Pesquise no Flamengo Eternamente

Pesquisa personalizada

quinta-feira, 4 de março de 2010

Obina - Artilheiro do Flamengo na Primeira Década do Milênio

Em 2005, de volta ao Brasil, depois da desagradável experiência no exterior, Obina passou a ser cogitado como reforço de diversos clubes do país, inclusive o Flamengo, de quem havia sido algoz no Campeonato Brasileiro de 2004. Em partida válida pelo Campeonato Nacional daquele ano, Obina ajudou o time baiano a golear o Flamengo por 5 a 1. Naquela partida, sofreu o pênalti do primeiro gol, fez o terceiro, deu o passe para o quarto tento, apresentando seu cartão de visitas ao Mais Querido do Brasil.
Chegou ao Flamengo em situação totalmente adversa. O clube vivia um péssimo momento e tinha um ataque que não funcionava. Dimba, contratado a peso de ouro para a temporada 2004 havia se desligado do Fla, e caberia então ao atleta reviver os bons momentos passados no Vitória.

Contudo, as coisas demoraram a se encaixar, e logo a torcida e também a crítica especializada notaram as visíveis deficiências técnicas do forte jogador. Vaiado nas primeiras partidas, dava sinais de que não conseguiria se manter muito tempo como atacante do Mais Querido do Brasil.

De vilão, em virtude das péssimas atuações nos primeiros jogos, Obina teve o apoio incondicional do então treinador Joel Santana e tornou-se xodó da Nação Rubro Negra ao marcar importantes gols que evitaram um quase irreversível rebaixamento para a segunda divisão do Campeonato Brasileiro.

Em 2006 finalmente Obina teria o ano da consagração. Mártir da conquista da Copa do Brasil, título de maior expressão do Fla desde o Campeonato Brasileiro de 1992, o atacante virou ídolo da Maior torcida do Brasil e ganhou canto comparando-o ao camaronês Samuel Eto’o, ganhou o apelido de Anjo Negro, e passou a ser referência no ataque. Com muita honra ao Manto Sagrado, garra, e gols, muitos aos trancos e barrancos, mas outros, muito bonitos, Obina conquistou a torcida rubro-negra.

No ano de 2007 o atacante chegou a ser sondado pela Juventus, da Itália, e estava praticamente vendido para o futebol russo, quando escreveu um dos mais bonitos capítulos de um jogador na história do Flamengo. Marcou um belo gol contra o Vasco, na Semi-Final da Taça Guanabara, mas caiu de mau jeito e fraturou o joelho ficando quatro meses fora dos gramados. Forneceu ali, o gás que o time precisava para chegar ás finais do Campeonato Carioca contra o Botafogo, momento aliás, em que voltaria aos gramados e ajudaria a definir o título em favor do Mengão.

Obina ganhou fama de iluminado, marcou importantes gols e foi decisivo no bicampeonato carioca do Flamengo no ano de 2008, ocasião em que marcou três dos quatro gols rubro-negros sobre o Botafogo nos dois jogos decisivos. Foi assim que tornou-se um impiedoso carrasco dos arqui-rivais do Mais Querido do Brasil. Terminou a temporada 2008 como reserva, no entanto, manteve-se como vice artilheiro do clube na temporada marcando 15 gols. Além disso o atacante atingiu uma grande marca se tornando o quinto maior artilheiro da história do clube em Campeonatos Brasileiros.

A verdade é que a camisa do Flamengo cairia bem em Obina. Bastante identificado com o clube, não demorou para que os mais saudosistas torcedores o comparassem a uma antológica figura que ilustra os anais rubro-negros, o também atacante Fio Maravilha. Existem diversos fatores que explicam a ligação inconteste entre o atacante e a torcida do Fla, como aponta o crítico esportivo Juracy Estrela - a semelhança com um ídolo, o carisma do jogador e até a imprevisibilidade das suas jogadas fizeram com que a torcida, enfim, se apaixonasse pelo Anjo Negro da Gávea.

Ao todo no período Obina fez 47 gols e cravou seu nome na história do Clube, por ser o artilheiro da Década. Com isso ele se junta a nomes como Leonidas, Dida, Pirillo, Zico e Romário. Que moral, hein Obina?

http://www.flamengo.com.br/flapedia/Artilheiro

3 comentários:

Julio Cesar disse...

Grandes momentos proporcionados por Obina

Obrigado Eto'o plus,a Nação nunca lhe esquecerá

AF STURT disse...

Grande Obina!

Entre momentos ruins e bons o que vale ficar guardado são bons né!


Já está no ar a minha coluna para o blog flamnengo show,visite e comente:

http://flamengoshow.blogspot.com/2010/03/sobre-nosso-elenco-do-ano-de-2010.html

Flacó disse...

Obina nos salvou de rebaixamento e fez muitos gols. Além de vender camisa tem carisma. hoje seria a terceira parte de um Ménage á Trois com a dupla do Imperador