Pesquise no Flamengo Eternamente

Pesquisa personalizada

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Entrevista Candidatos a Presidente do Flamengo 2009 - João Henrique Areias

O Flamengo Eternamente começa suas entrevistas com os candidatos a Presidente do Flamengo com JOÃO HENRIQUE AREIAS, o primeiro candidato a responder às perguntas enviadas.

Empresário, sócio Proprietário e Membro Nato do Conselho Deliberativo do Flamengo. Trabalhou 12 anos na IBM Brasil nas áreas de vendas, marketing e comunicação e desde 1987 é profissional do esporte, tendo desenvolvido alguns dos mais importantes projetos esportivos do Brasil, que vão desde a viabilização do Clube dos 13 em 1987 até a Arena Petrobras em 2005 para abrigar os jogos do Flamengo pelo Campeonato Brasileiro. Foi responsável pelo Marketing do Flamengo em 1987-88, 1992 e 2004. De fevereiro a junho deste ano, foi Vice Presidente de Esportes Olímpicos, conquistando o Sul Americano e o Bi Campeonato Brasileiro de Basquete(www.flabasquete.com), colocando em dia os salários da equipe, trabalhando em tempo integral e aplicando um novo modelo de gestão baseado no profissionalismo com 10 ex-alunos do seu curso de Gestão e Marketing Esportivo.

1. Boa parte das receitas do clube para o seu mandato já foram adiantadas e provavelmente o contrato de patrocínio já estará assinado, como o senhor ou a senhora imagina ter recursos para gerir o clube e ainda implementar todas as melhorias prometidas em sua campanha? Há algum projeto específico para lidar com a dívida atual?

A situação econômico-finaceira do Clube é grave, mas tem solução, a partir de um programa de aumento das receitas e austeridade na gestão das despesas.

Hoje, as receitas atingem R$ 150 milhões. Através de ações de marketing, temos a meta de atingir R$ 500 milhões, em três anos. Afirmo isso baseado na minha experiência como profissional dessa área. O MKT do Flamengo, a partir do MKT do Futebol sofrerão profundas reformulações.

As despesas serão administradas, com austeridade e transparência, de sorte a permitirem o indispensável equilíbrio financeiro, incluindo o pagamento do passivo.

Vamos trabalhar com um grupo de especialistas na área financeira, e elaborar e cumprir um Orçamento por Objetivos, considerando os Planos, Programas, Projetos e metas estabelecidos.

Para levantar com segurança o passivo do Flamengo e encaminhar com propriedade as negociações para liquidá-lo, já no dia 1º de janeiro de 2010 vamos instalar a Diretoria do Contencioso. Pari passo, solicitamos ao Flamengo um pedido de criação de uma comissão para auxiliar a transição do candidato vencedor, já a partir do dia 08 de dezembro.

2. O senhor ou a senhora é a favor da construção de um novo estádio já em seu mandato? Em caso positivo, qual o orçamento previsto, de onde virão os recursos financeiros e em que local esse estádio poderá ser construído?

Sim, o Flamengo tem que ter o seu estádio, ou usar o Maracanã, como se assim fosse, a exemplo do que ocorre com o Milan e Internazionale, em Milão.

Pretendemos encaminhar a solução para o Estádio, nos primeiros seis meses de nossa gestão.

Na hipótese de construir um estádio próprio, um Grupo de Trabalho, com renomados especialistas no assunto, vai indicar as especificações básicas do projeto, os custos e as condições de viabilização dos recursos.

Não faremos nada de improviso, não daremos pronunciamentos precipitados, não lançaremos factóides. Respeitaremos sempre a Nação.

3. O senhor ou a senhora é a favor da transformação do futebol do Flamengo em uma sociedade anônima de capital aberto?

O Flamengo tem uma dívida que representa, no mínimo, 3 vezes, o seu faturamento anual. Os encargos desta dívida são grandes, tanto pelo pagamento de juros aos bancos, quanto pela antecipação de receitas, o que ocasiona descontos consideráveis aos nossos devedores. Já pedimos formalmente que estes dados sejam informados a todos os candidatos e que se crie uma equipe de transição, a partir do dia 8 de dezembro, para não causar mais danos materiais e à imagem do clube.

Outro aspecto não menos importante, é a falta de credibilidade do clube, representado, principalmente, pela falta de cumprimento de compromissos com funcionários, atletas e outros credores como o governo, patrocinadores, etc.

O Movimento Fla21, entende que somente um modelo jurídico e de negócios que dê segurança a estes públicos e aos investidores, podem restabelecer o equilíbrio financeiro do clube e, um modelo possível é o da sociedade empresarial, que está sendo desenvolvido por um grupo de empresários de sucesso em suas atividades, com a ajuda de especialistas da área. A definição deste modelo se dará após amplo e urgente debate com os associados e formadores de opinião (Stakeholders). Até que este modelo seja definido, no entanto, trabalharemos com um modelo que dê autonomia de gestão financeira e operacional para as nossas unidades operacionais (futebol, esportes olímpicos, remo e fla-gávea). Deve se ressalvar, no entanto, que as questões estratégicas atinentes a estas unidades operacionais deverão estar sempre sob a responsabilidade dos associados representados pelos poderes do clube e seus dirigentes não remunerados.

O fundamental é que, qualquer modelo precisa atender os interesses esportivos do clube. Deve ser elaborado pelo Flamengo e não trazido de fora para dentro como tem ocorrido no futebol brasileiro, pela fragilidade institucional dos clubes, que acabam se tornando permeáveis para a entrada de qualquer tipo de capital.

Não podemos esquecer também o Protocolo de Intenções firmado entre o Flamengo e o CFZ/Zico. Há que se conhecer em que pé se encontram essas negociações. De repente, isso pode ser um atalho interessante.


4. O senhor ou a senhora tem algum projeto de sócio torcedor? Em caso positivo, quais os benefícios previstos para quem se associar? Qual o custo de implementação desse projeto? Os futuros sócios torcedores terão direito à privilégios na compra de ingressos e descontos na aquisição de produtos licenciados? Terão direito à voto?

Apesar das informações ultimamente divulgadas, dando ênfase ao sucesso de alguns projetos “sócio-torcedor”, vemos com muito cuidado essas iniciativas. O Flamengo lançou, recentemente, o “Cidadão Rubro-Negro”. É preciso avaliar os primeiros resultados.

Agora, o que deve ser realçado é que entre as candidaturas, a única que tem um projeto para a Torcida é a nossa. Vamos incrementar o Projeto Nação Rubro-Negra, com toda uma estrutura profissional, com a finalidade de desenvolver e implantar mecanismos de interação com o nosso maior patrimônio, a Nação Rubro-Negra, para se alcançar benefícios recíprocos (Clube-Torcida).

5) Qual o seu projeto para atrair mais público ao estádio? O senhor ou a senhora planeja aumentar o preço dos ingressos, como forma de incremento da receita, pensa em reduzi-lo ou manteria a política de preços atuais? Como se dará a relação com os torcedores na arquibancada e as organizadas? Qual a sua visão sobre o comportamento atual do nosso torcedor?

Em 2004, quando estava no Fla Futebol, conseguimos implantar a venda de carnês, tendo batido o recorde nacional, até então do SãoPaulo e do Atlético-PR. O segredo está em termos um estádio confortável e seguro, além de um time competitivo à altura das nossas tradições. Esta é a fórmula do sucesso e não o aumento puro e simples dos ingressos. Para isto é necessário que tenhamos um estádio onde possamos explorar todas as propriedades e não só os ingressos. Hoje, o Maracanã, apesar do alto aluguel, não permite que exploremos os camarotes e espaços publicitários que são vendidos para clientes como Unimed por exemplo, patrocinador de um de nossos rivais, o Fluminense. Vamos buscar um acordo com o Governo do Estado ou com quem venha a arrendar o estádio, num modelo benéfico para ambas as partes. Caso contrário teremos de buscar a viabilização de ume estádio próprio, na faixa de 60-80 mil pessoas.

6) - Como e quando vai terminar nosso CT?

Esse é um assunto da maior prioridade. O CT é a base da pirâmide do negócio esporte como um todo. É a fábrica de craques e novos talentos.

Vamos buscar parceiros (aliás já temos algumas negociações) para concluir o CT no menor prazo possível. Em uma primeira etapa, vamos concluir as instalações para dotar a base de uma infraestrutura sólida e moderna, dentro do projeto de completa reestruturação do setor. O nosso lema vai ser: “Craque o Flamengo faz no Ninho do Urubu”.

Devo lembrar que quando passamos pelo FlaFutebol, em 2004, juntamente com o Junior e o José Maria Sobrinho, é que teve início, graças ao nosso empenho, a construção do CT. O terreno estava abandonado há mais de 20 anos. Dentro da maior crise financeira naquele ano terrível, deixamos três campos prontos e em uso.

7) Faça um pequeno resumo dos seus planos para o clube no seu mandato.

Antes de mais nada, é importante ressaltar que essa eleição, na verdade, deverá ser entendida como um plebiscito entre teses conservadoras e por propostas de mudanças, claramente expostas por aqueles que se propõem a fazer uma verdadeira revolução. Não baseamos nossa candidatura em cima apenas de nomes, mas principalmente sobre um conjunto de idéias de um grupo de Rubro-Negros formado por sócios do Flamengo e torcedores, todos bem sucedidos em suas atividades profissionais.

O nosso mandato será caracterizado, principalmente, por:

- Equacionar as dívidas do clube, de forma a tirar o Flamengo da enorme dependência financeira em que vive hoje, principalmente junto ao governo, empresários e jogadores, e com isso trazer o Flamengo de volta às grandes conquistas. De fato, o Flamengo está vendido e o Fla21 pretende recomprá-lo para seus sócios.

- Gerir o futebol de forma autônoma, profissional e firme, afastando o desmando, o apadrinhamento e os interesses não rubro-negros, implantando metas claras de resultados e criando uma estrutura capaz de dar suporte aos jogadores e à comissão técnica. Concluir o CT. Reformular totalmente a base. “Craque o Flamengo faz no Ninho do Urubu.”

- Valorizar a marca Flamengo – com um relacionamento de alto nível (expertise e credibilidade) com os mercados de comunicação, marketing e publicitário.

- Investir – de forma poderosa – nos esportes olímpicos do Clube. O Flamengo, por seu histórico, sua localização e pelo seu poder de mobilização / paixão tem que ser o clube líder na Rio 2016.

- Reformar o espaço físico do Fla-Gávea (que na realidade deveria ser apresentado como o maior clube do Leblon – o bairro com o m2 mais caro do Brasil) – com a conseqüente valorização financeira do título, além da satisfação dos sócios.

- Desenvolver e implantar mecanismos de interação com a Torcida, o maior patrimônio do Flamengo, de sorte que a gestão do Futebol ocorra em sintonia com a Nação e proporcione benefícios recíprocos.

Para tanto, torna-se necessário uma adequação do Estatuto à realidade que atualmente vivenciamos.

Agradeço pelo seu interesse e convido-o a participar, junto conosco, nessa empreitada de conduzir o nosso Flamengo a “Ser o Clube mais vencedor das Américas e um dos maiores do mundo”, que é a Visão que norteia o Fla21.

Muito obrigado.

João Henrique Areias
Fla21 – CHAPA CINZA
Participe dos Grupos de Trabalho em www.fla21.com.br

4 comentários:

Anônimo disse...

Comecei a visitar hoje o blog e adorei. Continuem sempre assim.

Abraço a todos.

Paulo Santos/RJ

Warley Morbeck disse...

Obrigado, Paulo

Visite sempre o nosso Blog

Daniel Reiner disse...

Belo trabalho, Morbeck! Forte abraço!

Warley Morbeck disse...

Valeu meu amigo CRuzeirense

EStá sumido, hein?