Pesquise no Flamengo Eternamente

Pesquisa personalizada

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Jordan, o Homem que Parava Garrincha



Athirson, Leonardo Inácio, Cássio, Marco Antônio, Roger, Júlio César, Juan, Rodrigo Alvim, Egídio e Júnior César. A lista de laterais esquerdos que atuaram pelo Flamengo na última década é extensa, e poucos destes obteram sucesso e escaparam das vaias. É difícil olhar a lista e encontrar um dentre eles que conseguiu assumir a posição e se tornar incontestável. Incontestável como Jordan, que dentre tantos marcadores de Garrincha, foi escolhido pelo próprio como o melhor de todos.

Jordan da Costa é carioca, nascido em 1932. Atuou no Mengão como lateral-esquerdo e volante, jogando de 1952 até 1963. Com um total de 608 partidas é o quarto jogador com maior número de jogos pelo clube, atrás apenas de Júnior, Zico e Adílio. Pelo clube marcou 3 gols e conquistou 24 títulos, entre eles o Tricampeonato Carioca de 1953/54/55, o Torneio Rio-São Paulo de 1961 e o Carioca de 1963. Chegou a ser convocado para a Seleção Brasileira para a disputa da Taça Oswaldo Cruz, mas não jogou.

Jordan foi revelado pelo São Cristóvão, em 1951, e seu bom desempenho pelo clube despertou o interesse de vários clubes do país. Flamenguista assumido, escolheu ir para Gávea, preterindo propostas mais elevadas de outros clubes. Um exemplo a ser seguido por jogadores que atualmente se declaram rubro-negros, mas que trocam o "amor ao clube" por uma proposta mais alta.

Jogador de muita habilidade, Jordan começou como lateral-esquerdo justamente no período em que Garrincha atuava pelo seu setor. Sempre muito leal, fato realçado pela incrível marca de nunca ter sido expulso em toda sua carreira, Jordan pode ter até levado alguns dribles do alvinegro, mas nunca apelou para a violência e sempre dificultou, ou até mesmo anulou, o lendário adversário. Seu desempenho foi tão bom que rendeu elogios de Garrincha, que o considerou o seu melhor marcador. Durante a campanha do Tricampeonato Carioca de 1953/54/55, formou uma linha intransponível com Jadir e Dequinha.

Jordan pode ser considerado um papa-títulos, pois durante o período em que jogou no clube só não conquistou nenhum trófeu em 1960, conquistando em todos os outros anos ao menos uma taça para o clube. Aposenta-se em 1963 após a conquista do Campeonato Carioca.

Jordan é vivo até hoje, e recentemente foi homenageado pelo clube nas comemorações de 50 anos da conquista do Torneio Rio-São Paulo, ao lado de Carlinhos e Joubert.

Jordan é um dos Heróis do Mengão!

http://heroisdomengao.blogspot.com/2011/06/jordan-o-homem-que-parava-garrincha.html

2 comentários:

Rafael disse...

Quem quiser conhecer mais de outros ídolos do Mengão é só visitar o blog Heróis do Mengão: http://heroisdomengao.blogspot.com/

SRN!
@RaflaelOliveira

Warley Morbeck disse...

Parabéns pelo Blog. Gostaria de contar com mais colaborações suas.