Pesquise no Flamengo Eternamente

Pesquisa personalizada

domingo, 10 de outubro de 2010

Leo Moura chega a 300 jogos pelo Flamengo


Por ter passado por nove clubes antes de chegar ao Flamengo, Léo Moura era considerado um autêntico “cigano da bola”. A velocidade para trocar de clube era a mesma com a qual avança até a linha de fundo para realizar cruzamentos na medida para os companheiros de equipe.
A trajetória do lateral parecia que não mudaria antes de o Flamengo entrar em sua vida no ano de 2005. A partir daquele momento, o rótulo antigo foi aposentado e Leonardo da Silva Moura passou a ser conhecido como o Léo Moura do Flamengo.
Mais de cinco anos se passaram e 300 jogos foram completados pelo lateral no dia 10/10/10, contra o Avaí, em partida válida pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com 38 gols marcados pelo clube e cinco títulos conquistados (Copa do Brasil 2006, Tricampeonato Carioca 2007-08-09 e Campeonato Brasileiro 2009), o camisa 2 acredita que já até pode brigar por uma vaga na seleta galeria de ídolos do Flamengo.
“Isso tudo vale muito a pena. Passei por vários clubes, fiquei pouco tempo, mas sabia que uma hora teria de parar em algum lugar. Graças a Deus foi no clube do meu coração. Posso dizer de peito aberto que amo o Flamengo. Cheguei aqui com nove anos, não fiz toda a base, mas estava sempre na arquibancada. Entrei em campo com Zico, Bebeto e Jorginho. Sou realmente Flamengo de carteirinha. Acho que já posso desejar um espacinho ali (na galeria de ídolos). Ter pelo menos um cantinho ao lado dessas feras. Com os títulos que conquistei, separei um lugarzinho na história do Flamengo”, disse, emocionado, ainda na passagem rubro-negra por Volta Redonda.
Atingir a marca de 300 jogos no futebol brasileiro é um feito tão raro, que a diretoria rubro-negra preparou uma homenagem para Léo Moura. O lateral vestirá uma camisa com um selo comemorativo pela marca. Ao analisar tudo o que passou, o jogador dedicou a conquista aos seus companheiros.
“Todos têm um pouco desses 300 jogos. Foram vários companheiros que passaram por aqui. Por isso, o futebol é bom e ruim. Você faz muita amizade, carinho, mas depois cada um vai para um canto. Aqui tem alguns remanescentes. O Angelim, Juan, Toró, tinha o Bruno... Foram muitos momentos bons e agradeço a todos eles de coração. Isso não alcancei de maneira alguma sozinho”, afirmou, lembrando também dos momentos delicados.
“O Flamengo é isso. Não tem meio termo. Ou céu, ou inferno. Mas dentro destes 300 jogos fiquei mais no céu. Isso é o mais importante. Mas tudo o que aconteceu aqui até hoje serve de lição para o que ainda virá pela frente. Não quero ficar só em 300. Se puder, quero 400, 500, 600...”, celebrou.
Para finalizar, Léo Moura não deixou de comentar o seu momento mais marcante com a camisa rubro-negra. Para tal, precisou retornar ao ano de 2006.
“Já foram várias partidas que ficaram na minha cabeça, mas a principal foi a final da Copa do Brasil de 2006. Foi o meu primeiro título aqui e isso marca”, encerrou.

Fonte: UOL

4 comentários:

Fluzão Eterno disse...

Criei um blog sobre meu time de coração que é Fluminense e gostaria de perguntar
se você poderia me ajudar fazendo uma parceria de link comigo,desde já muito
obrigado e parabéns pelo seu blog:
http://fluzaoeterno.blogspot.com/

Fluzão Eterno

Samuel disse...

Olá amigos rubro-negros. Venho propor uma parceria. Sou corinthiano, também tenho um blog, e gostaria de colocar o link de vocês lá, esperando o mesmo aqui.
Afinal, Timão e Mengão são as duas nações que representam o povão brasileiro.
Valeu!

Warley Morbeck disse...

Boa tarde amigos. Estamos abertos a parcerias. Entrem em contato pelo e-mail que aparece no Blog. Valeu

Dani Souto disse...

Queria uma camisa dessa!!!