Pesquise no Flamengo Eternamente

Pesquisa personalizada

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Flamengo é heptacampeão estadual de basquete em 2011



O grito de heptacampeão ecoou no ginásio Hélio Maurício, na Gávea, no dia em que o Flamengo completou 116 anos. Para abrilhantar ainda mais a bela festa de aniversário do clube, a equipe de basquete derrotou o Tijuca por 93 x 75, na tarde desta terça-feira (15.11), e conquistou, de forma invicta e incontestável, seu 37º título estadual, o sétimo consecutivo. Na primeira partida da melhor de três da decisão, o Rubro-negro já havia atropelado o rival por 101 x 74. O capitão Marcelinho foi o cestinha do jogo, com 23 pontos.

 O jogo foi equilibrado durante todo o primeiro tempo. O primeiro quarto terminou em 23 x 21 para o Flamengo, que foi para o intervalo vencendo por 38 x 37. Mas o Flamengo acertou a defesa no segundo tempo e mostrou o seu verdadeiro potencial, fechando o terceiro quarto em 69 x 57. No último quarto, o Rubro-negro não foi ameaçado até o fim: 93 x 75, para a alegria das cerca de 700 pessoas que lotaram o ginásio.

Foi o primeiro título do astro Leandrinho com a camisa do Flamengo.

"É um título muito especial para minha carreira. É emocionante vestir essa camisa e jogar diante dessa torcida que tem tanto carinho pelo clube", disse o jogador, enquanto a torcida gritava "Fica Leandrinho!". "Não tenho nem palavras. Só posso dizer obrigado", completou.

O capitão Marcelinho também estava emocionado:

"É muito bom poder jogar aqui, impulsionado por essa torcida e poder retribuir todo esse carinho com um título", afirmou. Marcelinho acredita que o Flamengo ainda vá evoluir daqui para frente. "Temos quatro jogadores novos na equipe e a tendência é que, com o passar do tempo, a gente ganhe ritmo, entrosamento e evolua cada vez mais mais".

Também foi o primeiro título do técnico Gonzalo Garcia, que assumiu a equipe no começo de 2011.

"É uma honra. O Flamengo vinha de uma sequencia de títulos e não queria ser o único a não vencer. Estou muito feliz", disse o treinador.

Os jogadores receberam as medalhas e o troféu de campeão das mãos da presidente Patrícia Amorim.

"Acompanho essa equipe desde 2005, participei da montagem desse time, e me sinto feliz de ter contribuído com isso tudo que está acontecendo, principalmente no dia do aniversário do clube", afirmou.

O próximo desafio do Flamengo será o NBB (Novo Basquete Brasil). A estreia da equipe será sábado (19.11), contra o Paulistano, às 12h, no Ginásio do Tijuca Tênis Clube.

O Flamengo jogou com: Marcelinho (23), Leandrinho (15), David Jackson (17), Kammerichs (4) e Caio Torres (6). Entraram: Hélio (9), Wagner (8), Duda (3), Guto (3), Teichmann (5) e Átila (-).

http://www.flamengo.com.br/site/noticia/detalhe/14314


2 comentários:

patrick disse...

Fui ao jogo e achei o nível bem baixo para o investimento e principalmente para às nossas aspirações.

No entanto, gostaria de registrar a confusão na entrada, que por pouco não resultou em tragédia.

Segue abaixo o e-mail que enviei para alguns jornalistas. Se alguém puder, por favor, ajudem a denunciar o ocorrido.

"Ontem, fui com minha namorada assistir à final do esvaziado campeonato estadual de basquete masculino, na Gávea. Previsivelmente, a entrada foi muito problemática. Por pouco, muito pouco não aconteceu uma tragédia. Ginásio, quer dizer, a quadra 'de colégio' do Flamengo lotada, feriado, aniversário do Flamengo, final do basquete, com a estrela da seleção e jogador da NBA' Leandrinho e entrada franca.

Meia hora antes do jogo, havia mais de 50 pessoas querendo entrar e apenas uma, uma ÚNICA porta disponível. Para piorar, devido à previsível lotação, o segurança não liberava a entrada de ninguém. Soma-se a isso à famosa educação brasileira... Empurra-empurra, gente sendo espremida no portão, segurança tentando fechar o portão e machucando as pessoas... Quem queria sair não conseguia ou tinha que sair espremido. E mesmo assim, não entrava pessoa alguma. O cenário para um pisoteamento, para um tragédia estava feito. A tensão durou quase meia hora. E o segurança pedindo para chamar um superior que nunca chegava.
Minha namorada está com o braço dolorido até agora (inclusive, daqui a pouco, estaremos indo ao médico). E não foi a única. E ainda queriam deixá-la entrar, assim como outras mulheres e deixar os acompanhantes de fora.

Não houve uma única explicação, tentativa de solução. E o segurança só dizia que estava seguindo ordens... Enquanto isso, a presidenta dava entrevistas...

Era a crônica da tragédia anunciada... Por que o jogo não ocorreu no Maracanãzinho, na Barra ou no mínimo no Tijuca Tênis Clube (afinal, qual lugar do Rio não seria nossa casa no basquete?) Não sei se algum desses estava em reforma, obras ou quais as condições, mas é fato que não poderia ser na Gávea.

Pela primeira vez na vida, não tive vontade alguma de cantar vendo o Manto Sagrado atuando. Com o passar do tempo, rola uma palma, acompanhei o hino... Mas acabou o jogo e infelizmente, meu sentimento pelo Flamengo arrefeceu. Fica fácil imaginar como o Zico se sentiu.

E imaginar que fiz um esforço gigante pra ir, inclusive com familiar hospitalizado... Lógico que ninguém tem nada a ver com isso, entretanto, eles conseguem esfriar um sentimento, por falta de planejamento, por politicagem, por qualquer motivo. O Flamengo é uma nação, mas suas benesses são para poucos."

Camisas do Flamengo disse...

Realmente é uma vitória muito bonita de se ver.