero nunca chega  em tempo na bola, e quando, por um acaso, isso acontece, faz falta. Isso é incompreensível.
Não tenho mais palavras para definir como é ruim esse time do Flamengo.
Ficaremos na zona do rebaixamento, mais um ano sofrendo.
Visto isso vou me prender em,
 PERGUNTAS QUE NÃO QUEREM CALAR:
1 – O  que leva um treinador a escalar EDERSON?
2 – Porque o Flamengo não se preocupa em contratar um excelente zagueiro?
3 – O Corinthians trabalha pesado para ter a maior torcida do Brasil e essa diretoria está acabando com a nossa. Porque?
4 – O que faz Rodrigo Caetano no Flamengo, com altíssimo salário?
5 – Porque o Flamengo tem 96 jogadores profissionais no BIRA, da Federação  - www.fferj.com.br, clicar em BIRA, após abrir, clicar em Flamengo, profissionais - , todos ganhando salários e não conseguimos montar um time?


               

Ward Gusmão
Sócio Proprietário

Conselheiro

quinta-feira, 21 de abril de 2016

Nasce uma Estrela?


Mancuello chegou ao Flamengo sob esperança e medo. Esperança de ver nascer mais um craque argentino. Medo de repetir o fracasso dos últimos argentinos que passaram pelo Flamengo.

Nas primeiras apresentações Argentina já deixou boa impressão. Passado um tempo parece ser cada vez mais fundamental para que esse time funcione. O gringo tem raça, dedicação, habilidade. Ao lado dos outros estrangeiros do elenco ensina brasileiros como o jogador profissional deve se portar. 

Ainda é cedo para cravar se o argentino vai ou não ser um ídolo. O fato é que com ele em campo nosso aproveitamento é muito melhor. Continue assim.

Pergunta que nunca foi respondida


sexta-feira, 15 de abril de 2016

Tá na Hora Muricy


domingo, 10 de abril de 2016

Felício surgiu onde????



Cristiano Felício é cria do Flamengo. Essa semana se destacou na fortíssima NBA. Nas manchetes, nenhum destaque ao fato de ser cria do Flamengo.

Agora imagina se fosse cria de um time paulista....

http://sportv.globo.com/site/nba/noticia/2016/04/felicio-surpreende-e-se-destaca-em-triunfo-dos-bulls-sobre-cavs-assista.html

Não inventa Muricy



Muricy é um dos treinadores mais vitoriosos da atualidade. Ele se caracterizou pelo que a imprensa jocosamente chama de Muricybol. É um jogo parecido com o futebol, mas que se caracteriza por todo mundo marcando, ataque na boa, marcação o tempo todo, 1 X 0 é goleada e do pescoço pra baixo tudo é canela.

Eu, particularmente sou bem pragmático. Para mim o que valem são os 3 pontos e a forma que o time jogou tem pouquíssima importância. Para mim pouco importa esse tal de "futebol bonito", o que é bonito é o Flamengo ganhar. Mas muitas gente pega no pé do sempre mal humorado Muriçoca. Parece que ele decidiu mudar isso. Passou uma semana no Barcelona e voltou pensando que é o Guardiola. Quis inventar, deixou de barrar jogadores, fez escalações que ninguém entendeu. E os resultados, não vieram.

Aí ontem, parece que ele resolveu se render. Fez um 4-4-2, sem frescura. Um arroz com feijão com um bife. E o time melhorou muito. E ainda temos uma vantagem. Cuellar, Arão e Mancuello tem tudo para ser o melhor "bife" do Brasil. Temos, talvez, o meio campo de maior qualidade do Brasil.

Vamos pra cima, Muricy. Chega de inventar. Faz o simples, faz o que sabe fazer e vamos acumular vitórias. Afinal, quem gosta de espetáculo deve ir ao Teatro. Não foi isso que você mesmo disse?



terça-feira, 29 de março de 2016

A conquista do Campeonato Brasileiro de 1983

    Quando era pequena, na década de 1980, vi o grande time do Flamengo ganhar vários títulos importantes como o Campeonato Brasileiro (1980, 1982, 1983 , 1987) , a Libertadores da América e o Mundial Interclubes em 1981, além de várias Taças Guanabara e dois títulos cariocas (1981 e 1986). A conquista do Tricampeonato Brasileiro em 1983 foi um dos momentos mais marcantes da minha infância.
Não contando mais com Nunes ,que foi para o Botafogo, e Tita , que foi para o Grêmio, o Flamengo tinha em seu elenco Raul (Cantareli ou Luís Alberto), Leandro, Marinho, Mozer (Figueiredo), Junior, Andrade (Vítor), Adílio ,Élder, Zico, Baltazar (Robertinho) e Júlio Cesar Barbosa. Também jogaram Cocada, Bebeto, Bigu. Édson  e Lico., Adalberto , Reinaldo Marques e  Gilmar Popoca;
            O Flamengo estreou na competição sob o comando de Carpegiani com vitória de 2 a 0 contra o Santos com um gol de Zico e outro de Baltazar. Empatou de forma surpreendente  em 1 a 1 com o Moto Club e com o Rio Negro.(AM) .Vale notar que  relacionamento dos jogadores com Carpegiani já estava desgastado desde o fim do ano anterior,  quando o Fla foi eliminado na Libertadores e perdeu o título carioca para o Vasco. Mas mesmo assim, houve muitos motivos para torcida rubro-negra comemorar em 1983 ,O  Flamengo venceu o Paysandu por 3 a 2 (com gols de Lico, Leandro e Baltazar para o Mengão) , goleou o Moto Club (MA) por 5 a 1  na casa do adversário com dois gols de Baltazar, dois gols de Adílio e um gol de Lico e deu um chocolate de 7 a 1 no Rio Negro com dois gols de Cocada, um gol de Adílio, outro de Robertinho, um gol de Leandro, um gol de Zico e outro de Baltazar. O Mengão ainda derrotou de novo o Paysandu por 3 a 2 (com três gols de Baltazar para o Fla) , mas perdeu para o Santos por 3 a 2.
            Na segunda fase da competição, o Flamengo enfrentou o Tiradentes (PI), o Palmeiras e o Americano. O Fla venceu o Tiradentes por 3 a 1 em Teresina com dois gols de Zico e um de Andrade, mas perdeu para o Palmeiras por 3 a 1 , o que deixou a  situação de Carpegiani como técnico do time ainda mais complicada. O Flamengo venceu o Americano por 3 a 0 com dois gols de Robertinho e um de Zico  e derrotou o Tiradentes por 2 a 0 no Maracanã com dois gols de Zico, mas “a postura desmotivada do time em quase todos os jogos’’, como ressalta Paschoal Ambrósio Filho (2000, p. 50), levou à demissão de Carpegiani. . Carlinhos assumiu o time como interino  e o Flamengo empatou com o Palmeiras em 1 a 1 e com o Americano em 2 a 2.
            Ainda tendo Carlinhos como treinador o Flamengo estreou na terceira fase do Brasileiro vencendo o Goiás por 2 a 0 (gols de Robertinho e Zico). Na partida seguinte, sob o comando do auxiliar técnico Cléber Camerino, o Flamengo empatou em 0 a 0 com o Guarani;
            O Flamengo contratou Carlos Alberto Torres como técnico (na primeira experiência de Torres como treinador) , o que foi fundamental para conquista do título, junto com a raça e o talento do time, pois a liderança e a alegria do capitão do Brasil na Copa de 1970 melhoraram o ambiente do clube, cativaram os jogadores , além de melhorar a forma de jogar da equipe rubro-negra , como nota Paschoal Ambrósio Filho na mesma obra já citada nesse texto. .A estreia de Carlos Alberto Torres como técnico rubro-negro na terceira fase da competição foi em grande estilo, já que o Mengão goleou o Corinthians por 5 a 1. Leandro cruzou e  Júlio César Barbosa deu lindo passe de calcanhar para Zico abrir o placar. O Galinho cobrou falta com força, a perfeição e a genialidade de sempre sem chances para o goleiro Leão e fez o segundo. Adílio lançou Baltazar, que cruzou para o próprio camisa 8 fazer o terceiro gol do Flamengo. Zico cobrou escanteio com perfeição na cabeça de Mozer, que marcou o quarto. Zicão deu belo passe para Élder driblar o goleiro Leão e fazer o quinto gol rubro-negro. Sócrates descontou para o time paulista. No jogo seguinte, o Flamengo empatou em 1 a 1 com o Goiás (gol de Zico para o Fla) e garantiu a classificação para as quartas de final ao vencer o Guarani por 2 a 0 com gos de Adílio e Reinaldo Marques mesmo que depois tenha perdido para o Corinthians por 4 a 1.
            Nas quartas de final, o Flamengo enfrentou o Vasco e eliminou o arquirrival do Brasileiro. No primeiro jogo, o Flamengo venceu por 2 a 1. Adílio fez o primeiro gol do Mengão em bela jogada. .Raul rebateu um chute de Elói e Mozer tentou cortar e acabou fazendo um gol contra, dando o empate ao adversário. Marinho cruzou e Júlio César Barbosa aproveitou a falha do goleiro do Vasco para fazer o segundo gol do Flamengo. Na segunda partida, o Vasco abriu o placar com gol de Elói, mas o Flamengo reagiu. Leandro lançou Élder, que deu belo toque de calcanhar para Adílio dar lindo passe para Zico empatar o jogo aos 44 minutos do segundo tempo.
            O Flamengo eliminou o Atlético-PR na semifinal. O Flamengo venceu o primeiro jogo por 3 a 0. Após bela linha de passe com Júlio César Barbosa, Zico abriu o placar, de cabeça. Depois de linda troca de passes entre Zico e Élder, Vitor fez o segundo do Fla. Zico deu passe para Robertinho, que foi derrubado na área. O próprio Galinho cobrou o pênalti e marcou o terceiro gol do Mengão. O Flamengo  perdeu o segundo jogo da semifinal por 2 a 0 (gols de Washington) ,mas se classificou para enfrentar o Santos na final.
 No primeiro jogo, o  Santos ganhou por 2 a 1 (gols de Pita e Serginho Chulapa para o Santos e Baltazar para o Flamengo) ,  mas na grande final, com direito a recorde de público no Maracanã, não teve para ninguém: Flamengo 3 a 0 numa atuação de gala de Zico, Júnior, Leandro, Adílio, Raul e Cia. Zico ¾ vice-artilheiro do campeonato ¾ fez o primeiro gol aos 50 segundos de jogo, após belo passe de canhota de Júnior. Zico cobrou falta e Leandro (de cabeça) fez o segundo e Robertinho cruzou para  Adílio, que deu um show naquele jogo, fazer  o terceiro também de cabeça e garantir a conquista do Tricampeonato Brasileiro (1980, 1982 e 1983).
            Essa final contra o time da Vila Belmiro ficou marcada na história do Flamengo não só pela bela exibição do time, mas também por ter sido o último jogo de Zico antes de ir para a Itália e deixar a Nação órfã até sua volta em 1985. Muito bom recordar a campanha da conquista do Tricampeonato Brasileiro em 1983.
         Fontes:
FILHO, Paschoal Ambrósio. 6x Mengão. Rio de Janeiro: Maquinária Editora, 2010.

https://www.youtube.com/watch?v=_HgD_61kwkg

domingo, 27 de março de 2016

FLAMENGO 0 X 1 VOLTA REDONDA



                           VERGONHA INSTAURADA NO FLAMENGO


                                 Meus amigos, as palavras acabaram.
Vasculhando de cabo a  rabo o Aurélio, não encontrei palavra que pudesse definir o Flamengo de hoje, tal o CAOS que está instalado na gávea.
No ano passado, eu trabalhei no São Cristovão, da terceira divisão, do Rio de Janeiro, tive carta branca do presidente para colocar o São Cristovão na segunda divisão.
Como não havia dinheiro procurei negociações e eu e o gerente de futebol Tio zé, fomos ao Volta Redonda e tivemos todo o apoio dos competentes preparador físico, DIMAS e do treinador TONINHO ANDRADE e conseguimos 8 jogadores emprestados, conseguimos fazer um bom time e subimos para a segunda divisão.
Hoje vejo que todos os jogadores que jogaram comigo ano passado na terceira divisão, jogaram contra o Flamengo e pasmem, GANHARAM.
O Flamengo conseguiu perder para o Confiança com um homem a mais, conseguiu perder para o Atlético Paranaense que estava em má fase, e agora conseguiu perder para um time que disputou a terceira divisão, no ano passado.
Isso é simplesmente RIDICULO.
Um velho treinador, obsoleto, que foi a Europa desaprender, não substitui, não muda  a maneira de jogar, não inova, só reclama, como se o Flamengo fosse o único clube nessa maratona, mas é o único que só perde.
A única coisa que achei nos meus alfarrábios, foi o endereço da INCOMPETENCIA, Rua Borges de Medeiros 997 – Leblon, RJ.
Presidente, você já colocou o Flamengo no fundo do poço, agora tire-o, por favor, senão daqui a pouco verás faixas escritas FORA BANDEIRA.
EVITE ISSO e torne o Flamengo ao seu lugar.


Ward Gusmão
Sócio Proprietário
Conselheiro

sábado, 26 de março de 2016

FLAMENGO 0 X 1 ATLÉTICO PARANAENSE


                São meia noite, o carrilhão de minha sala toca 12 badaladas, já era para estar dormindo, cansado de um dia exaustivo. Eu ainda estou acordado escrevendo MEUS PITACOS, revoltado.
Mas meu coração rubro negro supera todo o cansaço para ver a uma partida do meu MENGÃO.
É uma semi final, não podia deixar de assistir, me preparei, coloquei  o gelo no balde, abri um 12 anos, acompanhando um tira gosto, para deliciar meu time.
Logo no anuncio da escalação tomo um susto e não acredito no que vejo. É real o que estou lendo?
O Flamengo vai POUPAR meio time na primeira semifinal do ano?
O ano para os jogadores começou no meio de janeiro e estamos no meio de março, há dois meses e já tem que poupar? E logo na semi final?
Nem o mais neófito e humilde cachaceiro de botequim conseguiria acreditar nisso?
O experiente treinador MURICY RAMALHO, depois de velho, foi à Europa, aprender isso?
É inacreditável. Mas, real. Era isso mesmo que eu estava vendo.
Cadê as valiosas contratações? Só contrataram jogadores bichados? Mais Carlos Eduardos?
O Flamengo é o único time do mundo quem o número 10 é reserva?
Não preciso comentar o fracasso do jogo, mas não posso deixar de falar sobre a total incompetência dessa diretoria em relação a futebol.
Eles conseguiram se preparar para ganhar tudo na gávea, manterem-se no poder, mas quando chega na pratica é essa vergonha.
A incompetência, a falta de conhecimento, o elitismo, a presunção, falta de ética tomam conta da administração.
Senhores, já que vocês nada entendem de futebol, terceirizam esse departamento e contratam competentes futebolistas e vem a publico com humildade, que não é o forte de vocês, falam que nada entendem e vão tentar mudar contratando profissionais da área.
Mauricio Gomes de Matos, você mostrou na eleição do COFI, que é o hoje o homem forte do Flamengo, o líder que estão confiando. Voce foi o grande vencedor.
Há anos, com essa diretoria à frente do clube, sofremos no futebol, por total falta de conhecimento.
Então, Mauricio, assuma o futebol e faz acontecer.
Não pode num estádio, somente 23 torcedores do atlético e os demais, todos do Flamengo, salário regiamente pago, contratações, burras, mas contratados e não jogam. E com tudo isso continuarmos a sofrer e passar vergonha.

Ward Gusmão
Sócio Proprietário
Conselheiro

sexta-feira, 25 de março de 2016

Aspas para o nosso rei!



Segue esta citação, extraída do ótimo livro "Flamengo: O Vermelho e o Negro", de Ruy Castro
E pensar que hoje tem jogador que respira aliviado por "torneios a menos". 



quarta-feira, 23 de março de 2016

A conquista do Mundial Interclubes

    A conquista da Libertadores deu ao Flamengo a vaga na final do Mundial Interclubes de 1981 contra o forte de time do Liverpool, tricampeão europeu. No dia 13 de dezembro de 1981, o Mengão entrou em campo no Estádio Nacional de Tóquio com Raul, Leandro, Marinho, Mozer, Júnior, Andrade, Adílio, Zico, Tita, Nunes e Lico.
      O Mengão venceu o Liverpool por 3 a 0 e Zico com sua extraordinária visão de jogo participou da jogada dos três gols, sendo eleito o melhor jogador da partida. Aos 12 minutos do primeiro tempo, Zico fez um lançamento milimétrico e absolutamente genial para Nunes, que marcou o primeiro gol rubro-negro. Aos 33 minutos do primeiro tempo, Tita foi derrubado na intermediária e o Galinho cobrou a falta chutando forte, o goleiro do Liverpool bateu roupa e a bola sobrou para Lico, que chutou, mas foi prensado por um zagueiro.  Aproveitando novo rebote na pequena área, Adílio fez o segundo do gol do Mengão. Zico deu outro passe preciso para Nunes chutar cruzado e marcar o terceiro aos 41 minutos do primeiro tempo. O mundo se pintava de vermelho e preto.
    Durante o segundo tempo, o Flamengo continuou dominando o Liverpool e teve várias chances de gol. Foi só esperar o a juiz apitar o fim do jogo para os jogadores e a Nação comemorarem o título mais importante da história rubro-negra. Zico levantou a taça do Mundial, dando orgulho e felicidade à Nação e aos jogadores. O título do Mundial Interclubes foi  a terceira conquista do Flamengo em 21 dias em 1981.  O timaço de 1981 fez o Urubu voar mais alto e conquistar o mundo. Zico e Nunes ganharam, cada um, um carro. O Galinho recebeu esse prêmio por ter sido eleito o melhor jogador da partida e Nunes foi premiado com o carro por ter sido o artilheiro do jogo. 
       Eu tinha cinco anos quando o Flamengo conquistou o Mundial e lembro que vibrei muito quando, no dia seguinte, meu irmão tricolor me contou que o Flamengo tinha vencido o Mundial. Comecei a gritar: ´“É campeão!” “É campeão!”. Só quando cresci é que entendi a importância e a grandeza da conquista do Mundial. Muito bom escrever sobre a maior glória da vitoriosa história do Mengão.
     Fontes:
      Rocha, André e Beting, Mauro. 1981: Como um craque idolatrado, um time fantástico e uma torcida inigualável fizeram o Flamengo ganhar tantos títulos e conquistar o mundo em um só ano. Rio de Janeiro: Maquinária Editora, 2011.
     Vaz, Arturo, Júnior, Celso e  Filho, Paschoal Ambrósio. 100 anos de bola, raça e paixão: a história do futebol do Flamengo. Rio de Janeiro: Maquinária Editora: 2012.


quarta-feira, 16 de março de 2016

A conquista do Campeonato Carioca de 1981

          O Campeonato Carioca de 1981 foi disputado entre maio e dezembro de 1981. Vale lembrar  que no mesmo ano, paralelamente ao Carioca, o Flamengo também disputou a Libertadores entre julho e novembro de 1981, conquista que relembrei na coluna anterior. Hoje vou focar no Campeonato Carioca desse ano tão importante e inesquecível na história do Flamengo.
Contando com jogadores como Raul (Cantareli), Leandro (Nei Dias), (Carlos Alberto), Marinho (Rondinelli), Mozer (Figueiredo), Júnior, Andrade, Adílio, Zico (Chiquinho) ,Nunes, Tita e Lico (Baroninho), Uri Geller, que entrou em campo em uma única  partida da Taça GB como reserva antes de ir para o futebol argentino em maio do mesmo ano e   atacante reserva Peu, o  Flamengo conquistou o Carioca  de 1981.No Campeonato Carioca,  o Flamengo foi comandado por Dino Sani na Taça Guanabara e no inicio do segundo turno. Dino foi substituído por Carpegiani  em agosto no segundo jogo contra o Olímpia na Libertadores, comandando também o Flamengo no restante do Campeonato Carioca de 1981 e no Mundial Interclubes,  como veremos na próxima coluna. Carpegiani também atuou no Estadual como jogador e titular em algumas partidas da Taça Guanabara e foi auxiliar técnico de Sani.
O Flamengo estreou na Taça Guanabara vencendo o Serrano por 2 a 0 com gols de Júnior e Zico. Ganhou do Madureira por 4 a 2 com três gols de Nunes e um de Baroninho. Empatou em 1 a 1 com o Bangu com Nunes marcando o gol rubro-negro e Lico entrando em campo no decorrer no jogo no lugar de Carpegiani. O Flamengo goleou o Americano por 7 a 0 com três gols de Nunes, um gol de Chiquinho, um gol de Peu, e outro de Andrade .O Mengão  derrotou  o Vasco por 1 a 0 com gol de Zico. Empatou com o América em 0 a 0 e goleou o Campo Grande por 5 a 2 com dois gols de Zico, dois gols de Nunes e um gol de Rondinelli. Lico entrou em campo no decorrer da partida substituindo Baroninho assim como na estreia contra o Serrano. Depois da goleada contra o Campo Grande, o Mengão derrotou o Volta Redonda por 2 a 1 com gols de Nunes e Zico, perdeu para o Flu pelo mesmo placar, venceu o Olaria por 3 a 0 com dois gols de Zico e outro de Reinaldo Marques e empatou com o Botafogo em 0 a 0, garantindo o tetra da Taça Guanabara.
Já tendo conquistado a Taça Guanabara, o Flamengo priorizou a disputa da Libertadores e o Vasco acabou ganhando o segundo turno do Campeonato Carioca.
No terceiro turno, o Mengão venceu o Madureira por 3 a 0 com dois gols de Zico e outro de Mozer, empatou com o Bangu em 0 a 0, venceu o Campo Grande por 2 a 1 com gols de Tita e Lico, goleou o América por 4 a 0 com três gols de Zico e um gol contra de Luís Paulo e empatou em 1 a 1 com o Serrano com Zico marcando o gol do Fla.
A partida seguinte contra o Botafogo foi importante por dois motivos: como recorda o Galinho em depoimento a Roberto Assaf e Roger Garcia no livro Zico: 50 anos de futebol (p, 103)  foi na véspera desse jogo que Zico aconselhou Carpegiani a dar a vaga de titular a Lico no lugar de Baroninho, promovendo uma mudança tática na grande equipe  rubro-negra.   Lico tinha um papel fundamental no esquema tático e na estratégia de posse de bola  do time do Flamengo do início da década de 1980, pois atuava como um falso ponta-direita que também tinha funções de meia, ajudando no meio campo, dando mais proteção aos laterais Leandro e Júnior  (junto com Tita ), mais movimentação ao time do Flamengo e mais liberdade a Zico e Adílio, que não precisavam voltar tanto para marcar, como explicam Andrade e Zico no livro 1981 (Betting e Rocha,2010,  pp. 84-86) e se firmou como titular a partir desse jogo  Já Baroninho chutava bem, mas atuava mais fixo e deixava Júnior mais desprotegido porque avançava muito pela esquerda , como observam Andrade e Zico nas páginas 83 e 84 do mesmo livro citado acima. Além disso, foi nesse jogo que o Mengão devolveu a goleada de 6 a 0 dada pelo Botafogo em 1972, que ficou engasgada na garganta da torcida e dos jogadores rubro-negros por nove anos e era usada pelos alvinegros para gozar os flamenguistas.  Lico iniciou a jogada do primeiro gol rubro-negro marcado por Nunes após cruzamento de Adílio.  O camisa 8 rolou para Zico tocar de primeira. A bola bateu no jogador do Bota Jorge Luís e voltou pra Zico dar um chute de pé esquerdo e fazer o segundo. Zico tocou para Júnior, Nunes tentou dar de letra e Lico marcou o terceiro gol de pé direito. Adílio decretou a goleada em cabeçada certeira ainda no primeiro tempo. Zico cobrou pênalti sofrido por Adílio e marcou o quinto gol rubro-negro. Andrade fez o antológico sexto gol em um chute de fora da área. Assim, os jogadores e a Nação conseguiram a tão sonhada forra da goleada sofrida para o Bota em 1972.
No jogo seguinte, o Mengão goleou o Americano por 6 a 1 com dois gols de Adílio, dois gols de Nunes, um gol de Lico e outro de Tita. O Flamengo também derrotou o Flu por 3 a 1. Nunes abriu o placar com um gol de cabeça. Lico marcou um belo gol por cobertura fazendo 2 a 0 para o Flamengo. Tita marcou o terceiro gol rubro-negro. Depois de ganhar a Libertadores no mesmo ano, o Flamengo conquistou o terceiro turno do Carioca de 1981 ao vencer o Volta Redonda por 5 a 1 com dois gols de Adílio, um gol de Zico, um gol de Lico e outro de Nunes.
Como venceu dois turnos do Campeonato Carioca e também teve o maior número de pontos em toda a competição, o Flamengo disputou as finais contra o Vasco com grande vantagem. Bastava um empate para o Flamengo ser campeão carioca. Se perdesse o primeiro jogo da final, o Mengão poderia empatar no segundo jogo e se perdesse novamente, jogaria um terceiro jogo em igualdade de condições com o Vasco, como explicam Paschoal Ambrósio Filho , Arturo Vaz e Celso Júnior (2012, p. 194).
             Cinco dias antes do primeiro jogo da final do Campeonato Carioca, o ex-técnico do Flamengo Cláudio Coutinho morreu afogado ao fazer pesca submarina. Ainda abalado com a perda do grande treinador, o Flamengo perdeu o primeiro jogo da final do Carioca por 2 a 0 com dois gols de Roberto Dinamite. No segundo jogo, em dia de muita chuva no Rio, o Flamengo perdeu para o Vasco por 1 a 0 com um gol de Dinamite aos 44 minutos do segundo tempo. Mas no dia 6 de dezembro, o Mengão entrou em campo com Raul, Nei Dias, Marinho, Mozer e Júnior (Figueiredo), Andrade, Adílio e Zico; Lico (Chiquinho), Nunes e Leandro e venceu o terceiro jogo da decisão contra o Vasco por 2 a 1. Adílio abriu o placar ao marcar de cabeça. Júnior disputou a bola com o goleiro adversário e Nunes marcou o segundo gol rubro-negro dando um chutaço de fora da área. Ticão descontou  para o Vasco aos 39 minutos do segundo tempo. Quando o Vasco pressionava para tentar empatar o jogo e levar a partida para a prorrogação, um torcedor rubro-negro  e que era ladrilheiro invadiu o campo e foi agredido por um jogador do Vasco e socorrido por Nunes. Após uma paralisação de oito minutos, o jogo recomeçou e o Mengão segurou o resultado e ganhou o título do Campeonato Carioca.
Muito bom recordar a campanha vitoriosa do Flamengo no Carioca de 1981. Depois de conquistar a Libertadores e o Campeonato Carioca em 1981, no mesmo ano o timaço rubro-negro ainda vez o Urubu voar ainda mais alto, como veremos na próxima coluna.
Fontes:
Assaf, Roberto, Garcia, Roger e Coimbra, Arthur Antunes. Zico: 50 anos de futebol. Rio de Janeiro: Record, 2003.
Rocha, André e Beting, Mauro. 1981: Como um craque idolatrado, um time fantástico e uma torcida inigualável fizeram o Flamengo ganhar tantos títulos e conquistar o mundo em um só ano. Rio de Janeiro: Maquinária, 2011.
Vaz, Arturo, Júnior, Celso e Filho, Paschoal Ambrósio. 100 anos de bola, raça e paixão: a história do futebol do Flamengo. Rio de Janeiro: Maquinária Editora: 2012.

l

quarta-feira, 9 de março de 2016

A conquista da Libertadores

            Ganhar a Libertadores de 1981 não foi nada fácil nem para o time espetacular do Mengão que contava com o talento de Raul (Cantareli), Leandro (Nei Dias), Marinho (Rondinelli) (Figueiredo), Mozer, Junior, Andrade (Vitor), Adílio, Tita (Chiquinho), Nunes e Lico (Baroninho). Na primeira fase, o Mengão jogou contra Atlético-MG, Cerro Porteño e Olímpia. O lateral direito Carlos Alberto, o atacante Peu também jogaram assim como Fumanchu e Anselmo. Andrade e Vítor atuaram juntos no meio campo ao lado de Zico na primeira partida da competição sul-americana. Baroninho foi titular na maioria das partidas da Libertadores até a fase semifinal da competição. Mesmo só tendo sido titular na competição em dois jogos da decisão contra o Cobreloa, Lico foi um jogador fundamental para a conquista da Libertadores junto com os outros jogadores citados acima , já que atuou bem nas partidas em que entrou, era habilidoso e inteligente  e tinha  grande consciência tática A diferença do papel tático exercido por Lico e Baroninho e a importância de Lico no esquema tático e na posse de bola time do Flamengo no início da década  de 1980 serão explicadas no texto sobre a conquista do Campeonato Estadual de 1981 na coluna da próxima semana.
Na estreia contra o rival mineiro, empate em 2 a 2 no Mineirão. O Atlético fez 2 a 0, mas Nunes e Marinho marcaram para o Mengão evitando a derrota.  
No primeiro jogo em casa contra o Cerro, o Mengão venceu por 5 a 2 Zico abriu o placar em bela cobrança de falta e fez o segundo gol rubro-negro, de pênalti. Baroninho marcou o terceiro e Nunes fez dois gols: um de cabeça e outro após linda troca de passes entre Zico, Baroninho e Junior.
O Flamengo empatou com o Olímpia em 1 a 1 (gol de Adílio para o Mengão) e novamente com o Atlético em 2 a 2. O time mineiro saiu na frente com Palhinha. Junior fez linda jogada e passou a bola para Zico, que anarquizou a defesa adversária em lance de gênio e cruzou. João Leite soltou a bola na área e Nunes aproveitou e empatou a partida. Tita virou o jogo para o Fla, mas Reinaldo empatou.
No jogo contra o Cerro Porteño no Paraguai, o Mengão venceu por 4 a 2 e  dominou  a partida. O camisa 10 da Gávea foi decisivo como sempre. O Galinho deu passe para Baroninho abrir o placar. Zico marcou três golaços: um por cobertura depois de driblar dois adversários, outro de sem-pulo após receber passe de Tita e o quarto gol rubro-negro em tabela com Adílio.
Na partida seguinte, o Flamengo empatou em 0 a 0 com o Olímpia e houve a necessidade de um jogo extra conta o Atlético Mineiro para decidir quem se classificaria para a próxima fase da competição sul-americana. No Serra Dourada, o jogo foi tenso e violento e  Flamengo e Atlético empataram em 0 a 0 numa partida em que vários jogadores do Atlético foram expulsos. Reinaldo fez falta em Zico e levou cartão vermelho. Houve uma falta a favor do time mineiro e Éder, que já tinha levado cartão amarelo por ter feito falta em Leandro, correu para pegar a bola e esbarrou no juiz José Roberto Wright. Quando o juiz  tentava colocar a bola no lugar correto para cobrança, Éder voltou a esbarrar em Wright, empurrando o peito do árbitro e foi expulso. .  O banco, a comissão técnica e cartolas do time mineiro invadiram o campo para reclamar das expulsões, criando uma confusão generalizada. O jogo foi paralisado aos 33 minutos . Chicão e Palhinha provocaram suas expulsões. Depois de mais de meia hora  de interrupção, o juiz reiniciou a partida, mas  o goleiro João Leite  simulou uma contusão e também foi expulso, deixando o Atlético com seis jogadores e por isso o jogo teve que acabar. Mesmo com a interrupção da partida com o placar de 0 a 0, o Comitê Executivo da Confederação Sul-Americana de Futebol considerou o Flamengo vencedor da partida pelo placar simbólico de 1 a 0 por não ter causado a confusão e o time rubro-negro,se garantiu nas semifinais.
Em grande jogada de Junior, Nunes marcou o gol da vitória rubro-negra por 1 a 0 contra o Deportivo Cáli. Foi nessa partida que Lico saiu do banco e entrou em campo pela primeira vez na competição, substituindo Nunes, que se machucou No jogo contra o Jorge Wilstermann na Bolívia, o Flamengo venceu por 2 a 1. O Mengão saiu na frente com Baroninho, os bolivianos empataram e Adílio marcou de cabeça. Vale ressaltar que Lico também jogou   nesta partida, substituindo Baroninho e atuou muito bem, ajudando na defesa e na armação de jogadas. Zico, Adílio, Lico e Baroninho foram os melhores em campo neste jogo. Na partida de volta contra o time colombiano, Leandro cruzou com perfeição e Zicão matou no peito e marcou o primeiro gol rubro-negro. Chiquinho ampliou e o Galinho de Quintino fez mais um gol de falta. Na partida seguinte, mesmo sem Zico, o Flamengo goleou o Jorge Wilstermann por 4 a 1 (dois gols de Chiquinho, um de Adílio e um de Anselmo).Nesse jogo,, Lico entrou em campo no decorrer da partida no lugar de Júnior.
            Nas finais, o  Mengão enfrentou o violento time do Cobreloa em três jogos. Lico atuou como titular no lugar de Baroninho nas duas primeiras partidas da final. No primeiro jogo, o Mengão ganhou por 2 a 1 no Maracanã com dois gols de Zico. No primeiro gol, Adílio e o camisa 10 da Gávea tabelaram e o capitão rubro-negro abriu o placar. No segundo, Zico cobrou bem o pênalti sofrido por Lico. Os chilenos diminuíram também de pênalti. O jogo no Chile foi mais duro ainda que a partida de ida. O zagueiro Mário Soto feriu Adílio e Lico com pedras na mão e o Flamengo perdeu por 1 a 0 com gol contra de Leandro , num lance infeliz em que bola bateu sem querer no grande lateral e entrou no gol rubro-negro, forçando a realização de uma partida extra em Montevidéu. Não podendo contar com  Lico, que ainda estava se recuperando  das agressões covardes sofridas no jogo em Santiago e nem com  Figueiredo e Vítor, que estavam contundidos, o técnico Carpegianni , sabendo que o Cobreloa colocaria dois jogadores em cima dos zagueiros do Fla,  preferiu não escalar Baroninho, mas sim deslocar  Leandro para o meio atuando como volante junto com Andrade  para reforçar a marcação e ter dois jogadores protegendo a zaga rubro-negra. Por isso, o Mengão entrou em campo para a grande decisão da Libertadores no Estádio Centenário no dia 23 de novembro de 1981 com Raul, Nei Dias, Marinho, Mozer, Júnior, Leandro, Andrade, Zico , Tita Nunes (Anselmo ) e Adílio.  O Flamengo venceu o Cobreloa  por 2 a 0 ..Zico abriu o placar com um lindo gol de  virada em bela jogada com Adílio e que mostra toda a categoria do timaço rubro-negro. O jogador do Cobreloa Alárcon foi expulso por falta duríssima e desleal em Andrade. Depois que Júnior recebeu entrada muito dura de Jimenez, Andrade perdeu a cabeça e deu um pontapé nesse mesmo jogador do Cobreloa., mas reconheceu o erro e se desculpou com os companheiros e o técnico no intervalo.  Júnior evitou o gol de empate do time chileno tirando a bola em cima da linha.  No segundo tempo, Zico fez um golaço numa cobrança de falta magistral que  garantiu o  título da Libertadores e coroou a campanha de uma equipe de futebol envolvente e de raça que conquistou a América.  Depois que a conquista da principal competição sul-americana já estava assegurada, Anselmo entrou no lugar de Nunes para dar um soco em Mário Soto e vingar a violência chilena contra o time do Flamengo e  foi expulso assim como o próprio Mário Soto e Jimenez. Acho sinceramente que a maior vingança contra o Cobreloa foi o timaço do Mengão ter vencido a Libertadores com a qualidade técnica ,a  raça e o genial toque de bola que o caracterizavam, mostrando o trunfo do futebol bem jogado e trabalhado com esses atributos contra a violência chilena. Zico foi artilheiro da competição com 11 gols.
        No ano inesquecível de 1981, o Flamengo também conquistou outros dois títulos importantes como relembrarei nas próximas colunas.

Fontes:
Assaf, Roberto, Garcia, Roger e Coimbra, Arthur Antunes. Zico: 50 anos de futebol. Rio de Janeiro: Record, 2003.
      ————---e Martins, Clóvis. Almanaque do Flamengo. São Paulo. Editora Abril: 2001.
       Rocha, André e Beting, Mauro. 1981: Como um craque idolatrado, um time fantástico e uma torcida inigualável fizeram o Flamengo ganhar tantos títulos e conquistar o mundo em um só ano. Rio de Janeiro: Maquinária, Editora. 2011.
          Vaz, Arturo, Júnior, Celso e  Filho, Paschoal Ambrósio. 100 anos de bola, raça e paixão: a história do futebol do Flamengo. Rio de Janeiro: Maquinária Editora: 2012.

quarta-feira, 2 de março de 2016

Zico: o artilheiro do Campeonato Brasileiro em 1980 e 1982

        Zico, o maior jogador e artilheiro da história do Mengão com 508 gols, foi artilheiro de muitos campeonatos. Como o maior ídolo da história rubro-negra faz aniversário no dia 3 de março, minha coluna desta semana é uma homenagem ao Galinho, relembrando os gols que levaram Zico a ser o artilheiro dos Campeonatos Brasileiros de 1980 e de 1982. O maior camisa dez da Gávea marcou 21 gols em ambas as competições.
        No começo da temporada de 1980, o Flamengo era tricampeão carioca, mas faltava conquistar um Campeonato Brasileiro. Para a disputa do Brasileiro do mesmo ano, o Mengão já contava com Raul, Toninho, Rondinelli (Manguito), Junior, Andrade, Carpegiani, Adílio, Zico, Júlio Cesar Uri Geller e Tita. A eles se juntaram o zagueiro Marinho, o ponta esquerda Carlos Henrique, o lateral direito Carlos Alberto. No fim da primeira fase dessa competição, o centroavante Nunes veio para o Flamengo e foi fundamental para a conquista do título brasileiro no mesmo ano junto com todos os craques já citados. Reinaldo Potiguar e Vitor também jogaram neste campeonato. Leandro e Cantareli também fizeram parte do elenco rubro-negro no campeonato, mas não jogaram nenhuma partida da competição. O técnico do Flamengo era Cláudio Coutinho.
        Na estreia do Flamengo no campeonato, Zico marcou o gol da vitória de 1 a 0 contra o Santos no Morumbi. Na rodada seguinte, o Galinho fez um golaço que garantiu o triunfo rubro-negro contra o Internacional pelo mesmo placar. Raul também fez uma defesa importante, evitando o empate do time gaúcho.
       Na vitória do Mengão contra o Mixto (MT) por 2 a 0, Carlos Henrique abriu o placar para o Fla e, após boa jogada de Carlos Henrique, Reinaldo Potiguar cruzou na cabeça de Zico, que marcou o segundo gol da partida.
Na mesma competição, o Flamengo venceu o Ferroviário (CE) por 2 a 1. Zico abriu o placar em cobrança de pênalti e, após lindo toque de calcanhar de Tita, o Galinho fez um golaço.
 O Mengão também goleou o Itabaiana por 5 a 0. Carlos Henrique fez boa jogada pela esquerda e cruzou, o zagueiro adversário rebateu a bola e Zico tocou de primeira para marcar o primeiro gol do Fla. Reinaldo Potiguar cruzou pela direita, Tita tocou de cabeça e Zico fez o segundo. Reinaldo Potiguar bateu falta e o Galinho marcou o terceiro , de cabeça. Tita fez o quarto em falha do goleiro e da defesa do time adversário. Zico tabelou com Tita e marcou um golaço no ângulo, fechando o placar do jogo.
No empate em 2 a 2 contra a Ponte Preta, Nunes e Zico fizeram os gols do Mengão. Foi nesse jogo que Nunes estreou com o Manto Sagrado.
Pela segunda fase do Brasileiro de 1980, o Flamengo deu um chocolate de 6 a 2 no Palmeiras. Uri Geller centrou e Tita abriu o placar com um gol de cabeça em falha do goleiro palmeirense. Zico marcou o segundo gol rubro-negro em bela cobrança de falta e fez o terceiro de pênalti. Após receber lançamento de Junior, Toninho acertou uma bomba e marcou o quarto. Tita fez mais um, matando no peito e batendo de virada. O Palmeiras diminuiu com um gol de pênalti marcado por Baroninho e Mococa marcou o segundo do Porco. Nunes fez o sexto e fechou a goleada.
Zico e Nunes fizeram os gols do Flamengo na vitória rubro-negra por 2 a 1 contra o Bangu.
Zico e Nunes também brilharam na vitória por 3 a 0 contra a Desportiva Ferroviária (ES). Junior lançou Nunes, que cruzou com perfeição para Zico abrir o placar com gol de cabeça. Carpegiani deu a bola para Toninho e Nunes cruzou para o Galinho matar no peito e fazer o segundo. Novamente Junior lançou Nunes e o camisa 9 cruzou para Zico fazer o terceiro gol, também de cabeça.
 Na vitória de 2 a 0 contra o Santos, Zico marcou os dois gols do Mengão. Nunes cruzou com perfeição na cabeça do Galinho, que abriu o placar. No segundo gol, Zico saiu driblando os jogadores do Peixe até ser derrubado na área. O próprio Galinho cobrou com maestria o pênalti e garantiu a vitória e a classificação do Flamengo para a semifinal da competição contra o Coritiba.
No primeiro jogo, o Flamengo venceu o time paranaense por 2 a 0. Após bela tabela com Júnior, Zico marcou o primeiro gol do Flamengo. Depois de receber passe de Adílio, o Galinho deu um chute de fora da área e fez um golaço.
Zico se machucou no início do segundo jogo contra o Coritiba, mas, mesmo sem o Galinho e após o time paranaense fazer 2 a 0, o Mengão conseguiu virar a partida e se classificar para a final vencendo o Coxa por 4 a 3 numa partida eletrizante.. Os gols do Flamengo foram marcados por Nunes (2), Carlos Alberto e Anselmo.
Depois de também ficar de fora do primeiro jogo da final contra o Atlético-MG (vitória de 1 a 0 do time mineiro com gol de Reinaldo), em depoimento a Roberto Assaf e Roger Garcia no livro Zico: 50 anos de futebol, Zico conta que se esforçou muito para estar em condições de jogar a grande final no Maracanã. E conseguiu. Ainda segundo a obra citada acima, mesmo sem estar 100% recuperado, o Galinho entrou em campo para enfrentar o Atlético-MG. O jogo foi eletrizante. Andrade cortou um lançamento do jogador atleticano Osmar e tocou a bola para Zico dar belo lançamento para Nunes, que abriu o placar. Mas um minuto depois, mesmo machucado, Reinaldo empatou o jogo. O segundo gol do Mengão foi lindo. Toninho lançou a bola na área e o goleiro do Atlético rebateu e saiu do gol. Júnior chutou e a bola bateu em Zico, que deu um chute no ângulo e desempatou a partida. No segundo tempo, Reinaldo empatou novamente o jogo. Mas, felizmente, quase no final, em jogada iniciada por Andrade, Nunes driblou Silvestre, jogador atleticano, e fez o gol que garantiu o primeiro título brasileiro da história rubro-negra.
Depois de conquistar a Libertadores, o Campeonato Carioca e o Mundial Interclubes em 1981, o Mengão comandado por Paulo César Carpegiani iniciou a disputa do Campeonato Brasileiro de 1982. Nessa competição,  o Flamengo contou com craques como Raul (Cantareli), Leandro, Marinho, Mozer (Figueiredo), Junior, Andrade, Adílio e Zico, Tita, Nunes e Lico. Também jogaram o meio campo Vitor, jogador muito importante para a conquista do título junto com os craques já citados,  Chiquinho, Anselmo, Édson, Popéia, Reinaldo e Peu.
Logo na estreia na Campeonato Brasileiro de 1982, o Flamengo —  campeão sul-americano e mundial  —  encarou o São Paulo no Maracanã. O Tricolor Paulista fez 2 a 0 com dois gols de Serginho Chulapa, mas Zico tabelou com Lico e diminuiu com um chutaço. Andrade empatou e o eterno camisa 10 da Gávea decretou a virada com um golaço de cabeça aproveitando cruzamento de Junior: Flamengo 3 X 2 São Paulo.
No jogo seguinte contra o Náutico, outra reação histórica com a marca de Zico. Leandro abriu o placar com um gol no ângulo, mas o time pernambucano chegou a fazer 3 a 1. Zico cobrou falta e Lico marcou o segundo gol rubro-negro. Após passe de Vítor, Zico tirou um jogador adversário e o goleiro da jogada, empatando a partida com um belo gol e foi decisivo como sempre ao marcar um golaço de falta e dar a vitória ao Mengão: Flamengo 4 X 3 Náutico.
Na partida seguinte, o Flamengo goleou o Treze (PB) por 5 a 0. Adílio abriu o placar após lançamento de Vítor. Adílio fez bela jogada e Nunes marcou o segundo. Depois da triangulação entre Júnior, Adílio e Andrade, o Capacete rolou a bola para Andrade, que fez um golaço de fora da área. Andrade tabelou com Zico e marcou o quarto gol do Mengão. Zico foi driblando os jogadores do time paraibano e chegou à grande área, tocou para Nunes e aproveitou o rebote para fazer um golaço digno de um camisa 10, fechando o placar.
O Mengão também venceu o Ferroviário (CE) por 3 a 0. Nunes cruzou com perfeição para Zico abrir o placar com um gol de cabeça. Leandro cobrou escanteio e o Galinho fez o segundo gol do Flamengo. Leandro lançou Nunes, Júnior deu belo passe de bicicleta para Zico marcar o terceiro. Que jogada linda e que faro de gol do Galinho!.
O confronto contra o São Paulo no Morumbi foi emocionante. Renato fez 1 a 0 para o time paulista. Zico e Adílio trocaram passes e Nunes empatou. O camisa 9 rubro-negro cruzou e Tita marcou o terceiro do Mengão. Tita lançou a bola com perfeição na cabeça de Zico, que fez o quarto gol com categoria. O São Paulo ainda diminuiu com Daryo Perreira e Everton, mas já era tarde: Mengão 4 X 3 São Paulo.
No primeiro jogo em que o Flamengo enfrentou o Corinthians no Brasileiro de 1982 no Morumbi, as duas equipes empataram em 1 a 1. Vladimir abriu o placar para o time paulista, mas Tita deu passe para Zico empatar a partida.
Em jogão no Beira Rio, Junior lançou, Adílio matou no peito e Zicão abriu o placar com um gol de cabeça. O Inter virou, mas o timaço rubro-negro tinha raça e talento para reagir mesmo jogando fora de casa. Em bela troca de passes entre Lico, Adílio e Zico, Reinaldo empatou para o Fla. Aproveitando passe de Tita, Vitor marcou o gol da fantástica vitória do Mengão por 3 a 2.
No duelo contra o Corinthians no Maracanã, o Flamengo venceu por 2 a 0. Junior foi derrubado na área, Zico cobrou o pênalti e abriu o placar. Tita fez o segundo aproveitando passe de Adílio. Com essa vitória, o timaço rubro-negro se classificou para as oitavas de final do campeonato.
Nas oitavas de final, o Mengão venceu  o Sport por 2 a 0 com dois gols de Zico no Maraca. No primeiro gol, Leandro cruzou e Reinaldo deu passe para o Galinho mandar a bola para a rede. Adílio deu o passe e Zico marcou o segundo. (No jogo de volta em Recife, o Sport venceu o Fla por 3 a 1 com o gol rubro-negro sendo marcado por Leandro. o que deu ao Flamengo a classificação para as quartas de final.).
 Nas quartas de final, o Mengão encarou o Santos. No primeiro jogo no Maracanã, o Flamengo venceu o Peixe por 2 a 1. O Santos abriu o placar, mas Tita empatou a partida e Marinho fez o gol que garantiu a vitória do Fla. No jogo em São Paulo, empate em 1 a 1 com gol de Paulinho Batistote para o Santos e gol de cabeça de Zico para o Flamengo.
Na semifinal, o Flamengo enfrentou o Guarani e venceu no Maracanã por 2 a 1 Adílio, em jogada individual, deu belo lançamento para Zico marcar um golaço de virada na área e abrir o placar. O jogador do Guarani Júlio César deu a bola de presente para Zico, que deu passe para Peu aproveitar o rebote do goleiro e fazer o segundo do Mengão. O time de Campinas ainda diminuiu com Lúcio. No jogo de volta em Campinas, o Gallinho deu um show em campo e marcou três gols para virar o jogo. O Guarani saiu na frente com Jorge Mendonça. Junior cruzou com perfeição e Zico empatou de cabeça. No início do segundo tempo, o Galinho de Quintino chutou de longe e fez um golaço. O camisa 10 da Gávea ainda marcou um gol de pênalti. Jorge Mendonça diminui para o Guarani: 3 a 2.
Depois de todas essas viradas, empates e vitórias contra times grandes e pequenos do futebol nacional, os heróis rubro-negros ainda tiveram que encarar o Grêmio, que tinha sido campeão brasileiro no ano anterior, na final do Brasileiro de 1982. No primeiro jogo, no Rio, empate em 1 a 1. O Grêmio saiu na frente com Tonho e Zico aproveitou cruzamento de Júnior para empatar o jogo com um golaço com toda a força e categoria no fim da partida. Foi com esse gol que Zico se tornou artilheiro do Brasileiro de 1982 com 21 gols. Além disso, esse gol foi muito importante para a conquista do título, pois fez com que o Grêmio não tivesse vantagem nas  outras duas partidas em Porto Alegre, como lembra o Galinho em depoimento a Roberto Assaf e Roger Garcia no livro Zico: 50 anos de futebol. No segundo jogo da final, Fla e Grêmio empataram em 0 a 0.  No terceiro jogo da decisão, o Mengão venceu por 1 a 0 na Batalha do Olímpico. Em entrevista na véspera da partida, o Galinho declarou que o Flamengo venceria por 1 a 0, gol de Nunes. Dito e feito. Boca e pés santos. Zico deu o passe para Nunes marcar o gol da vitória e do bicampeonato rubro-negro. Raul fez defesas importantíssimas num jogo muito difícil e o capitão rubro-negro levantou mais uma taça, desta vez na casa do adversário, coroando a heroica campanha do melhor time da década de 1980 e da história do Mengão.
Que felicidade poder rever todos esses gols marcados por Zico nos Campeonatos Brasileiros de 1980 e 1982: gols de cabeça, de falta, de pênalti, de virada, gols de chute no ângulo, gols de rebote, gols de fora da área, gols em chute de primeira, gols que revelam toda a categoria, raça, habilidade, inteligência, técnica e dedicação do maior artilheiro da história do Flamengo, sem esquecer que em alguns desses gols e jogadas, o Galinho usou seu talento para driblar os adversários. Para marcar muitos desses gols, Zico contou com a ajuda de grandes craques que, junto com o Galinho, levaram o Mengão a conquistar dois Campeonatos Brasileiros. É claro que o grande time do Flamengo do inicio da década de 1980 que teve Zico como grande líder, artilheiro e capitão conquistou muitos outros títulos importantes como, por exemplo, a Libertadores, o Carioca e o Mundial em 1981 assim como o Brasileiro de 1983 (embora nesse último título, o time do Mengão já tenha sido diferente do que conquistou os títulos em 1981 e 1982 já citados). Como homenagem a Zico, republicarei, em março, os textos sobre as conquistas da Libertadores, do Carioca  e do Mundial em 1981 e o Tricampeonato Brasileiro em 1983. Assim que puder, prometo relembrar ainda as conquistas do Carioca de 1986 e da Copa União de 1987, quando o Mengão ganhou o quarto título brasileiro de sua história contando com o talento de Zico, Zé Carlos, Jorginho, Leandro, Edinho, Leonardo, Andrade, Zinho, Aílton, Bebeto e Renato Gaúcho.
Parabéns, Zico! Muita saúde, paz, sucesso e muita alegria para você e sua família. E que você tenha uma felicidade tão grande quanto a que você sempre deu à Nação Rubro-Negra!

Fontes:
Assaf, Roberto, Garcia, Roger e Coimbra, Arthur Antunes. Zico: 50 anos de futebol. Rio de Janeiro: Record, 2003.
         Filho, Paschoal Ambrósio. 6X Mengão. Rio de Janeiro: Editora Maquinária, 2010.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Paulinho (Paulo de Almeida)

            Paulo de Almeida, mais conhecido como Paulinho, nasceu em Campos de Goytacazes (RJ) no dia 15/9/1933 e disputou 143 jogos pelo Flamengo entre 1951 e 1958, marcando 58 gols com o Manto Sagrado.
Segundo Paschoal Ambrósio Filho, Arturo Vaz e Celso Júnior no livro 100 anos de bola, raça e paixão (2012, p.103), Paulinho era um ”artilheiro oportunista, que normalmente não perdia as oportunidades que apareciam a sua frente” (p. 103). .Era ponta-direita.
Junto com Joel. Benitez, Esquerdinha, Índio, Evaristo e Zagallo, Dida e Babá (com estes dois últimos a partir de 1954), Paulinho fez parte do ataque da equipe que conquistou o segundo tricampeonato carioca da historia rubro-negra (1953-1954 e 1955) e que também contava com craques como Garcia (Chamorro), Tomires, Jadir, Pavão, Servílio, Jordan, Dequinha e Rubens .O técnico era Fleitas Solich.
         No entanto, mesmo fazendo parte do elenco rubro-negro,  Paulinho não jogou nenhuma partida do Carioca de 1953. Nesse mesmo ano, o time rubro-negro realizou uma campanha espetacular no Campeonato Carioca ganhando 21 jogos e perdendo apenas duas vezes.  Na penúltima rodada da competição, o Flamengo venceu o Vasco por 4 a 1 com um gol contra de Jorge, um gol de Índio e dois gols de Benitez e conquistou o título carioca.. Na última rodada, o Mengão venceu o Botafogo por 1 a 0 (gol de Rubens)  coroando a brilhante campanha .
Já em 1954, Paulinho jogou e se destacou em várias partidas do Campeonato Carioca do mesmo ano, sendo fundamental para a conquista do título da competição. O time rubro-negro mais uma vez fez uma brilhante campanha vencendo 20 jogos, empatando cinco partidas e perdendo somente duas vezes. Paulinho jogou muito bem na vitória rubro-negra  contra o América por 3 a 2 com dois gols de Evaristo e um de Ìndio. Segundo uma matéria sobre esse jogo  publicada no  jornal Correio da manhã, no segundo tempo da partida, Solich deslocou Paulinho para a ponta esquerda, Benitez para a ponta direita  e Evaristo para a meia e Paulinho deu dribles e fez  investidas ao ataque  sensacionais que contribuíram para a vitória rubro-negra. O  atacante Paulinho fez o terceiro gol na vitória do Flamengo por 3 a 0 contra o Madureira (os dois primeiros gols foram marcados por Índio). Na rodada seguinte, o Mengão venceu o Botafogo por 2 a 0 com gols de Paulinho e Babá. Faltava vencer o Vasco para o Flamengo ser bicampeão carioca. E foi o que ocorreu. Ademir abriu o placar para os cruzmaltinos, mas Índio empatou e Paulinho fez o gol que garantiu a vitória rubro-negra e a conquista do título: Flamengo bicampeão carioca virando o jogo conta o maior rival. Antes da última rodada do campeonato, o Flamengo fez um amistoso contra o Estrela Vermelha e venceu por 4 a 1 com dois de Evaristo, um de Zagallo e outro de Babá. Na última rodada, com direito a Carnaval em pleno Maracanã, o Flamengo derrotou o Bangu por 5 a 1 com gols de Benitez, Paulinho, Índio, Evaristo de Macedo, Edson (contra).
No ano seguinte, o Mengão fez ótima campanha no Campeonato Carioca, com 21 vitórias e sete derrotas, vencendo os dois primeiros turnos da competição. Paulinho jogou em muitas partidas e foi o artilheiro do campeonato com 22 gols. O atacante abriu o placar na goleada rubro-negra de 5 a 2 conta o Madureira (Joel fez o segundo gol do Fla e Índio marcou os outros três gols do Mengão). Paulinho marcou três gols na vitória por 4 a 1 contra o América e Dida fez o quarto do Fla na partida. No delicioso chocolate de 6 a 1 no clássico contra o Fluminense de Didi, Paulinho fez três gols, Dida marcou dois gols e Joel fez o sexto do Mengão. Paulinho também fez os dois gols rubro-negros no empate em 2 a 2 contra o Bangu. O atacante foi decisivo ao marcar os dois gols da vitória rubro-negra por 2 a 1 no jogo contra o Botafogo. Mesmo abalado com a morte do Presidente Gilberto Cardoso,  o Flamengo decidiu o título estadual com o América, campeão do terceiro turno, e ganhou o primeiro jogo por 1 a 0, gol de Evaristo; perdeu por 5 a 1 no segundo e venceu por 4 a 1 na terceira partida com três gols de Dida e um de Duca, sagrando-se tricampeão carioca (1953-1954-1955) pela segunda vez.
  Em agosto de 2013, o Flamengo homenageou os atacantes Evaristo, Paulinho, Zagallo, Índio e Esquerdinha, heróis do tri carioca de 1955, em evento na Gávea,
Infelizmente, Paulinho morreu em novembro do mesmo ano, aos oitenta anos de idade, vítima de pneumonia. 
Gostei de pesquisar e escrever sobre Paulinho de Almeida, um dos atacantes do grande time que levou o Flamengo a conquistar o tricampeonato carioca em 1955.

Fontes:
http://flaestatistica.com.br/anoaano.html
Assaf, Roberto e Martins, Clóvis. Almanaque do Flamengo. São Paulo. Editora Abril: 2001.
Vaz, Arturo e Júnior, Celso. Acima de tudo rubro-negro: a história do C. R Flamengo. Rio de Janeiro: Paju Editora, 2008.
————— e  Filho, Paschoal Ambrósio. 100 anos de bola, raça e paixão: a história do futebol do Flamengo. Rio de Janeiro: Maquinária Editora: 2012.