Pesquise no Flamengo Eternamente

Pesquisa personalizada

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Mariana Ximenes é Flamengo




Uma novela da vida real com direito a tragédia e euforia começou no dia 19 de julho de 1992. Era dia de decisão de Campeonato Brasileiro com Maracanã lotado. Antes do clássico Flamengo x Botafogo começar, uma parte do alambrado da arquibancada do lado rubro-negro despencou com muitos torcedores. Pânico total. Informações desencontradas falavam em vários mortos - na verdade, houve três. Em casa, no bairro de Ramos, subúrbio carioca, uma família assistia, aflita, a tudo aquilo. O menino Cacá estava no estádio. A prima paulista Mariana, de passagem no Rio, tinha olhar fixo na televisão. Parecia procurar o garoto.

O lugar acabou isolado, e a partida começou. Aos 41 minutos do primeiro tempo, Junior bateu uma falta no ângulo. Gol. Ao mesmo tempo que o velho Maestro corria e saltava feito criança na comemoração, começava grande flerte da garota com nova paixão. O jogo terminou empatado por 2 a 2. O Fla, que vencera a primeira partida por 3 a 0, sagrou-se pentacampeão. O espetáculo contagiou e impressionou a menina de 11 anos. Cacá chegou em casa são e salvo. Todos pularam e se abraçaram juntos. Foi uma dupla euforia.



Os anos se passaram. A são-paulina Mariana Ximenes, mesmo de longe, passou a se interessar pelo Flamengo. Seguiu carreira de atriz e mudou-se para o Rio de Janeiro em 2000. Não demorou muito para o coração ser assumidamente vermelho e preto. As partidas no Maracanã, principalmente aos domingos, já faziam parte de seu programa. Uma merece capítulo especial. Em novo confronto contra o Botafogo, na decisão do Carioca de 2008, os olhos ora verdes, ora azuis que tanto hipnotizam hoje o personagem "Totó" - e os milhões de brasileiros que acompanham diante da TV a vilã Clara na novela "Passione" - estavam "enfeitiçados" pela festa rubro-negra, na vitória por 3 a 1. Ali, os heróis da história foram Obina e Diego Tardelli, autores dos gols.

- Ir ao Maracanã ver jogo do Flamengo é um espetáculo ritualístico que me enfeitiça. Quando chego ao estádio, é impactante a cena da entrada em campo. Aquela massa gritando, com as bandeiras, as músicas... E a garra do time, uma marca. O que mais me fascina é o conjunto de tudo isso. Fora aquela coisa de combinar com os amigos, o cachorro quente no estádio. É clássico ir pro bar também depois do jogo. Nessa final de 2008, foi tudo muito divertido. Um jogão, com gols de Obina e tudo. Adoro futebol, esporte. o Flamengo é uma paixão. E ainda nasci no ano em que o clube foi campeão do mundo, em 1981 - afirmou, toda prosa, com o sorriso de "Chiara" que arranca suspiros de todo o Brasil.



Nesse dia, Mariana começou cedo o ritual para ver o Flamengo jogar. A trupe tinha uns 15 amigos. Bem antes do jogo, partiu uma "minicarreata".

- Fizemos aquele "esquenta" antes de irmos para o Maracanã na casa de uma amiga. Procuramos chegar cedo para pegar um bom lugar. Ficamos na cadeira especial, mas dividimos os grupos. Quando saía gol do Flamengo, mandávamos torpedo e tudo, era aquela gozação com os nossos amigos botafoguenses. Quando feita assim, de forma saudável, é indispensável, não pode faltar, faz parte da diversão - disse, às risadas, em entrevista no Projac após mais um dia de gravações da novela.

3 comentários:

Renato disse...

Ela é linda.

meu Deus!!!

Anônimo disse...

ZICO
A história fala por você que sempre foi é e sempre será um homem integro no seu todo, esse FLAMENGO que ai está já morreu no meu coração, MEUS PARABÉNS PELO NETO.

Leonardo Resende disse...

É mais uma das milhões de pessoas que se rendem aos encantos da nação.

Impossivel não se apaixonar por essa torcida.

Depois de algum tempo, retomei as atividades do blog Rio Futebol.

Passe lá para dar uma força, se puder!

Grande abraço,

Leonardo Resende
http://riofutebol.blogspot.com
adm.riofutebol@gmail.com