Pesquise no Flamengo Eternamente

Pesquisa personalizada

segunda-feira, 28 de julho de 2008

Domingos Bosco

ESPAÇO DO ZICO

Na vida da gente há sempre uma época, um tempo ou um dia inesquecível. Um domingo, por exemplo. Eu conheci um grande domingo, talvez o único. Um Domingo com ¨D¨ maiúsculo, mesmo. Alegre, divertido, poucas vezes triste. Um Domingo competente e insuperável, até hoje, na função que exerceu: o de supervisor de futebol do Flamengo . Assinava Bosco no sobrenome. Assim: Domingo Bosco. Já não está mais com a gente. Deus o levou prá perto Dele.

Um Domingo Incomparável

Ele me traz grandes e eternas recordações. Como uma quarta-feira de Maracanã com a casa cheia, à noite, quando o Flamengo perdeu de 2 a 1 para o Botafogo da Paraíba. Foi pelo campeonato Brasileiro o resultado àquela altura transformou a porta do nosso vestiário num vulcão. Toda a imprensa estava lá. Queria explicações. E dizer o quê depois daquela derrota?

Bosco caminhava de um lado para o outro, mãos nos bolsos, cabeça baixa, pensativo. Nunca um vestiário nosso ficou fechado tanto tempo. Lá pelas tantas Bosco mandou abrir as portas. Todo mundo pronto prá sair – e eu ainda enrolado numa toalha. Rápido e tipo aborrecido ele deu a notícia que no dia seguinte seria manchete em toda a imprensa:

- Nosso craque está nu. Sumiram com a roupa dele. Isto é um absurdo, acontecer em pleno Maracanã. Como é que o Zico vai sair agora do estádio?

Estava ofuscada a vitória do Botafogo

Bosco sempre chamou os jogadores do Flamengo de ¨meus craques¨. Mas tinha que ser craque, mesmo. E prá nós nunca faltou nada. Tínhamos tudo, à tempo e à hora. Como morangos. Eu adoro morangos. E num domingo (olha o Domingo aí de novo...) na concentração de São Conrado, dia de Fla-Flu, Adílio, Toninho Baiano, Cláudio Adão e Júnior souberam que não tinha morango para a sobremesa. E ¨alugaram¨ o Bosco. Daí à explosão foi fração de segundo.

- Como não tem morango pro meu craque? Sem morango não tem gol...

Ato contínuo: Bosco pegou o carro dele subiu a Estrada das Canoas, colheu morangos silvestres à beira do caminho e chegou sorridente e feliz de volta à concentração.

- Não será por isso que não vai ter gol. Bota chantily e saboreia, meu craque. Depois faz o teu papel no Maraca. O Flamengo goleou o Fluminense por 4 a 0. Cláudio Adão fez dois e eu os outros dois.

Nunca mais faltou morango na concentração.

Ele nos tratava assim:

- Meus craques! Que beleza ! Que grupo unido! O Flamengo me emociona! Como eu sou feliz!

Domingo Bosco era assim. Que Deus o Tenha.

(fonte: Revista do Flamengo número 20, página 19)
Agradecimento ao Amigo Kid Ferreira

3 comentários:

KID disse...

Graças ao meu bom Deus, tive a honrra de testemunhar esta pessoa ímpar em todos os sentidos. Em seus poros transpirava o amor pelo Flamengo.

Flamengo Eternamente disse...

Grande figura mesmo Kid. Parabéns pelo texto que nos trouxe.

Arthur Virgílio disse...

Muito legal o blog. Está adicionado.