Pesquise no Flamengo Eternamente

Pesquisa personalizada

sábado, 30 de junho de 2007

Mengo meu dengo – parte 2

Mengo meu dengo – parte 2

Mesmo quem nunca foi no Rio de Janeiro certamente já viu imagens ou ao menos ouviu falar do bairro do Flamengo, uma encantadora área residencial voltada para o mar, dispondo de muitos centros culturais, museus, restaurantes, bares, parques e belas paisagens. Com nome de origem holandesa – povo proveniente da região Flamengo, os "flamengos" – o lugar já foi chamado de Praia dos Sapateiros durante boa parte do período imperial. E, como todos sabem, foi sob a inspiração desse verdadeiro cartão-postal que seis jovens remadores fundaram o Clube de Regatas do Flamengo, uma instituição que transcendeu as terras guanabaras e apaixonou todo o Brasil.

Nada de novo no que foi descrito, deve ter pensado o atento leitor. Com razão, mas esta foi apenas uma pequena introdução para tornar ainda mais interessante a história à qual trago agora ao conhecimento dos caros amigos rubro-negros.

Um lugar chamado Flamengo em pleno sertão da Bahia -

Mais de 2.000 km separam a cidade maravilhosa de um pequeno povoado em pleno sertão da Bahia também chamado de Flamengo. Um distrito de Jaguarari – cidade que divide com a vizinha Senhor do Bonfim o título de melhor festa junina do interior baiano - localizado à margem direita da BR 407 e distante 426 km da capital Salvador, a primeira visão que se tem do lugar é a de uma antiga e desativada estação da Leste Brasileira com o nome Flamengo desenhado na estrutura de alvenaria em cada lado do prédio. Segundo a moradora flamenga Geisa Lopes, de 19 anos, antes de receber esse nome o povoado era conhecido apenas por João Pedro, "por conta da primeira família que morou no local". Entretanto, com a chegada da estrada de ferro ao município de Jaguarari no final da década de 40 do século XX, e devido à sua estratégica localização, muitos moradores da vizinhança acabaram fixando moradia no distrito. O que era apenas uma "aparada" para viajantes, aos poucos foi ganhando aspectos de povoado com a chegada do "progresso".

Atualmente, a sua mais forte característica econômica está na criação de cabras e ovelhas. Ainda segundo a (naturalmente) flamenguista Geisa – que cursa o terceiro período de Ciências Contábeis numa faculdade de Petrolina-PE, a 150 km de distância – com a construção da estrada férrea "vários trabalhadores vieram de outros estados do norte e do nordeste do Brasil, dentre eles, existia um senhor que ninguém lembra o nome, mas que foi de grande influência para a renomeação daquele pequeno lugarejo, pois o mesmo era apaixonado pelo Clube de Regatas do Flamengo, time de futebol do Rio de Janeiro" . E pelo depoimento da nossa amiga rubro-negra – que para gentilmente conceder essas preciosas informações, conversou antes com os moradores mais antigos - o ilustre e anônimo fundador era um flamenguista tão fanático (desculpem o pleonasmo, pois quem é flamenguista...) que o mesmo pediu para que o nome do povoado mudasse para FLAMENGO. Por tratar-se de "uma boa pessoa", os moradores gostaram, aprovaram e até hoje o distrito é conhecido por este glorioso nome.

Com uma população de pouco mais de 2.000 habitantes, o Flamengo sertanejo tem várias manifestações culturais, a exemplo da Corrida de Argolinha, das Vaquejadas, das Rodas de São Gonçalo, além dos artesanatos em madeira. Apreciadora do esporte, sendo o futebol o de maior paixão, a festeira população flamenga faz ainda do tradicional forró-pé-de-serra o ritmo oficial das comemorações pelas conquistas do Flamengo da Gávea e também do time local, vitorioso representante no campeonato interdistrital que defende com orgulho as cores do rubro-negro carioca, para imensa alegria de toda a comunidade.

Este é simplesmente um pequeno relato do quão grandioso é o nosso amado Clube. Lembrando que na época em que foi "batizado" o povoado, não existia televisão e só se podia ouvir pelo rádio as conquistas de um Flamengo até então detentor de somente um tricampeonato estadual. Mais um exemplo que vem ao conhecimento de todos. E quantas outras inúmeras e fascinantes histórias envolvendo o Mais Querido não existem por esse nosso imenso país?

Portanto, se o caro visitante deste site souber de algo interessante e que realmente denote o gigantismo rubro-negro, participe com a gente e envie para o e-mail desta coluna que teremos o maior prazer em divulgar e mostrar ao mundo toda a força que tem o nome Flamengo.

"Mengo, mengo, meu dengo, minha paixão, minha explosão, minha solidão, meu mengo, mengo, meu dengo".

Até lá e SRN!

Luiz Hélio é poeta e jornalista

Um comentário:

Urubu_Maluco disse...

muito bom o seu blog...

Parabéns e vou postar no meu blog um atalho para o seu...

um abraço e SRN

Antonio Silva

http://anacaorubronegra.blogspot.com/