Pesquise no Flamengo Eternamente

Pesquisa personalizada

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Rodrigo Mendes

            Rodrigo Fabiano Mendes nasceu no dia 9/8/1975 em Uberaba (MG) e teve três passagens pelo Flamengo: a primeira entre 1993 e 1995, a segunda em 1997 e a terceira— mais marcante — entre 1999 e 2000. No total, o atacante revelado nas divisões de base do Flamengo jogou 205 partidas pelo Mengão e marcou 31 gols com o Manto Sagrado.
            Na primeira passagem pela Gávea, Rodrigo fez parte do time que conquistou a Taça Guanabara de 1995 junto com nomes como Romário e Sávio.
            Em 1996, Rodrigo teve a primeira passagem pelo Grêmio e conquistou o Campeonato Gaúcho. No mesmo ano, foi para o Kashima Antlers e conquistou a J-League  e em 1997 a Saper Xerox Cup ,
Em 1997, o jogador voltou à Gávea e participou da boa campanha do Mengão comandado por Paulo Autuori no Brasileiro do mesmo ano .
 Em 1998 jogou  pelo Atlético-PR e conquistou o Campeonato Paranaense.
Em 1999, Rodrigo voltou ao Flamengo e foi fundamental para a conquista do Campeonato Carioca e da Copa Mercosul sob o comando de Carlinhos.
Nesse mesmo ano, o Flamengo ganhou a Taça Guanabara. O adversário foi o Vasco, que entrou de salto alto, por achar que ganharia com a vantagem do empate. Doce ilusão. Não suportaram a raça do maior time do mundo. Athirson — aproveitando o passe de Iranildo numa jogada que fez jus à tradição rubro-negra pela garra e categoria — abriu o placar no início do jogo e Romário ampliou com um belo gol de canhota minutos depois. O adversário ainda diminuiu numa cabeçada de Odivan e tentou empatar, mas o Mengão soube segurar o resultado. Nada melhor do ganhar o primeiro turno de forma invicta.
Mas a festa estava só começando: o Mengão conquistou o Campeonato Estadual, vencendo o Vasco, que tinha ganhado o segundo turno. No primeiro jogo, o resultado foi 1 a 1 graças ao gol de peixinho de Fábio Baiano e às defesas salvadoras do goleiro Clemer. No segundo jogo, Rodrigo Mendes cobrou bem a falta sofrida por Caio e fez o gol do título, deixando o goleiro Carlos Germano parado e a torcida rubro-negra enlouquecida: Flamengo 1 a 0. O placar poderia ter sido maior, mas o juiz anulou um gol de Beto, alegando impedimento. Mesmo com os desfalques de Iranildo, Leandro Machado e Romário o time rubro-negro mostrou muita raça. E ganhar no peito e na raça, honrando as tradições rubro-negras, é bom demais!! Os heróis da conquista: Clemer, (Róbson) , Pimentel,, Fabão, Luís Alberto, Ronaldo, Fabiano, Athirson, (Marco Antônio), Jorginho, (Vágner), Leandro Ávila, (Bruno Quadros), (Leonardo Inácio), (Maurinho) , Beto, Fábio Baiano, Iranildo, Caio, Leandro Machado, Rodrigo Mendes, Romário, (Marcelo Santos),( Reinaldo), (Fabiano Cabral ) .
Outra importante conquista rubro-negra em 1999 foi a Copa Mercosul. O Flamengo estreou na competição sul-americana vencendo o Olímpia por 2 a 1 com dois gols de Romário . Na partida seguinte, o Mengão goleou o Colo Colo por 4 a 0 com dois gols de Rodrigo Mendes, um de Romário e outro de Fábio Baiano. O Fla perdeu para o Universidad do Chile por 2 a 0 e para o Olímpia por 3 a 1 e mesmo apos fazer 2 a 0 no jogo de volta contra o Colo Colo no Maracanã (gols de Marco Antônio e Caio), deixou o time chileno empatar a partida. Esses resultados fizeram o Flamengo precisar vencer o Universidad do Chile no Maracanã por pelo menos quatro gols de diferença para se classificar para a segunda fase da competição. E o Mengão conseguiu: goleou o time chileno por 7 a 0. Caio marcou o primeiro gol . Romário driblou dois adversários e fez o segundo, marcou o terceiro e também fez o quarto gol rubro-negro. Marco Antônio fez o quinto.  Romário marcou o sexto (o 200º gol do Baixinho com o Manto ) e Rodrigo Mendes fechou o placar.
Pela segunda fase da Mercosul, Fábio Baiano abriu o placar contra o Independiente. O juiz expulsou dois jogadores do Fla sem motivo e os argentinos empataram a partida , mas na raça o Mengão segurou o resultado mesmo com a enorme pressão dos adversários. No jogo de volta no Maracanã mesmo sem vários titulares, o Flamengo venceu o Independiente por 4 a 0 com dois gols de Leandro Machado, um de Fábio Baiano e outro de Romário, classificando-se para a semifinal contra o Peñarol.
Após a desclassificação no Brasileiro  com derrota para o Juventude por 3 a 1, Romário, Fábio Baiano, Marcelo e Leandro Machado escaparam da concentração e foram a uma festa em Caxias do Sul. O Romário saiu do Fla por não pedir desculpas à torcida e voltou para o Vasco. Mas os outros jogadores foram perdoados pela diretoria.
Na semifinal da Mercosul contra o Peñarol,  o Flamengo venceu o primeiro jogo por 3 a 0 (gols de Leandro Machado, Maurinho e Lê.)  No segundo jogo, o time uruguaio venceu por 3 a 2 , mas mesmo com a derrota rubro-negra Reinaldo teve boa atuação. Sofreu o pênalti marcado por Athirson e fez um golaço. Lamentável a selvageria dos uruguaios, que agrediram os jogadores do Flamengo inconformados com a eliminação.
As duas partidas da decisão contra o Palmeiras foram eletrizantes.  O Mengão venceu o primeiro jogo por 4 a 3. Show de emoção e garra. Juan abriu o placar para o Flamengo. Júnior Baiano empatou para o time paulista. Asprila virou para o Palmeiras. Caio empatou e Paulo Nunes fez 3 a 2. Mas era dia do Urubu voar alto. Caio marcou outro gol e Reinaldo garantiu a vitória rubro-negra no Maracanã com belo gol de cabeça após cruzamento de Athirson. No segundo jogo na casa dos palmeirenses novo sufoco. Arce pôs o time alviverde em vantagem. Caio empatou e Rodrigo Mendes virou o jogo com um golaço. Arce empatou de falta em falha de Clemer e Paulo Nunes marcou o terceiro do Palmeiras aproveitando lançamento de Zinho. Mas o jovem Lê marcou com frieza o gol de empate e que deu o título ao Flamengo.
No ano seguinte, mesmo atuando na reserva, Rodrigo Mendes ajudou o Flamengo a conquistar outro título carioca. Em 2000, o Mengão venceu novamente o Campeonato Estadual. Nosso maior rival venceu a Taça Guanabara, mas o Flamengo se recuperou ¾ graças à volta de Carlinhos ao comando da equipe e à raça e à união do time ¾ e conquistou a Taça Rio ao vencer o Friburguense por 3 a 1. (Os gols do Fla foram marcados por Reinaldo, Athirson e Fábio Baiano.)
Nas finais, o rubro-negro derrotou os vascaínos por 3 a 0 ¾ gols de Athirson (em linda jogada) Fábio Baiano (de falta) e Beto (de cabeça) ¾ no primeiro jogo e por 2 a 1 no segundo ¾ gols de Viola para o adversário e de Reinaldo e Tuta para o Mengão em bela virada. Reinaldo foi o vice-artilheiro da competição com 15 gols e Athirson, em grande forma, foi um lateral-esquerdo muito ofensivo, marcando 10 gols, muitos deles em clássicos, sendo o destaque do Flamengo no campeonato.
            Em julho de 2000, Rodrigo Mendes jogou as últimas partidas pelo Flamengo e retornou ao Grêmio, clube que defendeu até 2002. O atacante conquistou o Campeonato Gaúcho e a Copa do Brasil de 2001 pelo Tricolor Gaúcho. Em 2002, Rodrigo Mendes também foi artilheiro da Libertadores com 10 gols e um dos artilheiros do Grêmio na temporada junto com Rodrigo Fabri com 25 gols levando o Grêmio à semifinal da Libertadores e do Brasileiro.
Em 2003, Rodrigo foi para o clube japonês Oita Trinita. No mesmo ano, o rsa Liga dos Campeões da Ásia e em 2004 o Campeonato dos Emirados Árabes.
Entre 2005 e 2007, o atacante jogou pelo Al-Gharafa (Qatar) e ganhou a Liga do Qatar (2004-2005). Em 2007, Rodrigo voltou ao Grêmio , mas rompeu os ligamentos do joelho e só voltou a jogar em março de 2008.
Durante o Brasileiro de 2008, Rodrigo foi negociado com o Sharjah (Emirados Àrabes), clube que defendeu até o fim daquela temporada.
Em 2009, Rodrigo voltou ao Brasil e foi para o Fortaleza, mas pouco jogou , pois teve várias contusões. Mesmo assim foi campeão cearense pelo Fortaleza. Procurou tratamento no Grêmio, mas não conseguiu e por ironia foi se tratar no rival Inter. Recuperado da contusão, em setembro do mesmo ano, Rodrigo foi para o Novo Hamburgo, clube em que encerrou a carreira em 2011.
Em 2013, Rodrigo treinou o time sub-17 do time gaúcho Ivoti e em seguida o ex-atacante treinou o time sub-20 do Novo Hamburgo.
Rodrigo fez cursos de formação de treinadores na CBF e na Escola Brasileira e de futebol e atualmente cursa a Graduação em Administração. Trabalha como consultor técnico de um grupo de investidores e desde dezembro de 2014 tem uma escolinha de futebol em Uberaba.
Gostei muito de relembrar os títulos de Rodrigo Mendes no Mengão, me diverti muito revendo o gol do título carioca de 1999 e foi muito bom saber mais sobre a carreira do ex-atacante no Brasil e no exterior. Desejo sorte a Rodrigo Mendes em seu projeto da escolinha de futebol, na faculdade de Administração e na carreira como técnico.
Fontes:
https://pt.wikipedia.org/wiki/Rodrigo_Fabiano_Mendes
https://www.youtube.com/watch?v=2Ao8sNX0_Yw
Vaz, Arturo, Júnior, Celso e Filho, Paschoal Ambrósio. 100 anos de bola, raça e paixão: a história do futebol do Flamengo. Rio de Janeiro: Maquinária Editora: 2012.


             

8 comentários:

Anônimo disse...

Boa tarde, caros irmãos rubro-negros;
Mesmo não morando no Rio de Janeiro, portanto não estando no Maracanã, não dá para esquecer o gol do Rodrigo Mendes contra o Vasco, na final do carioca-1999.
A barreira cruz-maltina se posiciona, Rodrigo Mendes corre, bate na bola. Ela passa pela barreira e vai deslizando no gramado até entrar lentamente no lado direito do gol defendido por Carlos Germano.
Não sei porque: o gol do Pet em 2001 foi lindo, mas, esse gol, para mim, foi muito mais dramatico.
Boas lembranças de times do Flamengo que nos encheram de alegrias.

Warley Morbeck disse...

Vida longa ao Carioca. Por mais que não gostem dele, tem muita história.

Renata Christovão Bottino disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Renata Christovão Bottino disse...

Concordo com você, Warley, mas acho que o Carioca deveria ter menos clubes pequenos para ficar mais competitivo.

Renata Christovão Bottino disse...

Olá, leitor anônimo,
Os dois gols são inesquecíveis,mas considero a final do Carioca de 2001 mais emocionante.
Muito obrigada por ler o blog Flamengo Eternamente e continue postando sua opinião nos comentários. SRN e um abraço, Renata

Anônimo disse...

Bom dia, caros Warley e Renata;
Sou um rubro-negro aqui de Minas Gerais. Tenho 44 anos. Quando comecei a ver futebol no fim dos anos 70 e inicio dos 80, o campeonato carioca era muito bom. Alem dos 04 grandes, havia Bangu, America, Campo Grande, que conseguiam formar boas equipes. Tudo foi mudando a partir dos anos 90. Acredito que a diferença economica entre grandes e pequenos deixou o campeonato sem graça. Como acontece aqui em Minas Gerais.
Por isso não sou a favor da manutenção de campeonatos estaduais. Apenas Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil e interregionais (exemplo Rio-São Paulo, Sul-Minas, etc) onde as equipes poderiam testar melhor sua força. Tudo isso com o calendário já analisado e aprovado anteriormente pelos clubes.
Um abraço a todos!

Anônimo disse...

Continuando meus comentários;
As vezes me pergunto o porque do poder extremo do sr. Eurico Miranda na FERJ. Entra e sai dirigente do Flamengo e esse senhor, quando dá as caras, é o todo poderoso do futebol do Rio de Janeiro.
Sei que no futebol a paixão(ódio) está muito acima da razão. Mas o que o torcedor vascaíno acha que ganha tendo um sujeito desses na presidência? Afrontar o Flamengo já torna o Vasco um clube grande? Fazer um campeonato carioca totalmente deficitário financeiro e tecnicamente é um caminho razoável? Será que ninguem percebeu o crescimento de potências fora-do-Rio, como Atlético Mineiro, Corinthians, Internacional? Isso sem contar equipes que sempre conseguiram bons resultados como São Paulo, Cruzeiro.
Por isso acho que a mentalidade no futebol do Rio de Janeiro está muito atrasada em realação a outros centros.

Anônimo disse...

Me perdoem mais essa continuação;
Mas uma coisa que não suporto é o sr. Kleber Leite dar pitacos sobre a administração do Flamengo. Visto aqui de longe (nem tão longe assim) me parece o lobo querendo tomar conta do rebanho de ovelhas. Agora durante a venda do Renato Augusto para China aparece novamente este senhor dando explicações sobre o Flamengo ter direito(ou não) sobre o porcentual de clube formador nesta transação. É implicancia minha ou todos os negocios que esse senhor negociou em nome do Flamengo, o clube levou alguem tipo de prejuízo?
Lembro a contratação do Romário(onde estão os investidores????), contratação do Edmundo(consórcio doou o dinheiro???), venda do Renato Augusto (onde foi parar esse dinheiro??), o não pagamento de impostos quando da realização de diversas transações, ocasionando uma suspeita de divida monstro com a Receita Federal .
Esses são apenas alguns exemplos do porque da antipatia que nutro por esse senhor.